HMS Exeter (68)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
HMS Exeter (68)
USS Exeter em 1942 ao largo da Sumatra
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda 15 de março de 1928
Construção 1 de agosto de 1928
Lançamento 18 de julho de 1929
Fatalidade 1 de março de 1942
Características gerais
Deslocamento 10.410 toneladas
Comprimento 175,2 m
Boca 17,6 m
Calado 6,17 m
Velocidade 32 nós
Tripulação 630

HMS Exeter (código naval 68) foi um cruzador pesado da Marinha Real Britânica lançado ao mar em 1929, que atuou durante a II Guerra Mundial e foi afundado em combate no Oceano Pacífico em 1942.

Ao se iniciar a guerra, em setembro de 1939, o Exeter foi engajado na divisão de cruzadores para patrulha da costa da América do Sul, junto com os cruzadores Ajax, Cumberland e Achilles. Participou junto com eles da primeira grande batalha naval da guerra, em dezembro de 1939, com o combate e perseguição ao encouraçado alemão Graf Spee, nas costas da Argentina, obrigado a se refugiar no porto neutro de Montevidéu e depois afundado por sua tripulação. No combate, o Exeter foi atingido diversas vezes, perdendo 61 tripulantes e sendo obrigado a abandonar a luta e ancorar nas Ilhas Malvinas para reparos de emergência.

Após longo período de reparos completos na Inglaterra, o Exeter voltou à ativa na frota em 1941, atuando na proteção de comboios da marinha mercante no Atlântico Norte e no Oriente Médio, sendo depois transferido para o Extremo Oriente.

Pacífico[editar | editar código-fonte]

Com a entrada do Japão na guerra e o início dos conflitos no Pacífico, o Exeter passou a integrar o ABDACOM, a esquadra conjunta aliada formada para defender as Índias Orientais da invasão japonesa.

Em 27 de fevereiro de 1942, o cruzador foi atingido durante a Batalha do Mar de Java por um impacto direto, recebendo ordens de se afastar do combate e se dirigir a um porto em Java, escoltado por destróieres. Quando tentava cruzar o Estreito de Sonda, foi interceptado por dois cruzados japoneses, e na batalha que se seguiu afundaram sua escolta e o atingiram com torpedos.

O navio começou a fazer água e adernar, afundando ao meio dia de 1 de março. Seu capitão, O.L. Gordon, e cerca de oitocentos marinheiros de sua tripulação e da escolta de destróieres afundada foram feitos prisioneiros de guerra pelos japoneses.