HMS Hood (51)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
HMS Hood
HMS Hood (51) - March 17, 1924.jpg
O HMS Hood em 17 de março de 1924.
Carreira  Reino Unido
Fabricante John Brown & Company
Homônimo Samuel Hood
Batimento de quilha 1º de setembro de 1916
Lançamento 22 de agosto de 1918
Comissionamento 15 de março de 1920
Indicativo visual 51
Estado Afundou no Estreito da Dinamarca.
Características gerais
Tipo de navio Cruzador de Batalha
Classe Admiral
Deslocamento 46 680 t (carregado)
Comprimento 262.3 m
Boca 31.8 m
Calado 9.8 m
Propulsão 4 turbinas a vapor
24 caldeiras
4 hélices de três lâminas
Velocidade 31 nós (57 km/h) (1920)
28 nós (52 km/h) (1941)
Autonomia 5 332 milhas náuticas à 20 nós
(9 870 km à 37 km/h) (1931)
Blindagem Cinturão de 152 a 305 mm
Convés de 19 a 76 mm
Barbetas de 127 a 305 mm
Torretas de 279 a 381 mm
Anteparas de 102 a 127 mm
Armamento Quando construído:
8 canhões de 340 mm
12 canhões de 140 mm
4 canhões antiaéreos de 101 mm

Quando afundou:
8 canhões de 380 mm
7 canhões de 101 mm
3 canhões automáticos de 40 mm
5 metralhadoras de 12 mm
Tripulação 1 433 (1920)
1 325 (1934)

O HMS Hood foi um cruzador de batalha, orgulho da Marinha Real Britânica no início da II Guerra Mundial. Foi afundado pelo couraçado alemão Bismarck a 24 de maio de 1941.

O projeto original para o cruzador data de antes da Batalha da Jutlândia. Ele e suas três naves irmãs projetadas destinavam-se a contrabalançar os cruzadores de batalha alemães da Classe MacKensen, os quais dispunham de canhões de 381mm. Originalmente o Hood deveria ter armamento pesado e alta velocidade, porém proteção relativamente leve.

Depois da Batalha da Jutlândia os planos foram rapidamente refeitos e a espessura de sua blindagem acrescida em 50%, resultando em um deslocamento de 5.080 ton maior que o projeto original, com uma perda de 2 nós (3,7 Km/h) na velocidade. Entretanto, a produção de suas três naves irmãs foram canceladas em 1917, quando a marinha inglesa detectou que a produção de cruzadores alemães da mesma classe haviam sido cancelados.

No entanto o Hood, foi devidamente concluído em 1920, permanecendo por muitos anos como o maior e mais rápido nau-capitânia do mundo, com alta reputação na marinha real.

Em Dezembro de 1938, propôs-se que o Hood sofresse uma reconstrução semelhante ao que havia sido feito na classe Renown, porém com o acréscimo de 16 canhões de 133mm da classe King George V. A substituição da maquinaria foi considerada extremamente urgente. Entretanto a reconstrução foi cancelada assim que a guerra se iniciou, permanecendo em grande parte inalterado.

Em 1941, junto com couraçado HMS Prince of Wales foi incumbido de interceptar o Bismarck e o Prinz Eugen no Estreito da Dinamarca.

Durante a Batalha do Estreito da Dinamarca, a quinta salva de tiros disparada pelo Bismarck atingiu o paiol de munições do Hood que explodiu e afundou em menos de três minutos. Eram exatamente 6h da manhã.

De uma tripulação de 1.418 pessoas, apenas 3 sobreviveram. Isto desencadeou um ódio na Marinha Real britânica, o que tornou o afundamento do Bismarck uma questão de honra.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Guias de Armas de Guerra, Editora Nova Cultural, 1985
  • Grenfell, Russel. The Bismarck Episode - The Mackmillam Co. 1948
  • Reader´s Digest. História Secreta da Última Guerra - Editora Ypiranga,1962
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.