HMS Ajax (22)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
HMS Ajax (22)
HMS Ajax
Origem    Bandeira do país de origem
Nome: HMS Ajax (22)
Construtor(es): Vickers Armstrong, Barrow-in-Furness - 07 fevereiro de 1933
Lançamento: 1 de março de 1934
Unidade final 1949
Características gerais
Tipo: Cruzador Leve
Deslocamento: 7.270 ton. padrão

9.740 ton. de carga total

Comprimento: 554,9 pés (169,1 m)
Boca: 56 pés (17 m)
Calado 19,1 pés (5,8 m)
Propulsão: Quatro motores Parsons de turbinas a vapor

3 caldeiras alimentadas a óleo ,4 eixos

Velocidade: 32,5 nós (60 km / h)
Autonomia: 5.730 milhas náuticas a 13 nós
Aeronaves: Uma catapulta-lançadora Fairey Seafox , substituída por uma Supermarine Walrus
Passageiros: 550 em tempo de paz e 680 em tempo de guerra

O HMS Ajax (22), foi um cruzador leve, que serviu a Marinha Real Inglesa, durante a Segunda Guerra Mundial. Ficou famoso por sua participação na Batalha do Rio da Prata, quando juntamente com outros navios ingleses afundaram o Couraçado alemão Graf Spee.

Participou da Batalha de Creta, a Batalha de Malta e como uma escolta ao Cerco de Tobruk. Este navio foi o oitavo na Marinha Real a ostentar este nome.

Pré guerra[editar | editar código-fonte]

O Ajax foi construído no estaleiro Vicker, em Barrow-in- Fumess, Inglaterra, sendo finalizado em 7 de Fevereiro de 1933 e lançado ao mar em 1 de Março de 1934. Inicialmente operou em patrulhas na América do Norte e na Índia. No início de 1935 foi enviado ao Mediterrâneo para acompanhar a crise na Abissínia, ficando até Novembro.

No final de 1937, retornou a Grã-Bretanha para reequipamento. Neste período, suas baterias de 4 pol. foram substituídas por uma torre de dupla ação.

Em Fevereiro de 1938, após o conserto, voltou a incorporar o esquadrão das Índias Ocidentais, ficando nesta operação até 1939, quando foi deslocado para patrulhar o Pacífico, na América do Sul.

Em 27 de Janeiro de 1938, foi deslocado para socorrer as vítimas do terremoto em Talcahuano, no Chile[1] . Ao final da operação retornou as Bermudas, recebendo novas ordens para integrar a Divisão do Atlântico Sul. Quando o Segunda Guerra foi declarada, em Setembro de 1939, recebeu ordens para patrulhar a foz do Rio da Prata, nas proximidades no Uruguai.

Segunda Guerra[editar | editar código-fonte]

Batalha do Rio da Prata
Em 21 de agosto de 1939, o Admiral Graf Spee deixou o porto de Wilhelmshaven (Alemanha), na costa do Mar do Norte, com ordens secretas de atacar a navegação comercial no Atlântico Sul. As quais deveriam ser executadas, após a declaração oficial de guerra. A estratégia de Adolf Hitler faria com que antes da declaração de guerra o navio pudesse navegar em águas internacionais sem problema. Com esta estratégia, quando a declaração fosse feita o navio já estaria abaixo da Linha do Equador. Durante três semanas o navio navegou em oceano aberto a leste do Brasil. Finalmente em 20 de Setembro de 1939, o Admiral Graf Spee foi liberado para executar suas ordens.[2]

A esta altura a marinha inglesa e a marinha francesa, já haviam criado forças pra vascular o Atlântico a procura do navio alemão que havia afundado diversas embarcações. No total estes países haviam criado 7 forças navais, sendo que 3 estavam no Atlântico Sul.

- Força Y - operava na área do nordeste brasileiro constituído pelo couraçado Strasbourg e o cruzador Neptune;

- Força H - operava na Costa da África, com os cruzadores Sussex e Shropsire;

- Força G - operava com base em Port Stanley, nas Ilhas Malvinas, comporta de quatro cruzadores, Cumberland, Exeter ( nau capitânia), Ajax e Achiles.

No Dia D

Em 06 de Junho de 1944 o HMS Ajax deu apoio de fogo as tropas de invasão inglesas e canadenses na Normandia, e atirando de 12.000 metros de distância destruiu completamente o embasamento de uma bateria de artilharia alemã de 155 mm. Disparando uma bordada com seus canhões de 6 polegadas o Ajax acertou uma granada na seteira do embasamento, no momento em que os alemães carregavam um projétil de 155 mm no canhão, A explosão da granada disparada pelo Ajax fez explodir a granada que estava sendo carregada e no ambiente fechado do embasamento a explosão abriu a porta de acesso ao depósito de munições do embasamento que estava cheio de projéteis e as respectivas cargas de pólvora, que também explodiram. Como resultado todo o embasamento foi destruido, a culatra do canhão desapareceu, o cano foi partido em diversas partes, pedaços de concreto do tamanho de carros foram arremessados a grande distância, da equipe de tiro alemã não foi encontrado nenhum vestígio.

Referências

  1. http://www.pada.ca/images/results/?subject=4542 ^ "HMS Ajax - Terremoto do Chile de 1939".- Visita em 15/12/2012 21:45
  2. Eugen, Millington-Drake. A Batalha do Rio da Prata, Flamboyant - 1967

Biliografia[editar | editar código-fonte]

  • Eugen, Millington-Drake. A Batalha do Rio da Prata, Flamboyant - 1967
  • Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial - Abril, 2009, volume 07

Links[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este sobre Segunda Guerra Mundial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.