Hélio Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Hélio Cunha
Portrait of the artist Hélio Cunha
Nascimento 1948 (66 anos)
Penha de França, concelho de Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Área Pintura
Assinatura
Assinatura do pintor Hélio Cunha

Hélio Domingues da Cunha (Penha de França, concelho de Lisboa, 25 de maio de 1948) é um artista plástico português[1] .

Biografia / Obra[editar | editar código-fonte]

Em 1978 viveu em Inglaterra, onde iniciou estudos e experiências no domínio das Artes Plásticas. Na década de oitenta frequentou o atelier de Mestre Soares Branco nos Coruchéus. Foi sócio da Viragem em Cascais e do Centro de Actividades Artísticas Árvore no Porto. Actualmente é sócio da Sociedade Nacional de Belas-Artes em Lisboa e do Círculo Artístico e Cultural Artur Bual na Amadora.

A partir de 1982 realizou 34 exposições individuais e participou em mais de 100 colectivas. Tomou parte nas exposições de homenagem a Artur Bual, José Garcês, António Inverno, José Ruy, Cruzeiro Seixas e em colectivas no Centro Cultural de Belém e na Walsall Art Gallery em Inglaterra[2] .

Dedicaram textos ao pintor à sua obra: Aida Sousa Dias, António Valdemar, António Victorino de Almeida, Cruzeiro Seixas, Edgardo Xavier, Eurico Gonçalves [3] e Rui Mário Gonçalves.

Possui obras no acervo de várias instituições públicas e privadas, como o Museu do Chiado em Lisboa, a Fundação Oriente, A Fundação Cupertino de Miranda, a Câmara Municipal de Lisboa, a Câmara Municipal da Amadora, a Fundação Portugal Telecom, Museu Condes de Castro Guimarães; Museu Municipal de Vila Real; Museu de Arte Contemporânea do Sabugal; Sociedade Martins Sarmento; Banco de Portugal; Núcleo Museológico de Favaios (doações em exposição permanente)[4] ; Walsall Metropolitan Museum em Inglaterra, Gallery Fellini[5] , Berlim; Museu Estadual do Recife no Brasil, o Museu de Arte de Macau na China. Mencionado na Public Catalog Foundation e no site da BBC "Your Paintings"[6] .

Recebeu 4 vezes o Prêmio de Pintura da TLP (empresa de telecomunicações de Portugal, hoje parte da Portugal Telecom), inclusive o prêmio principal da categoria em 1986[7] . Um filme sobre a sua obra, realizado por Álvaro Queirós, figura nos arquivos do ANIM, Cinemateca Portuguesa.

Principais Exposições[editar | editar código-fonte]

A partir de 1982, realizou 36 exposições individuais e mais de 100 coletivas, nomeadamente na Junta de Turismo da Costa do Estoril; Galeria Diário de Notícias; Galeria de Arte Moderna da Sociedade Nacional de Belas-Artes; Galeria Municipal Artur Bual; Convento de S. José, Lagoa; Centro UNESCO do Porto; Cooperativa de Atividades Artísticas Árvore, Porto; Salão Nobre da Alfândega do Porto; MAC, Movimento Arte Contemporânea Paço da Cultura da Guarda; Caixa Geral de Depósitos; Museu da Água; Galeria DGAJ, Campus da Justiça; Mãe d’ Água das Amoreiras; Galeria de Exposições Temporárias do Centro Cultural de Belém; Museu Monográfico de Conímbriga; Ministério da Defesa Nacional[8] ; Galeria EMMA, Madrid; Alfa Laval Art Association, Lund, Suécia; Walsall Art Gallery, Birmingham; Gallery 118, Londres; Artexpo New York 2011.

Em 2013 realizou uma exposição com Cruzeiro Seixas no Forte do Bom Sucesso[9] , Belém.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Hélio Cunha