Harpa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma harpista tocando seu instrumento


A harpa, juntamente com a flauta, é um dos instrumentos mais antigos. Teria se originado dos arcos de caça que faziam barulho ao roçarem na corda. Ela é sempre triangular, lembrando um arco de caça. A harpa é constituída pela caixa de ressonância, coluna, pescoço(s), pedais e cordas.

História[editar | editar código-fonte]

Durante o crescimento do islamismo, durante o século VIII, a harpa viajou do norte da África até a Espanha e rapidamente se espalhou pela Europa. Em torno de 1720 foi inventada a harpa com pedais, um desenvolvimento muito importante para o instrumento. Acredita-se que tenha sido inventada por Celestin Hochbrücker, tendo sido aperfeiçoada mais tarde pelo francês Érard em 1810. Actualmente a harpa sinfônica tem 46 ou 47 cordas paralelas e sete pedais, um correspondente a uma nota para todas as oitavas. As cordas da harpa estão em escala diatônica.

Tem-se conhecimento através de fábulas épicas, poesias e trabalhos de arte, que as harpas existiam séculos antes deCristo, na Babilônia e Mesopotâmia. Foram encontrados desenhos de harpas na tumba do Faraó Egípcio Ramsés III(1198-1166 a.C.), em esculturas da Grécia antiga, em cavernas do Iraque que datam desde2900 a.C. e textos religiosos judaico-cristãos afirmam que a harpa e a flauta existiam antes mesmo do Dilúvio. A harpa rudimentar já era conhecida pelos caldeus, egípcios, gregos e romanos e até hoje, representa um importante papel na cultura de alguns povos africanos da região do Saara, especialmente os Bwiti.

Bíblia[editar | editar código-fonte]

Segundo uma lenda, a harpa foi inventada pelo povo egípcio para tocar as melodias que agradavam seus deuses. Mas segundo a Bíblia, seu fundador foi Jubal. Genesis 4:21.*

E o nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e órgão Gênesis 4:21

Tipos: descrição, vantagens e desvantagens[editar | editar código-fonte]

Harpa sinfônica (ou de pedais de dupla ação)[editar | editar código-fonte]

É a harpa tocada em orquestras. Ela possui cordas afinadas diatonicamente. Mas possui pedais que alteram cada um, o tom da nota (bemol, natural ou sustenido)sendo quatro pedais do pé direito (E (mi), F (fá), G (sol), A (lá)) e três do pé esquerdo (D (ré), C (dó) e B (si)). Por exemplo, ao abaixarmos totalmente um pedal, todas aquelas notas serão sustenidos. Se deixarmos um pedal na posição do meio, logo todas aquelas notas do instrumento serão naturais. Mas se deixarmos um pedal totalmente levantado, todas as notas aquelas notas serão bemol. Os pedais acionam discos de semitom, que giram "diminuindo" o comprimento da corda tal como um dedo numa casa de uma guitarra. Tem uma extensão de aproximadamente seis oitavas e meia. Porém, os pedais geralmente não atuam sobre as duas mais graves cordas (44 ou 47) ou a última (46), porque isso aumentaria ainda mais a tensão do instrumento e para preservá-lo, assim é feito. Logo, na harpa de 47 cordas, a primeira corda é sempre dó e a segunda ré (se assim afinadas). Outro fator relevante: O espaço para adicionar os discos de semitom nas duas primeiras é muito pequeno para tal.

É ótima para músicas modulantes por causa deste mecanismo.

Porém, quanto mais casas se avançam ou se regridem até seis no círculo de quintas, mais trabalhoso é fazer a modulação, pois isso obrigaria ter que mover até 6 pedais. Muitos harpistas se queixam que pelo trabalho de adaptar suas partituras com marcações para pedais. No Brasil, uma harpa de pedais só pode ser adquirida por importação quando nova, custando com impostos de 40 mil a 100 mil reais os modelos básicos a intermediários.

Harpa paraguaia[editar | editar código-fonte]

É um instrumento um tanto popular, falando sobre harpas. Tem um custo muito baixo: no Brasil é facilmente encontrada custando em média 2 mil reais. É excelente para músicas sem modulações. Algumas tem chaves de semitons.

Mas a distância entre a cordas é muito diferente, assim como a espessura das cordas, exigindo que o músico use uma técnica muito divergente a da harpa sinfônica, como por exemplo, tanger as cordas com a unha. Modulações durante a execução é um problema.

Harpa celta e modelos "student"[editar | editar código-fonte]

Estas harpas possuem 'chaves de semitom' que permite mudar o tom da música corda por corda. Isso permite que o músico possa criar sua afinação... mas deixar uma corda dissonante propositalmente, por exemplo. A distância entre as cordas é aceitável, para que se possa usar um desses dois instrumentos para aprender a técnica da harpa de pedais se tratando do uso das mãos, e seus preços são muito menores.

Essas harpas não permitem uma modulação instantânea para todas as cordas, como a harpa de pedais.

Harpa cromática de cordas cruzadas[editar | editar código-fonte]

De 72 a 76 cordas as maiores, são harpas completas, com cordas afinadas cromaticamente. É dotada de dois pescoços: um para as notas naturais e outro para as acidentadas (existem modelos de apenas um, como a vista no Museu Imperial em Petrópolis) e suas cordas se cruzam em uma curva descrita. Com isso, é possível fazer glissandos cromáticos.

Mas já não se pode fazer glissandos diatônicos além do de dó maior. Além disso, a alta tensão das cordas faz com que seu som seja fraco, em relação a harpa de pedais (curiosamente, vemos alguns modelos com pedal abafador) e sua execução é tecnicamente complexa.

Harpistas famosos[editar | editar código-fonte]

Entre os maiores harpistas, pode-se citar Nicolas Bochsa (Montmedy France 1789 - Sydney Australia 1856) e Harpo Marx (November 23, 1893 –September 28, 1964), Gabriel Cavalcante (November 25, 1903 - December 24, 1983), Loreena McKennitt e Órla Fallon (do Celtic Woman). No Brasil, vale destacar Cristina Braga, Vanja Ferreira e Angélica Vianna.

Similares[editar | editar código-fonte]

Harpa a Laser[editar | editar código-fonte]

Jean Michel Jarre tocando harpa a laser, em Helsinki, Finlândia 2009.

Inventada por Bernard Szajner em 1981, a harpa a laser é constituída por uma série de feixes de lasers que, ligados a um sintetizador, sampler ou ao computador, produz sons pela interrupção das linhas luminosas com as mãos. O instrumento foi popularizado pelo músico francês Jean Michel Jarre.[1]

Claviarpa[editar | editar código-fonte]

A claviarpa é um instrumento do século XIX. Suas cordas são afinadas cromaticamente e são tangidas por hastes, acionadas por teclado. Possui ainda um pedal que empurra um pescoço de madeira entre as cordas para a realização dos harmônicos de uma oitava acima.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Harpa

Referências

  1. super.abril.com.br/ 8 instrumentos musicais que talvez você não conheça

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Minidicionário Ruth Rocha, Editora Scipione (Português)
Ícone de esboço Este artigo sobre um Instrumento musical é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.