Harpago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Abril de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Harpago (em grego antigo: Ἅρπαγος; em acadiano: Arbaku; ? - ?) foi um general dos Medos, cujas acções facilitaram o acesso de Ciro II ao trono Medo–Persa. Posteriormente foi sátrapa da Lídia.[1]

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Harpago (em acádio Arbaku) foi um cortesão do rei medo Astiages, cujo reinado se situa aproximadamente entre 585 a.C. e 550 a.C.

O historiador grego Heródoto de Halicarnasso, que é praticamente a única fonte para conhecer Harpago e que no entanto viveu mais de um século depois acontecimentos que relata.

Após da Lídia ser conquistada por Ciro, o Grande, ela teve uma série de sátrapas. Harpago foi sátrapa da Lídia, sucedendo Mazares[1] e sucedido por Oretes.

Heródoto ao conta-nos a história daquele que foi o rei dos povos Medos – Astiages. Fá-lo de uma forma clara embora com alguma fantasia pois os dados concretos nos tempos antigos muitas vezes eram misturados com mitologia e encantamentos numa tentativa de explicar aquilo que nem sempre se podia explicar de uma forma concreta.

Harpago entra na história da Pérsia pelo principal facto de não ter comprido as ordens que recebeu para matar aquele que veio a ser o herdeiro do trono como está descrito na história de Astiages.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.