Haroldo V da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Harald V da Noruega)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2014).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Haroldo V
Rei da Noruega
Reinado 17 de janeiro de 1991
Presente
Predecessor Olavo V
Esposa Sônia Haraldsen
Descendência
Marta Luísa da Noruega
Haakon, Príncie Herdeiro
Casa Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Pai Olavo V da Noruega
Mãe Marta da Suécia
Nascimento 21 de fevereiro de 1937 (77 anos)
Skaugum, Asker, Noruega
Religião Igreja da Noruega

Haroldo V (Asker, 21 de fevereiro de 1937) é o Rei da Noruega desde 1991, sucedendo seu pai Olavo V. Membro da germânica Casa de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg, Haroldo tornou-se o primeiro príncipe da Noruega a nascer em solo norueguês desde o rei Olavo IV em 1340. Ele o chefe formal da Igreja da Noruega e das Forças Armadas da Noruega. Haroldo tem dois filhos com sua esposa Sônia Haraldsen: Marta Luísa e Haakon, Príncie Herdeiro.

Primeiro anos[editar | editar código-fonte]

Família real norueguesa
Casa de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
Royal Arms of Norway.svg

SM o Rei
SM a Rainha

O príncipe Haroldo nasceu em Skaugum, em Asker, a propriedade oficial de seu pai, o então príncipe herdeiro Olavo, e de sua mãe, a princesa consorte Marta, uma neta de Oscar II da Suécia. Ele tem duas irmãs mais velhas, as princesas Ragnhild e Astrid.

O jovem príncipe foi batizado na capela real do Palácio Real, em Oslo, a 31 de março de 1937, pelo bispo Johan Lunde.

Em abril de 1940, quando a Noruega foi invadida pelos nazistas, Haroldo, sua mãe e suas irmãs partiram, de comboio, em uma jornada dramática, para a Suécia. O príncipe herdeiro Olavo e seu avô, o rei Haquino VII, ficaram na Noruega até 10 de abril, quando se juntaram ao resto da família, mas logo depois retornaram ao país.

O príncipe Haroldo passou os dias seguintes no vilarejo de Sälen, antes de se mudar para a residência do duque de Östergötland, seu tio, em Frötuna, em 16 de abril. Em 26 de abril, o grupo mudou-se para o palácio de Drottningholm, em Estocolmo. Acredita-se que o rei Gustavo V da Suécia tinha uma boa relação com seus hóspedes noruegueses. Entretanto, políticos suecos influentes, como o ministro da Justiça, queriam que a princesa consorte e que o príncipe Haroldo fossem mandados de volta à Noruega, para que ele pudesse ser proclamado rei pelos alemães. Em 7 de junho, o rei da Noruega e o príncipe herdeiro tiveram que deixar a Noruega, mas achavam que a Suécia não era o melhor lugar para manter o resto da família. Em 17 de agosto, a princesa consorte e seus três filhos partiram do porto de Pechenga, na Finlândia, para Washington D.C., nos Estados Unidos, a bordo do navio americano American Legion.

Haroldo, sua mãe e suas irmãs viveram em Washington até o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Seu pai e seu avô residiram em Londres, juntamente com o governo exilado. Em 1943, o príncipe foi matriculado em White Hall Country School.

Tendo regressado à Noruega, junto com sua família, Haroldo foi estudar em Smestad, uma escola pública. Em 1955, terminou o ensino secundário na Escola da Catedral de Oslo e, no outono daquele ano, começou seus estudos na Universidade de Oslo. Mais tarde, o príncipe foi para uma escola de oficiais de cavalaria em Trandum, seguido por um treinamento na Academia Militar Norueguesa, pela qual se graduou em 1959.

Em 1960, Haroldo entrou em Balliol College, na Universidade de Oxford, onde estudou história, economia e política, até 1962. Durante seus dias de estudante em Oxford, demonstrou entusiasmo por remo. Também em 1960, ele realizou sua primeira jornada oficial no exterior, visitando os Estados Unidos, na altura da comemoração do décimo quinto aniversário da Fundação Escandinava Americana. Amante da vela, chegou a representar o seu país em diversos eventos internacionais. Transportou a bandeira da Noruega nos Jogos Olímpicos de Tóquio 1964. Participou também dos jogos da Cidade do México 1968 e Munique 1972. Venceu duas importantes regatas em 1968 e em 1972, a de Gullpokalen e a de Kiel, respectivamente. Foi o segundo classificado no campeonato do mundo[desambiguação necessária] de meia tonelada, em 1982. Em 1988, venceu, com a sua tripulação, uma regata em San Francisco. Em 2005, venceu, com a sua tripulação, o campeonato da Europa em meia vela, com o barco "Fram XV".

Reinado[editar | editar código-fonte]

O rei Haquino VII, seu avô, faleceu em 21 de setembro de 1957. Nessa data, Haroldo tornou-se príncipe herdeiro. Como tal, conheceu cedo a responsabilidade do poder, ao exercer a regência em 1958, em substituição de seu pai, Olavo V.

É trineto de Vitória do Reino Unido e bisneto de Eduardo VII do Reino Unido, através de sua avó materna, Maud de Gales, que era filha de Eduardo. Sendo bisneto do rei Eduardo VII, encontra-se na 61ª posição da linha de sucessão ao trono britânico. É primo de segundo grau da rainha Isabel II. É também bisneto de Frederico VIII da Dinamarca e de Óscar II da Suécia.

Haroldo V é considerado o monarca europeu mais "pobre": possui um patrimônio estimado em 133 milhões de dólares [1] .

Em 2007, recebeu a medalha conhecida como Holmenkollmedaljen, outorgada a diversas personalidades que se tenham distinguido na prática do esqui desde 1895. Sua esposa recebeu na mesma ocasião a mesma condecoração. Seu pai e seu avô também a haviam recebido no passado.

Como monarca, leva a cabo numerosas viagens por toda a Noruega e realiza visitas oficiais de estado em outros países.

Visita a Portugal[editar | editar código-fonte]

A 26 de Maio de 2008, o rei Haroldo V visitou Portugal.[2] Foi recebido em Lisboa pelo presidente da República Portuguesa Cavaco Silva, por quem foi condecorado com o Grande-Colar[3] da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada. Em troca, o rei condecorou o presidente português com a Grã-Cruz da Ordem de Santo Olavo.[4] A visita do rei Haroldo V a Portugal foi marcada por diversas referências ao bacalhau importado da Noruega por Portugal,[5] chegando o monarca a visitar um supermercado onde este era amplamente vendido.

De notar que antes desta visita, Harald V já tinha recebido, a 5 de Novembro de 1980, a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis e, a 13 de Fevereiro de 2004, o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

No último dia da sua visita, encontrou-se com D. Duarte Pio de Bragança, pretendente ao trono português, convidado pela embaixada da Noruega para o jantar oficial das cerimónias de despedida.[6] Antes do jantar, o rei assistiu a um concerto no Convento do Beato, com a participação do flautista Rão Kyao.

Visita ao Brasil[editar | editar código-fonte]

O rei Haroldo chegou à comunidade Watoriki (Demini), situada a 150 km a oeste de Boa Vista, Roraima, na manhã do dia 22 de abril de 2013, quando foi recepcionado pelo líder yanomami, Davi Kopenawa, e pelas 190 pessoas que lá vivem. Durante os quatro dias em que ficou na aldeia, o rei dormiu em rede, comeu carne de caça com beiju, ouviu histórias dos antigos, viu o que os yanomamis cultivam em suas roças e como se relacionam com a Floresta Amazônica. Os yanomamis também lhe contaram sobre as preocupações com a ambição dos brancos pelos minérios que estão sob a terra, o que resulta na invasão e degradação da floresta pelo garimpo ilegal. Também manifestaram seu temor com relação ao projeto de legalização da mineração em Terras Indígenas que tramita no Congresso Nacional. Os yanomamis reafirmaram que para eles somente a floresta em pé interessa e faz sentido. No último dia da visita (25 de abril), houve troca de presentes simbolizando a amizade entre o rei Haroldo V e Davi Kopenawa. O rei deu a Davi um álbum com fotos pessoais, e Davi deu ao rei um bracelete tradicional, que simboliza a beleza e a força dos pajés.[7]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em duas ocasiões, durante anos recentes, o rei Haroldo V esteve ausente como soberano por causa de hospitalizações. A primeira foi de dezembro de 2003 até o meio de abril de 2004, devido a um câncer na bexiga. A segunda foi de abril a junho de 2005, motivada por estenose. O príncipe herdeiro Haquino serviu como regente do país em ambas ocasiões.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Ele desposou uma plebeia, Sônia Haraldsen, em 29 de agosto de 1968, na Catedral de Oslo, um casamento que causou muita controvérsia pública. O casal teve dois filhos:
Nome Nascimento Casamento Seus filhos
Marta Luísa 22 de setembro de 1971 com
Ari Behn
em 24 de maio de 2002
Maud Angelica Behn
Leah Isadora Behn
Ema Behn
Haquino Magno, 20 de julho de 1973 de 1967 com
Mette-Marit
em 24 de abril de 2001
Ingrid Alexandra
Sverre Magno

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Haroldo V da Noruega


Precedido por
Olavo V
Rei da Noruega
1991 - presente
Sucedido por
titular
Herdeiro aparente:
o Príncipe Herdeiro