Hambúrguer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde fevereiro de 2011).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Hambúrguer com os ingredientes típicos: pão, carne, e vegetais.

O hambúrguer é uma espécie de sanduíche de carne (quase sempre bovina) moída e cozida (frita, grelhada etc). Por ser geralmente servido entre duas metades de pão, formando um sanduíche, é esse, por extensão, o seu significado mais comum. Pode ser acompanhado por condimentos e outros ingredientes também colocados dentro do pão, como cebola, alface, tomate, ketchup, queijo fatiado, bacon etc. O hambúrguer é um sanduíche popular em quase todo o mundo, sendo vendido por grandes franquias multinacionais.

A História do Hambúrguer[editar | editar código-fonte]

O hambúrguer, apesar de tido e havido como uma instituição norte-americana, só chegou ao país, pelas mãos de imigrantes alemães, vindos dos arredores de Hamburgo.

A história deste bife de carne moida começou no fim do século XVII, quando tribos nômades da Ásia Ocidental desenvolveram a técnica de temperar a carne bovina, finamente picada, a fim de evitar seu perecimento. A iguaria teve bastante aceitação, uma vez que dispensava o manuseio do fogo nos acampamentos.[carece de fontes?]

Marinheiros alemães que faziam a rota do Báltico conheceram a receita, porém, torceram o nariz para a carne crua. Levaram, então, a idéia para casa, mas passaram a cozinhar a carne. O sucesso foi tal que rapidamente virou um prato típico da culinária alemã.

No século XIX, quando a América recebia seus novos descobridores, os navegadores que partiam da cidade alemã de Hamburgo traziam a tradicional receita, que recebeu o nome de hamburg style steak (bife ao estilo hamburguês).

Os americanos aperfeiçoaram a receita, acrescentando o pão. Hoje, o hambúrguer é um ícone da culinária americana.

Mas vale enfatizar, que ninguém sabe ao certo à verdadeira história da origem do tão famoso hambúrguer que pode ser encontrado nos mais diversos lugares do mundo, há hipóteses distintas, mas que seguem o mesmo princípio básico: primeiramente era apenas pão e carne e com o passar dos anos foi ganhando aperfeiçoamentos e ingredientes a mais.

Em 1836, no restaurante Del Monico’s, em Nova Iorque, o hambúrguer ganhou, pela primeira vez, estatuto de iguaria e passou a constar no cardápio - entre duas fatias de pão, já em formato de sanduíche.

O hambúrguer no Brasil[editar | editar código-fonte]

A introdução do hambúrguer nos costumes do brasileiro deve-se ao americano Robert Falkenburg, campeão de tênis em Wimbledon, que abriu em 1952, na cidade do Rio de Janeiro, a primeira lanchonete, a Bob's, e que seguia os padrões americanos. Também foram introduzidos o milk shake e o sundae. Esta lanchonete passou a fazer parte da crônica social do Rio e do Brasil, sendo frequentada por celebridades da época, como o compositor Villa Lobos, o músico de jazz Booker Pittman, entre muitos outros.[1]

O hambúrguer no mundo[editar | editar código-fonte]

O sanduíche que nasceu no lombo de um cavalo popularizou-se bastante, tendo caído no gosto das mais diversas culturas. Países com costumes diferentes têm adotado o hábito de hambúrguer com adaptações para os costumes locais. Na Índia, por exemplo, utiliza-se carne de carneiro no lugar da bovina; nas regiões onde a religião muçulmana é predominante, uma rede de lanchonetes proje(c)ta suas lojas com salões separados para mulheres solteiras e famílias, cada um com caixas para pagamento e pedido para que não haja encontros não permitidos pelos costumes. Quatro vezes por dia as lojas cessam as a(c)tividades para dar lugar ao momento de prece.

Há também variações no tipo e qualidade de carne utilizadas: hambúrguer de picanha, de fraldinha, de frango, de peru, de peixe entre outros.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Wimpy, ou Dudu, um dos amigos do Popeye, numa tira de quadrinhos de 1931; ele tinha uma fome incessante por hambúrgueres.

Durante o período pós-guerra, o hambúrguer era muito famoso, inclusive na cultura popular. Um exemplo disso era o frequente aparecimento de hamburgueres no quadrinho Popeye de E. C. Segar, cujo protagonista era o Marinho Popeye que comia espinafre para sustentar sua força sobre-humana; sua primeira aparição, contudo, foi como personagem coadjuvante em 17 de janeiro de 1929 ao lado de outros personagens, incluindo J. Wellington Wimpy (muitas vezes abreviado para apenas "Wimpy" e conhecido no Brasil como Dudu), um guloso educado que era apaixonado por hambúrgueres. Sua frase marcante, "Pagarei com prazer na terça, por um hamburguer hoje!" (em inglês I'll gladly pay you tomorrow for a hamburger today) tornou-se famosa. Durante o auge de sua popularidade nos anos 1930, Dudu passou uma imagem de que os hambúrgueres eram saudáveis para a juventude da época, e sua fama resultou na criação de uma cadeia de restaurantes fast food chamada Wimpy a sua homenagem, que vendia hambúrgueres por dez centavos.[2]

Logo muitos outros personagens de ficção ficaram associados ao hambúrguer, como o Ronald McDonald, um palhaço desenhado por Willard Scott que surgiu pela primeira vez na televisão americana em 1963,[3] e tornou-se famoso. Na década de 1960 o hambúrguer era citado em quadrinhos undergrounds como o Zap Comix#2 do desenhista Robert Crumb, onde havia um personagem chamado "Hamburger Hi-Jinx". No final dessa década, a arte pop utilizou o hambúrguer como elemento artístico, em trabalhos de Andy Warhol (Dual Hamburger), Claes Oldenburg (Floor Burger), Mel Ramos (Vinaburger, 1965), e mais recentemente, David LaChapelle (Death by Hamburger, 2002).

A nave estelar conhecida como Millennium Falcon, projetada por George Lucas para o Star Wars, foi baseada num formato de hambúrguer.[4] Outras mídias também fazem ou fizeram frequentes aparições ou citações de hambúrgueres, como o jogo BurgerTime de 1982.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Os sanduiches beirute, americano, cheeseburger e outros sanduíches ganharam os cardápios das lanchonetes a partir do século XIX. Com a Revolução Industrial, houve popularização dos almoços rápidos para trabalhadores das cidades grandes. Com as jornadas de trabalho cada vez mais extensas, o sanduíche passou a ser uma opção mais prática, apesar de pouco nutritiva.

Entretanto, a idéia de colocar algum recheio no pão é bem mais antiga. Antes de Cristo, nos antigos rituais de Pessach, a páscoa judaica, já se fazia uma mistura de pão com alguns tipos de embutidos. Em inúmeras culturas, come-se a massa misturada com alguma coisa; o próprio formato do pão é adequado para isto. Apesar do costume ancestral, a fama - e o nome - do sanduíche vieram em 1762, com o inglês John Montagu, o conde de Sandwich, uma vila da Inglaterra. Reza a lenda que ele comia fatias de pão com salame para não precisar interromper as partidas de bridge, jogo de cartas popular entre os britânicos.

Desde então, a variedade de sanduiches aumentou. O hambúrguer, receita mais famosa de todas, popularizou-se nos Estados Unidos no final do século XIX, provavelmente levado por imigrantes alemães, e ganhou o mundo em meados do século XX, com o surgimento das grandes redes mundiais de fast-food. A partir dessa fórmula básica, surgiram variações e o sanduíche ganhou apelidos diferentes, de acordo com o recheio.

Algumas receitas[editar | editar código-fonte]

Sanduíches e condimentos:

Americano[editar | editar código-fonte]

  • INGREDIENTES: pão francês, queijo, presunto, ovo frito, alface e tomate
  • CALORIAS: 418

Nos anos 1940, os donos da lanchonete Salada Paulista, em São Paulo, aprimoraram o misto-quente (criado por lá mais ou menos na mesma época), pondo alface, ovo e bacon. Brasileiríssimo, o sanduíche americano ganhou esse nome em homenagem à dupla ovo e bacon, popular nos Estados Unidos. Com o tempo, o bacon deixou de fazer parte da receita.

Bauru[editar | editar código-fonte]

  • INGREDIENTES: pão francês, queijo, rosbife e tomate
  • CALORIAS: 252

O estudante Casimiro Pinto Neto, de Bauru, no interior paulista, freqüentava a lanchonete Ponto Chic, no centro de São Paulo. Um dia, no ano de 1939, pediu ao cozinheiro que preparasse um sanduíche com os ingredientes da receita original que leva: rosbife, pão francês, fatias de tomate, picles e queijo derretido. A combinação acabou sendo batizada com o nome da cidade do "inventor".

Cheeseburger[editar | editar código-fonte]

Cheeseburger
  • INGREDIENTES: pão, hambúrguer, queijo
  • CALORIAS: 289

Apesar de alguns americanos terem vendido pães recheados com hambúrgueres e queijo na década de 1920, Louis Ballast, dono da lanchonete Humpty Dumpty, em Denver, no estado do Colorado, nos Estados Unidos registrou a patente do cheeseburger em 1935. No Brasil é chamado de X-burguer.

Beirute[editar | editar código-fonte]

O verdadeiro inventor é desconhecido, mas há algumas pistas sobre a origem do sanduíche. O pão especial, também chamado de pão sírio, foi trazido para São Paulo no início do século XX pelos imigrantes árabes. A partir de então, o sanduíche feito com o pão achatado ganhou esse nome dos paulistanos em homenagem aos nativos da capital libanesa.

Mostarda e ketchup[editar | editar código-fonte]

  • CALORIAS: 8 (por sachê de 8 gramas)

Além de serem pouco calóricos, os dois condimentos tem outra coisa em comum: ambos são antigos. A mostarda já era usada por povos antigos antes de Cristo, os romanos foram os primeiros a fazer uma pasta com as sementes espremidas. Já o primeiro ketchup não tinha tomate: era uma salmoura que os chineses usavam para temperar peixes, chamada ke-tsiap.

Maionese[editar | editar código-fonte]

  • CALORIAS: 25 (por sachê de 8 gramas)

A maionese surgiu na França em 1756, para comemorar a vitória no início da Guerra dos Sete Anos contra a Inglaterra. A lenda diz que o molho feito com ovos surgiu depois da tomada do castelo de Saint Philip, localizado em Mahón - daí o nome original mahonnaise.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Hambúrguer

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Veja, ed. 318. "Especial - Histórias cariocas". Acessado em 21 de novembro, 2010.
  2. Smith, Andrew F. (2006). Encyclopedia of junk food and fast food (1ª ed.). Greenwood Press. ISBN 0313335273.
  3. (em inglês) "Big Burger Business: McDonald's and Burger King". Heavyweights. Food Network. Acessado em 21 de novembro, 2010.
  4. (em inglês) "Star Wars: Databank: Millennium Falcon (Behind the Scenes)". starwars.com. Acesso: 21 de novembro, 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.