Hórus Aha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hórus Aha
Africano: Athôthis Eusébio: Athôthis, Athothis
Fragmento de vaso de faiança inscrito com o nome de Hórus Aha, em exposição no Museu Britânico
Fragmento de vaso de faiança inscrito com o nome de Hórus Aha, em exposição no Museu Britânico
Faraó do Egito
Predecessor Narmer/Menés
Sucessor Djer
Esposa(s) Rainhas Benerib e Khenthap[1]
Filhos Djer[2]
Mãe provavelmente Neithhotep
Tumba Tumba B10/B15/B19, Umm el-Qa'ab, Abidos[3]
Monumentos Templo de Neith e Saís[4]


Hórus Aha (ou Aha) é considerado o segundo faraó da I dinastia do Antigo Egito. Ele viveu em torno do século XXXI a.C..

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nome[editar | editar código-fonte]

O comumente usado Hórus Aha é uma interpretação do nome de Hórus do faraó, um elemento da titularia real associado com o deus Hórus, e é mais completamente dado como Hórus Aha.[5]

Para a Época Tinita, os registros arqueológicos referem-se aos faraós por seus nomes de Hórus, enquanto que os registros históricos, como evidenciado nas listas reais de Turim e Abidos, usam uma alternativa titularia real, o nome nebty.[5] [6] Os diferentes elementos titulares do nome do faraó foi muitas vezes usado isoladamente, para abreviação, embora a escolha variou de acordo com a circunstância ou período.[6]

O consenso geral dos egiptólogos seguiu os achados de Petrie em conciliar os registros e conectá-los: Hórus Aha (arqueológico) com o nome nebty Ity (histórico).[5] [6] [7]

O mesmo processo levou a identificação do histórico Menés (um nome nebty) com Narmer (um nome de Hórus) evidenciado nos registros arqueológicos (ambas figuras que foram creditadas com a unificação do Egito e como o primeiro faraó da I dinastia) como o predecessor de Hórus Aha (o segundo faraó).[5] [6] [7]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Em torno do século XXXI a.C., seu pai, Narmer, uniu o Baixo e Alto Egito. Hórus Aha tornou-se faraó aos trinta anos e governou até seus sessenta e dois anos. Durante seu reinado empreendeu campanhas contra núbios e líbios, manteve relações comerciais com o corredor Sírio-Palestino, fornecedor de madeira de cedro e ordenou a edificação de um templo à Neith em Saís.[4]

A lenda dizia que ele foi transportado no Nilo por um hipopótamo, a encarnação da divindade Seth. Desde que Hórus Aha foi creditado como o legendário Menés, outra história conta que Hórus Aha foi morto por um hipopótamo enquanto caçava.

Teorias[editar | editar código-fonte]

Há algumas controvérsias sobre Hórus Aha. Alguns acreditam que ele um individual como legendário faraó Menés e que ele foi o fundador do Egito Antigo. Outros afirmam que ele foi o filho de Narmer, o faraó que unificou o Egito. Independentemente, consideráveis riquezas históricas identificam Narmer como o unificador do Egito e Hórus Aha como seu filho e sucessor.

Esposas[editar | editar código-fonte]

A esposa principal de Hórus Aha foi Benerib, cujo nome foi "escrito ao lado de seu número de peças (históricas), em particular, na tumba B14 em Abidos."[8] A tumba B14 está localizada diretamente adjacente ao sepulcro de Hórus Aha.[9] Hórus Aha também teve outra esposa, Khenthap, com quem ele tornou-se pai de Djer. Ela é mencionada como a mãe de Djer nos Anais da Pedra do Cairo.[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Queens of Egypt, informations based on the book The Complete Royal Families of Ancient Egypt
  2. a b Dodson & Hilton, p.48
  3. Hórus Aha
  4. a b Coleção grande civilizações: Egito. 1º ed. Rio de Janeiro: Minuano Cultural, 2010. 10 pp. ISBN
  5. a b c d Edwards 1971: 13
  6. a b c d Lloyd 1994: 7
  7. a b Cervelló-Autuori 2003: 174
  8. Aidan Dodson & Dyan Hilton, The Complete Royal Families of Ancient Egypt, Thames & Hudson (2004), p.46
  9. Dodson & Hilton, p.46
  • Toby A. H. Wilkinson, Early Dynastic Egypt, Routledge, London/New York 1999, ISBN 0-415-18633-1, 70-71

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Menés
Faraó
?
Sucedido por
Djer