Hades (Bíblia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Abismo Segundo o conjunto dos vocábulos Grego e Inglês do Novo Testamento, diz que o termo grego á•bys•sos significa: “muito ou extremamente profundo” e também, significa: “insondável, ilimitado”. A Septuaginta Grega (tradução do VT hebraico para o Grego iniciada por 70 judeus, hábeis linguistas), usa a palavra á•bys•sos regularmente para traduzir o hebraico tehóhm (água de profundeza), conforme informa em Gênesis 1:2; 7:11, pois trata-se de palavras com mesmo significado semântico nestes idiomas distintos. Porém, é digno de nota que a Septuaginta grega não usa á•bys•sos para traduzir a palavra hebraica Seol ou Hades, conforme ensinam a cristandade, referindo que abismo, seol, hades, lago de fogo e Tártaro como sendo o mesmo lugar. Esse ensino não se sustenta! Por que? Veja (Jó 17:13). Observaram? De acordo com o texto, Seol ou Hades se limitam claramente à sepultura terrestre comum da humanidade. E quanto ao termo á•bys•sos o que a bíblia diz? Veja agora (Re 20:1-3), notaram? Na bíblia á•bys•sos menciona claramente criaturas espirituais sendo lançadas no abismo evidenciando nitidamente um estado de prisão. Já que espíritos são aprisionados no abismo, não é coerente afirmar do ponto de vista bíblico que Seol ou Hades se limitam ao mesmo lugar, pois sepulturas em cemitérios não aprisionam espíritos. Igualmente também não se refere ao “lago de fogo”, por quê? Vamos ler (Re 20:7, 10). Notaram? A bíblia só usa o termo lago de fogo depois da soltura de Satanás do abismo quando ele é então lançado no lago de fogo que significa destruição! Devido os judeus tradutores da Septuaginta Grega ter usado a palavra á•bys•sos (abismo) para traduzir corretamente a palavra hebraica tehóhm (água de profundeza) nem Gen. 1:2 e 7:11, séculos à frente, o clero da cristandade viu nessa tradução brechas, e de própria iniciativa para harmonizar crenças pagãs e incorporá-las ao cristianismo verdadeiro deturpou o significado da palavra abismo traduzindo-a de forma errada e ensinando que Hades, Seol, Lago de Fogo, Tártaro e Inferno de Fogo são o mesmo lugar, com isso, ocasionaram a confusão e o sincretismo religioso hoje existente.


NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lázaro e o homem rico do Codex Aureus de Echternach).
No Topo:O homem rico festejando enquanto Lázaro pede esmola em sua porta.
No meio do painel: A alma de Lázaro é levada ao paraíso por dois anjos; Lázaro no "seio de Abraão".
Embaixo: A alma do homem rico é levada por dois espíritos para o hades; Ele é torturado no Hades.

Hades é a transliteração comum para o português da palavra grega haídes, usada em várias traduções da Bíblia. Talvez signifique "o lugar não visto" ou "o lugar invisível".

Ocorrências no texto bíblico[editar | editar código-fonte]

A palavra Hades surge dez vezes nos mais antigos manuscritos do Novo Testamento. Esta é a lista das dez ocorrências em dois dos evangelhos, no Atos dos Apóstolos e no Apocalipse:

Hades e Sheol[editar | editar código-fonte]

O termo haídes é o equivalente grego da palavra hebraica she'óhl, usualmente trasnsliterada para o português por Sheol, e aplica-se à sepultura comum da população (em contraste com a palavra grega Táfos, uma sepultura individual). Que ambas possuem o mesmo significado pode ser constatado ao se comparar a primeira tradução efetuada do texto das escrituras hebraicas para o grego na Septuaginta, ou versão dos "setenta", produzida no século III. Esta tradução emprega a palavra haídes sessenta vezes para traduzir a palavra hebraica she’óhl. Em Atos 2:27 ("porque não deixarás a minha alma no Hades...") surge outra evidência disto visto que o escritor usa a palavra grega haídes ao traduzir a citação que o apóstolo Pedro fez de Salmos 16:10 ("porque não deixarás a minha alma no Sheol..."), onde surge a palavra hebraica she’óhl. De modo inverso, várias modernas traduções hebraicas das escrituras gregas cristãs usam a palavra "Sheol" para traduzir Hades em Apocalipse 20:13 ("E o mar entregou os mortos nele, e a morte e o Hades entregaram os mostos neles, e foram julgados individualmente segundo as suas ações), 20:14 (E a morte eo Hades foram lançados no lago do fogo...") e a tradução siríaca usa a palavra aparentada "Shiul".

Existe ainda uma outra palavra grega que surge doze vezes no texto bíblico e que é às vezes confundida com Hades. Trata-se da palavra grega géenna (uma forma grega do termo hebraico Geh Hinnóm ou "Vale de Hinom") e usualmente transliterada em português para Geena.

Como algumas traduções bíblicas vertem as palavras Hades e Sheol[editar | editar código-fonte]

  • A versão "Almeida", edição revista e corrigida, traduz haídes por "inferno" nos primeiros três e nos últimos quatro destes versículos. Nos outros três traduz por "Hades". No caso de she’óhl, esta tradução bíblica é mais abrangente vertendo em diversos locais por "inferno" e em outros por "sepultura", "sepulcro", ou "cova".
  • A versão "Bíblia de Jerusalém", nova edição revista e ampliada, de 2002, traduz a palavra uma vez por "mansão dos mortos", duas vezes por "inferno", e as restantes sete por "Hades". Usualmente a palavra hebraica she’óhl é transliterada como Xeol.
  • A versão de "Matos Soares", 36ª edição, traduziu haídes tanto por "inferno" como por "habitação dos mortos". Por sua vez, she’óhl é vertido por "inferno", "terra", "morte", "habitação dos mortos", "sepulcro", "sepultura" e transliterou uma vez por "Cheol".
  • A versão "Bíblia Sagrada Missionários da Difusora Bíblica Fransciscanos Capuchinhos", edição de 2002, traduz haídes por "abismo", "inferno", "morada dos mortos", e "habitação dos mortos". Ao traduzir a palavra she’óhl, esta tradução optou por usar expressões tais como "sepultura", "mundo dos mortos", "abismo", "morada dos mortos", "região dos mortos", "habitação dos mortos" ou "túmulo".
  • A versão "Bíblia Pastoral" da Editora São Paulo, edição de 1993, verte haídes por "inferno", "morte", e "região dos mortos", "morada dos mortos", "mundo dos mortos". Quanto a she’óhl usam-se expressões como "túmulo", "mansão dos mortos", "cova" ou "mundo dos mortos".
  • A tradução "Padre António Pereira de Figueiredo", edição de 1900, verte a palavra haídes uniformemente por "inferno" nas dez ocorrências. Por sua vez a palavra hebraica she’óhl é traduzida por "inferno", "infernos", "sepultura" ou "sepulchro".

Confusão sobre o significado do termo Hades[editar | editar código-fonte]

A utilização da palavra "inferno", que com o tempo ficou associada à ideia de tormento ardente, ou a falta de coerência na tradução desta palavra hebraica resultou em alguma confusão na mente dos leitores. Alguns eruditos mencionaram essa confusão nas seguintes declarações:

Muita confusão e compreensão errada foram causadas pelo facto dos primitivos tradutores da Bíblia terem traduzido persistentemente o termo hebraico Sheol e os termos gregos Hades e Geena pela palavra "inferno". A simples transliteração destas palavras por parte dos tradutores das edições revisadas da Bíblia não bastou para eliminar apreciavelmente esta confusão e equívoco.[1] .

Sobre a associação da palavra "Hades" com um inferno de fogo, lugar de tormentos para as pessoas após a sua morte física, o glossário da Nouvelle Version da Sociedade Bíblica Francesa observa sob a expressão "habitação dos mortos": "Esta expressão traduz a palavra grega Hades, que corresponde à hebraica Sheol. É o lugar onde os mortos se encontram entre o seu falecimento e a sua ressurreição (Lucas 16:23; Atos 2:27-31; Apocalipse 20:13-14). Certas traduções verteram esta palavra erroneamente por inferno."

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Encyclopedia Americana, 1942, Vol. XIV, p. 81)