Hades (Bíblia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lázaro e o homem rico do Codex Aureus de Echternach).
No Topo:O homem rico festejando enquanto Lázaro pede esmola em sua porta.
No meio do painel: A alma de Lázaro é levada ao paraíso por dois anjos; Lázaro no "seio de Abraão".
Embaixo: A alma do homem rico é levada por dois espíritos para o hades; Ele é torturado no Hades.

Hades é a transliteração comum para o português da palavra grega haídes, usada em várias traduções da Bíblia. Talvez signifique "o lugar não visto" ou "o lugar invisível".

Ocorrências no texto bíblico[editar | editar código-fonte]

A palavra Hades surge dez vezes nos mais antigos manuscritos do Novo Testamento. Esta é a lista das dez ocorrências em dois dos evangelhos, no Atos dos Apóstolos e no Apocalipse:

Hades e Sheol[editar | editar código-fonte]

O termo haídes é o equivalente grego da palavra hebraica she'óhl, usualmente trasnsliterada para o português por Sheol, e aplica-se à sepultura comum da população (em contraste com a palavra grega Táfos, uma sepultura individual). Que ambas possuem o mesmo significado pode ser constatado ao se comparar a primeira tradução efetuada do texto das escrituras hebraicas para o grego na Septuaginta, ou versão dos "setenta", produzida no século III. Esta tradução emprega a palavra haídes sessenta vezes para traduzir a palavra hebraica she’óhl. Em Atos 2:27 ("porque não deixarás a minha alma no Hades...") surge outra evidência disto visto que o escritor usa a palavra grega haídes ao traduzir a citação que o apóstolo Pedro fez de Salmos 16:10 ("porque não deixarás a minha alma no Sheol..."), onde surge a palavra hebraica she’óhl. De modo inverso, várias modernas traduções hebraicas das escrituras gregas cristãs usam a palavra "Sheol" para traduzir Hades em Apocalipse 20:13 ("E o mar entregou os mortos nele, e a morte e o Hades entregaram os mostos neles, e foram julgados individualmente segundo as suas ações), 20:14 (E a morte eo Hades foram lançados no lago do fogo...") e a tradução siríaca usa a palavra aparentada "Shiul".

Existe ainda uma outra palavra grega que surge doze vezes no texto bíblico e que é às vezes confundida com Hades. Trata-se da palavra grega géenna (uma forma grega do termo hebraico Geh Hinnóm ou "Vale de Hinom") e usualmente transliterada em português para Geena.

Como algumas traduções bíblicas vertem as palavras Hades e Sheol[editar | editar código-fonte]

  • A versão "Almeida", edição revista e corrigida, traduz haídes por "inferno" nos primeiros três e nos últimos quatro destes versículos. Nos outros três traduz por "Hades". No caso de she’óhl, esta tradução bíblica é mais abrangente vertendo em diversos locais por "inferno" e em outros por "sepultura", "sepulcro", ou "cova".
  • A versão "Bíblia de Jerusalém", nova edição revista e ampliada, de 2002, traduz a palavra uma vez por "mansão dos mortos", duas vezes por "inferno", e as restantes sete por "Hades". Usualmente a palavra hebraica she’óhl é transliterada como Xeol.
  • A versão de "Matos Soares", 36ª edição, traduziu haídes tanto por "inferno" como por "habitação dos mortos". Por sua vez, she’óhl é vertido por "inferno", "terra", "morte", "habitação dos mortos", "sepulcro", "sepultura" e transliterou uma vez por "Cheol".
  • A versão "Bíblia Sagrada Missionários da Difusora Bíblica Fransciscanos Capuchinhos", edição de 2002, traduz haídes por "abismo", "inferno", "morada dos mortos", e "habitação dos mortos". Ao traduzir a palavra she’óhl, esta tradução optou por usar expressões tais como "sepultura", "mundo dos mortos", "abismo", "morada dos mortos", "região dos mortos", "habitação dos mortos" ou "túmulo".
  • A versão "Bíblia Pastoral" da Editora São Paulo, edição de 1993, verte haídes por "inferno", "morte", e "região dos mortos", "morada dos mortos", "mundo dos mortos". Quanto a she’óhl usam-se expressões como "túmulo", "mansão dos mortos", "cova" ou "mundo dos mortos".
  • A tradução "Padre António Pereira de Figueiredo", edição de 1900, verte a palavra haídes uniformemente por "inferno" nas dez ocorrências. Por sua vez a palavra hebraica she’óhl é traduzida por "inferno", "infernos", "sepultura" ou "sepulchro".

Confusão sobre o significado do termo Hades[editar | editar código-fonte]

A utilização da palavra "inferno", que com o tempo ficou associada à ideia de tormento ardente, ou a falta de coerência na tradução desta palavra hebraica resultou em alguma confusão na mente dos leitores. Alguns eruditos mencionaram essa confusão nas seguintes declarações:

Muita confusão e compreensão errada foram causadas pelo facto dos primitivos tradutores da Bíblia terem traduzido persistentemente o termo hebraico Sheol e os termos gregos Hades e Geena pela palavra "inferno". A simples transliteração destas palavras por parte dos tradutores das edições revisadas da Bíblia não bastou para eliminar apreciavelmente esta confusão e equívoco.[1] .

Sobre a associação da palavra "Hades" com um inferno de fogo, lugar de tormentos para as pessoas após a sua morte física, o glossário da Nouvelle Version da Sociedade Bíblica Francesa observa sob a expressão "habitação dos mortos": "Esta expressão traduz a palavra grega Hades, que corresponde à hebraica Sheol. É o lugar onde os mortos se encontram entre o seu falecimento e a sua ressurreição (Lucas 16:23; Atos 2:27-31; Apocalipse 20:13-14). Certas traduções verteram esta palavra erroneamente por inferno."

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Encyclopedia Americana, 1942, Vol. XIV, p. 81)