Halitose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde setembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.

Halitose ou mau hálito é a exalação de odores desagradáveis oriundos da cavidade bucal através da respiração, sendo que em 90% dos casos, a saburra lingual é a causa do problema. Recebe também os nomes populares de bafo.

Como o olfato se adapta rapidamente a qualquer odor constante, o portador de halitose acostuma-se com o próprio hálito, não sendo capaz de perceber o seu problema.

A expressão bafo de onça é a gíria para descrever pessoas com halitose, isso decorre da percepção de que as onças, que são animais carnívoros, mantém pequenas quantidades da carne de suas presas entre os dentes, que apodrecem com o passar do tempo e formam portanto um odor insuportável.

Causas[editar | editar código-fonte]

A halitose é um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio e deve ser identificado e tratado. Existem mais de 50 causas e, em aproximadamente 90% dos casos, se manifestam na boca.

Pode ser de origem fisiológica (hálito da manhã, jejum prolongado, dietas inadequadas...), razões locais (higiene bucal deficiente, placas bacterianas retidas na língua (saburra) e/ou amígdalas, baixa produção de saliva, doenças da gengiva...) ou mesmo razões sistêmicas (diabetes, problemas renais ou hepáticos, prisão de ventre e outros).

Alimentos[editar | editar código-fonte]

Alimentos muito temperados como alho, cebola, pimenta ou qualquer outro alimento de forte odor, podem causar halitose. O mau hálito poderá acentuar quando os resíduos alimentares se acumulam entre os dentes, nas pontes dentárias ou mesmo nas dentaduras.

Bactérias[editar | editar código-fonte]

As bactérias que vivem na boca acabam por proliferar devido aos resíduos de comida que ficam entre os dentes. Acumulam na língua, gengivas, palato e garganta. Como os resíduos fermentam, seus subprodutos geram gás sulfeto de hidrogênio, o mesmo gás presente nos ovos podres. Essas bactérias se proliferam muito na parte posterior da língua, criando aquele muco esbranquiçado que geralmente constatamos ao acordar pela manhã.

A saliva é a defesa natural. Ela lava a cavidade bucal e permite a lubrificação necessária para manter as gengivas e mucosas saudáveis. Ela combate a bactéria bucal que causa mau hálito. Essas bactérias são anaeróbicas, isto é, elas sobrevivem em locais onde tem pouco ou nenhum oxigênio. A saliva, dentre outras coisas, contém excesso de oxigênio que eliminam essas bactérias.

O cheiro desagradável que se manifesta quando acordamos procede da boca seca durante o sono, como também dos pulmões devido a presença de corpos cetônicos, provenientes da queima de gordura. As glândulas salivares restringem ao mínimo sua produção durante as horas do sono, porque não estamos acordados e comendo. A boca resseca, e as bactérias multiplicam-se, fazendo com que o mau hálito seja mais forte.

Causas sistêmicas[editar | editar código-fonte]

Uma dentre as várias causas de mau hálito em humanos e animais pode ser o desequilíbrio da trimetilamina durante o processo digestivo.[1] A trimetilaminuria é uma desordem genética na qual o corpo é incapaz de metabolizar a trimetilamina dos alimentos. Os pacientes com tal problema desenvolvem um típico odor de peixe no suor, na urina e no hálito, principalmente após o consumo de alimentos ricos em colina. A trimetilaminuria é uma desordem autossômica recessiva que envolve uma deficiência de oxidase da trimetilamina.

Evitar alguns tipos alimentos pode ajudar a diminuir seus efeitos, já que não existe cura para o problema.

Mau hálito e estômago[editar | editar código-fonte]

Pesquisas efetuadas pela Associação Brasileira de Halitose, (ABHA) concluíram que é um mito que mau hálito teria origem no estômago. Segundo esta pesquisa isso raramente acontece e constatou-se ainda que este engano ainda persiste entre muitos profissionais da área de saúde.

A polêmica existe porque associou-se estômago vazio com halitose. É verdade, mas é um fenômeno passageiro. Quando se permanece mais de quatro horas sem se alimentar, o corpo sofre com hipoglicemia. Ou seja, existe uma diminuição na quantidade de açúcar para o organismo queimar. Desta forma o organismo passa a consumir o ácido graxo (gordura), que está presente na corrente sanguínea.

O problema é que ele possui um odor fétido e é volátil. Quando o indivíduo expira e acontece a troca de gases no pulmão – oxigênio e gás carbônico –, o cheiro ruim do ácido graxo é eliminado. É justamente por isso que a maioria das pessoas tem halitose pela manhã. Mas basta se alimentar e o mau cheiro desaparece.

Parte do hálito alterado pode se dar devido a liberação de corpos cetônicos, dando origem ao hálito cetônico.

Dicas para saber se você tem mau hálito[editar | editar código-fonte]

  1. Fazer um auto-exame na língua, diante de um espelho, para verificar se há saburra lingual, que é uma espécie de massa esbranquiçada ou amarelada, que se deposita na parte de trás (dorso posterior) da língua;
  2. Perguntar a uma criança (ou alguém de sua confiança, ex: pai, mãe) se ela sente em você algum mau odor bucal (as crianças e os pais geralmente são muito sinceros e não têm vergonha de dizer o que pensam);
  3. Consultar um profissional apto a tratar halitose, pois ele tratará a causa e o efeito do problema. Tendo o profissional a máquina Japonesa OralChroma ou o Halímetro (equipamentos que medem o hálito).

Saburra lingual[editar | editar código-fonte]

É a massa composta de células descamadas da boca, bactérias, muco da saliva e restos alimentares que aderem à superfície da língua. Ela é responsável por grande parte dos tipos de halitose. O maior desafio é descobrir por que ela está se formando, pois mesmo realizando a limpeza da língua corretamente, algumas pessoas poderão continuar a apresentar formação acentuada de saburra.

Outras causas do mau hálito[editar | editar código-fonte]

Os especialistas concordam em pelo menos um ponto: stress e medicamentos (em especial os controlados, como os antidepressivos) são também responsáveis pelo mau hálito. Eles inibem a produção de saliva, o que aumenta a quantidade da proteína mucina. Ela atrai restos de alimentos e, dessa maneira, forma-se na língua uma camada branca, chamada saburra, onde proliferam bactérias que lançam o gás sulfídrico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Odontologia