Hans Georg von Arnim-Boitzenburg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hans Georg von Arnim-Boitzenburg
Fotogravura de 1900 retratando Hans Georg von Arnim, a partir de uma gravura de P. Aubry, cerca de 1650.
Nascimento 1583
Boitzenburg, Uckermark
Morte 28 de abril de 1641 (58 anos)
Dresden
Nacionalidade Alemanha alemã
Ocupação marechal, diplomata

Hans Georg von Arnim-Boitzenburg (Boitzenburg, Uckermark, 1583 - Dresden, 28 de abril de 1641) muitas vezes referido como Johann Georg von Arnim, foi um general alemão. Em momentos diferentes durante a Guerra dos Trinta Anos, foi marechal do Sacro Império Romano, e marechal de campo do seu oponente, o Eleitorado da Saxônia. Executou também várias tarefas como diplomata.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Arnim nasceu em Boitzenburger Land, Brandemburgo. Estudou depois em Frankfurt an der Oder, Leipzig e Rostock. De 1613 a 1617 serviu no exército sueco sob o comando do rei Gustavo Adolfo contra a Rússia. Durante alguns anos foi enviado em missão secreta entre Gustavo Adolfo da Suécia e o Eleitor de Brandemburgo para organizar o casamento com Maria Leonor de Brandemburgo, depois, entre 1621 e 1622, com o seu regimento alemão[1] auxiliou o rei da Polônia-Lituânia na luta contra o Império Otomano.

Em 1626, apesar de ser um protestante, foi persuadido por Albrecht von Wallenstein para entrar para o novo exército do Sacro Império Romano. Rapidamente foi promovido ao posto de marechal de campo, e ganhou a estima de seus soldados, bem como a de seu comandante, de quem se tornou amigo próximo e aliado fiel. Este apego a Wallenstein, e um espírito de tolerância religiosa, foram os motivos que o levaram a ter uma estranha carreira militar e uma inconstância política.

Arnim deixou o serviço imperial em decorrência do Édito da Restituição e da demissão de Wallenstein. Entrou para o exército de João Jorge I da Saxônia, e esteve no comando da ala esquerda do exército de Gustavo Adolfo em Breitenfeld (1631). Invadiu depois a Boêmia, tomou Praga, e foi vitorioso em Nimburg (atual Nymburk), e em 1632 retornou à Saxônia, e depois lutou em Brandemburgo e na Silésia. Foi um dos principais agentes nas negociações entre João Jorge I e Wallenstein, que foram encerradas com a morte deste último em 1634. Depois disso, Arnim derrotou o exército imperial em Liegnitz e atuou em conjunto com Bauer na Boêmia, mas a partir deste momento se tornou cada vez mais distante dos suecos.

Em protesto contra a Paz de Praga, Arnim deixou as forças saxônicas em 1635. Foi sequestrado por Axel Oxenstierna, por alegadas intrigas com Wallenstein contra a Suécia, e foi levado para Estocolmo em 1637, mas fugiu para Hamburgo em novembro de 1638 e, posteriormente, dedicou-se a libertar a Alemanha da dominação estrangeira. Estava encarregado de uma campanha, como tenente-general das forças imperiais e saxônicas contra os franceses e suecos, quando morreu em Dresden.

Notas

Referências

Wikisource  "Arnim-Boytzenburg, Hans Georg von". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

  • K. G. Helbig, “Wallenstein und Arnim” em Kaumer, ed., Historisches Taschenbuch (1850)
  • K. G. Helbig, “Der Prager Friede,” em Kaumer, ed., Historisches Taschenbuch (1858)
  • E. D. M. Kirchner, Das Schloss Boytzenburg, &c. (1860)
  • Archiv für die sachsische Geschichte, volume 8. (1870)
  • "Arnim, Johann Georg". The American Cyclopædia. 1879.
  • Heinz Gollwitzer (1953) "Hans Georg Arnim v. Boitzenburg ". In Neue Deutsche Biographie (NDB). 1. Berlim: Duncker & Humblot. pp. 372 et seq.. (full text online) (em alemão)