HMS Iron Duke (1912)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
HMS Iron Duke
HMS Iron Duke, entre 1914 e 1915
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Estaleiro Portsmouth Dockyard
Batimento de quilha 12 de janeiro de 1912
Lançamento 12 de outubro de 1912
Comissionamento março de 1914
Descomissionamento março de 1946
Patrono Arthur Wellesley, 1.º Duque de Wellington
Estado Vendido como sucata em 1948.
Características gerais
Tipo de navio Couraçado
Classe Iron Duke
Deslocamento 25.400 t
Comprimento 189,81 m
Boca 27,4 m
Calado 9,75 m
Propulsão 18 caldeiras Babcock & Wilcox o Yarrow
4 turbinas Parsons
4 hélices
Velocidade 21,25 nós
Autonomia 7.800 milhas náuticas à 10 nós
Blindagem Cinturão de 305 mm
Deque de 64 mm
Torreta de 279 mm
Barbetas de 254 mm
Armamento 10 canhões de 343 mm
12 canhões de 152 mm (em casamatas)
2 canhões antiaéreos de 76,2 mm
4 tubos de lançamento de torpedos de 533mm
Tripulação 925

O HMS Iron Duke foi o navio da Marinha Real Britânica que iniciou a classe de navios de batalha (couraçados) Iron Duke em 1912, assim nomeado em homenagem a Arthur Wellesley, 1.º Duque de Wellington, também conhecido com o Duque de Ferro (Iron Duke).[1]

O Iron Duke foi construído por Portsmouth Dockyard, com seu início em 12 de janeiro de 1912 e lançado em 12 de outubro do mesmo ano. Depois de completar os trabalhos de adaptação, ele começou os testes de mar em 25 de novembro de 1913.[2] O navio foi concluído em março de 1914,[3] e ele se juntou a frota inicial depois de completar seus estudos.

Serviço[editar | editar código-fonte]

Na Home Fleet, serviu como o navio-almirante do almirante Sir George Callaghan.[4] Em 29 de julho de 1914, como a guerra pairava no Continente, o Iron Duke e o resto da frota inicial foi ordenado a proceder de Scapa Flow para a Ilha de Portland a salvaguardar a frota a partir de um possível ataque surpresa alemão.[5]

Pouco depois da ruptura das hostilidades, Callaghan foi substituído pelo almirante Sir John Jellicoe, que designou o Iron Duke como navio-almirante da reorganizada “Grand Fleet”. Seu único grande combate durante a Primeira Guerra Mundial teve lugar na Batalha de Jutlândia, entre 31 de maio e 1 de junho de 1916, quando servia na quarta esquadra de batalha. Posteriormente, e durante um curto período, foi o navio-almirante do almirante Sir David Beatty, quando assumiu o comando da Grande Frota em finais de 1916, ainda que posteriormente, mudou seu navio-amlirante para o HMS Queen Elizabeth.

Depois do conflito, foi transferido para a Frota do Mediterrâneo, onde foi designado navio-almirante do almirante Sir John de Robeck. Serviu nas frotas do Mediterrâneo e do Atlântico até que foi posto em reserva em 1929.

Planta do Iron Duke.

Em 1931, depois do Tratado naval de Londres, o Iron Duke foi desarmado e serviu como navio de entretenimento. Para isso, as torres B e Y além dos tubos lança-torpedos, foram retirados, enquanto duas armas antiaéreas foram adicionados de 101 mm (4”) e outro antiaéreo foi montado no lugar da torre B. Mais adiante, em 1939, outra montagem gêmea de 115 mm (4.5”) em uma torre no lugar da torre X.[6]

Durante a Segunda Guerra Mundial foi usado como navio-base fundeado em Scapa Flow,[3] onde se viu forçado a encalhar em 1939 durante um ataque aéreo.[4] Posteriormente, foi reativado em frota e seguiu na ativa até o final das hostilidades. Foi vendido em 1946 para desmanche, que ocorreu em Glasgow em 1948. O sino do HMS Iron Duke está na Catedral de Winchester.[7]

Referências

  1. British Newspapers 1800–1900 Freeman's Journal and Daily Commercial Advertiser (Dublin, Ireland) British Library (26 de julho 30 de outubro 5 de novembro de 1830; 4 de janeiro 18 de maio de 1832). Página visitada em 17 de março de 2012.
  2. Burt, p. 216
  3. a b Gardiner & Gray, p. 31
  4. a b Gardiner & Gray, p. 32
  5. Massie, p. 19
  6. Burt, pp. 221, 223
  7. Goldsmith, p. 2

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Burt, R. A.. British Battleships of World War One. Annapolis, MD: Naval Institute Press, 1986. ISBN 0-87021-863-8
  • Campbell, John. Jutland: An Analysis of the Fighting. London: Conway Maritime Press, 1998. ISBN 1558217592
  • Colledge, J. J.; Warlow, Ben. In: J. J.. Ships of the Royal Navy. Havertown, PA: Casemate Publishers, 2010. ISBN 9781612000275
  • Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1922. Annapolis: Naval Institute Press, 1984. ISBN 0-87021-907-3
  • Goldsmith, Robert Frederick Kinglake. The Military Memorials of Winchester Cathedral. Winchester, UK: Friends of Winchester Cathedral, 1974. ISBN 0903346052
  • Halpern, Paul G.. The Mediterranean Fleet, 1919–1929. Burlington, VT: Ashgate, 2011. ISBN 9781409427568
  • Jellicoe, John. The Grand Fleet, 1914–1916: Its Creation, Development, and Work. New York, NY: George H. Doran Company, 1919.
  • Mackenzie, S. P.. British War Films, 1939–1945: The Cinema and the Services. London: Hambledon and London, 2001. ISBN 0-826-44644-2
  • Marder, Arthur J.. Volume II: The War Years to the eve of Jutland: 1914–1916. [S.l.]: Oxford University Press, 1965.
  • Massie, Robert K.. Castles of Steel. New York, NY: Ballantine Books, 2003. ISBN 0345408780
  • Rohwer, Jürgen. Chronology of the War at Sea, 1939–1945: The Naval History of World War Two. Annapolis, MD: US Naval Institute Press, 2005. ISBN 1-59114-119-2
  • Tarrant, V. E.. Jutland: The German Perspective. London: Cassell Military Paperbacks, 1995. ISBN 0-304-35848-7
  • Zetterling, Niklas; Tamelander, Michael. In: Niklas. Bismarck: The Final Days of Germany's Greatest Battleship. Drexel Hill, PA: Casemate, 2009. ISBN 978-1-935149-04-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre HMS Iron Duke (1912)