Hadash

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Hadash
חד"ש‎
Líder Mohammad Barakeh
Fundação 15 de março de 1977
Sede Nazaré, Israel
Ideologia Comunismo, socialismo, marxismo
Afiliação internacional Nenhuma
Cores Vermelho e verde
Site www.aljabha.org (em árabe)
www.hadash.org.il (em hebraico)
Uri Avnery em protesto organizado pelo Hadash contra a Guerra do Líbano de 2006.

Hadash (Hebraico: חד"ש‎, literalmente Novo; acrônimo de החזית הדמוקרטית לשלום ולשוויון‎, literalmente Frente democrática de paz e igualdade) é um partido político judeu-árabe de orientação socialista fundado em 1977. Atualmente ocupa quatro cadeiras no Knesset, o parlamento israelense.

História[editar | editar código-fonte]

O Hadash foi formado em 15 de março de 1977 por parlamentares independentes e ligados ao Partido Comunista de Israel (Rakah) às vésperas da eleição daquele mesmo ano. Os parlamentares independentes incluem mombros das Panteras Negras israelenses e outros grupos de esquerda não-comunistas. Paralelamente à formação do Hadash, o Partido Comunista de Israel reorganizou-se ao redor de um novo partido, o Maki (acrônimo de Partido Comunista Israelense em hebraico) em 1989, mantendo seu status independente.

Em 1977, o Hadasd ganhou cinco cadeiras no Knesset, um aumento de uma cadeira em relação ao que o Rakah possuía até então. Entretanto, em 1981 o partido viu-se reduzido a quatro cadeiras. Em 1984 o partido manteve suas quatro cadeiras, ganhando mais uma com a saída de Mohammed Wattad do Mapam em 1988. Nas eleições de 1988, o Hadash mais uma vez conquistou quatro cadeiras, mas perdeu uma com a saída de Charlie Biton para refundar as Panteras Negras em 25 de dezembro de 1990. Em 1992 o partido conquistou apenas três cadeiras.

Nas eleições de 1996, o Hadash uniu sua lista com a do Balad. Juntos, ganharam cinco cadeiras, mas romperam durante o mandato, o que reduziu para três o número de cadeiras do Hadash. Em 1999, o partido manteve três cadeiras.

Nas eleições de 2003, o Hadash se uniu com o Ta'al de Ahmed Tibi. Juntos, conquistaram três cadeiras, mas o rompimento deixou o Hadash com apenas duas cadeiras, a menor representatividade do partido em sua história. Em 2006, o Hadash conseguiu três cadeiras e, em 2009, ganhou outra.

Ideologia[editar | editar código-fonte]

O Hadash apóia a evacuação de todos assentamentos israelenses na Cisjordânia, a retirada completa de Israel dos territórios ocupados na Guerra dos Seis Dias e a fundação de um estado palestino. Também apóia a indenização para refugiados palestinos. Além disso, o Hadash também é conhecido por seu ativismo ambiental.

O partido recusa o sionismo, de forma a se manter fiel às doutrinas marxistas tradicionais, que rejeitam o nacionalismo. O Hadash tem como bandeira o reconhecimento dos árabes palestinos como minoria nacional dentro do estado de Israel.

Membros no Knesset[editar | editar código-fonte]

Atualidade

  • Mohammad Barakeh (desde 1999)
  • Hana Sweid (desde 2006)
  • Dov Khenin (desde 2006)
  • Afu Agbaria (desde 2009)

Antigamente

  • Charlie Biton (1977-1990)
  • Tamar Gojanski (1990-2003)
  • Avraham Levenbraun (1977, 1981)
  • Hashem Mahameed (1990-2003)
  • Issam Makhoul (1999-2006)
  • Hana Mwais (1977-1981)
  • Mohamed Nafa (1990-1992)
  • Ahmad Sa'd (1996-1999)
  • Saleh Saleem (1994-1999)
  • Tawfik Toubi (1977-1990)
  • Muhammed Wattad (1988)
  • Meir Vilner (1977-1990)
  • Tawfiq Ziad (1977-1990, 1992-1994)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre comunismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.