Gyula Kosice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gyula Kosice em sua oficina com o trabalho Ciudad Hidroespacial.

Gyula Kosice (Košice, Checoslováquia, 26 de abril de 1924) é um escultor, poeta, artista plástico e teórico húngaro naturalizado argentino, considerado um dos pioneiros da arte cinética.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 26 de abril de 1924, em Košice, na Checoslováquia (atual Eslováquia). Em 1928, seus pais emigraram para a Argentina, onde se instalaram e o batizaram com o nome de Fernando Fallik.

Gyula Kosice utiliza o nome de sua cidade natal como nome artístico. Foi um dos iniciadores da arte não-figurativa na América Latina. Sua obra Röyi (1944) é a primeira escultura articulável com a participação do público no continente. Utilizou, pela primeira vez a nível mundial, o gás néon e água como elementos constitutivos de suas obras artísticas.[1] Luz e movimento também estão presentes em suas obras.

Em 1946, juntamente com Carmelo Arden Quin, funda o movimento artístico MADI.[2]

Em 1947 ele realizou sua primeira exposição individual no Bohemien Club na Galerías Pacífico, em Buenos Aires, esta foi a primeira exposição de arte abstrata na América Latina.

Relieve Agua Comunicante.

Em 1961 realizou uma exposição no Stedelijk Museum de Amsterdã, Países Baixos e outra em 1967 para a exposição Kunst-Licht-Kunst no Van Abbemuseum, em Eindhoven.

Fez mais de 40 exposições próprias e 500 exposições coletivas em todo o mundo.

Também criou monumentos para espaços abertos em vários países.[1]

Em 2005, Kosice transformou seu estúdio e sua loja em um museu.

É cidadão argentino e mora em Buenos Aires.[1]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Invención (1945)
  • Golsé-sé (1952)
  • Peso y medida de Alberto Hidalgo (1953)
  • Antología Madí (1955)
  • Geocultura de la Europa de hoy (1959)
  • Poème hydraulique (1960)
  • Arte hidrocinético (1968)
  • La ciudad hidroespacial (1972)
  • Arte y arquitectura del agua (1974)
  • Arte Madí (1982)
  • Del Arte Madí a la Ciudad Hidroespacial (1983)
  • Obra poética (1984)
  • Entrevisiones (1985)
  • Teoría sobre el arte (1987)
  • Kosice (1990)
  • Arte y filosofía porvenirista (1996)
  • Madigrafías y otros textos (2006)
  • Autobiografía (2010)

Referências

  1. a b c Gyula Kósice Biography. Visitado em 3 de novembro de 2010.
  2. Gyula Kosice (1924). Visitado em 3 de novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]