Harro Schacht

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Harro Schacht
Nascimento 15 de dezembro de 1907
Cuxhaven, Baixa Saxônia
Morte 13 de janeiro de 1943 (35 anos)
Brasil, Oceano Atlântico
Nacionalidade alemão
Serviço militar
Serviço Kriegsmarine
Tempo de serviço 1926-1943
Patente Fregattenkapitän (póstumo)
Comando U-507
Batalhas/Guerras Segunda Guerra Mundial
Condecorações Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 9 de janeiro de 1943

Harro Schacht (Cuxhaven, 15 de dezembro de 1907Atlântico Sul, 13 de janeiro de 1943) foi um oficial da Kriegsmarine que serviu durante a Segunda Guerra Mundial, no comando do submarino U-507.[1]

Tornou-se personagem emblemática na história militar brasileira contemporânea, por ter sido, no comando daquele "u-boot", o responsável pelo afundamento de seis embarcações Brasileiras em agosto de 1942, causando a morte de mais de seiscentas pessoas, fato que levaria o Brasil a declarar guerra ao Eixo naquele mesmo mês.[1]

Quatro dias antes de morrer, junto com toda a tripulação de seu submarino, recebera a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Schacht começou a sua carreira naval em abril de 1926 como um Offiziersanwärter (Aspirante a Oficial), recebendo a promoção para Fähnrich (alferes) em abril de 1928 e Oberfähnrich (cadete) em junho de 1930. Em outubro daquele mesmo ano, graduou-se como Leutnant zur See (segundo-tenente), servindo nos cruzadores ligeiros Emden e Nürnberg, recebendo promoção para Oberleutnant zur See (primeiro-tenente) em 1º de agosto de 1932.[1]

Passou a Kapitänleutnant (capitão-tenente) em 1º de abril de 1936, e,no ano seguinte, foi atuar no gabinete do Alto Comando da Marinha (Oberkommando der Marine). Foi novamente promovido, em 1º de outubro de 1940, a Korvettenkapitän (capitão-de-corveta), quando agregou-se à força dos U-boot, em junho de 1941, servindo em treinamento a bordo do U-552 comandado por Erich Topp.[1]

Em outubro de 1941, ele recebeu o comando do U-507, seu primeiro e único submarino. Sob seu comando, o U-507 afundou 19 navios mercantes, totalizando 77 143 toneladas e danificando outra de 6 561 toneladas.[1]

Durante a sua terceira patrulha no Atlântico Sul, entre os dias 15 e 19 de agosto de 1942, Schacht afundou seis navios brasileiros dentro das águas territoriais daquele país. O governo brasileiro usou estes afundamentos como motivo para declarar guerra à Alemanha, o que o fez em 22 de agosto. Um mês depois, U-507 tomou parte nas operações de salvamento durante o Incidente Lacônia.[1]

Schacht e toda a tripulação do U-507 foram mortos no Atlântico Sul, em 13 de janeiro de 1943 quando um avião norte-americano Catalina afundou o u-boot, com cargas de profundidade.[1]

Recebeu promoção póstuma a Fregattenkapitän (capitão-de-fragata) em 1º de janeiro de 1944. De sua vida privada sabe-se apenas que era casado e possuía residência fixa em Hamburgo. Sabe-se, ainda, que sua casa foi bombardeada em 1943, obrigando sua viúva a mudar-se.[2] A viúva de Schaht mudou-se para Kiel, onde foi localizada em 1971, pelo jornalista brasileiro Mauro Santayana, correspondente estrangeiro do Jornal do Brasil, que a entrevistou, e copiou extratos do diário de bordo de Harro Schaht, para uma matéria publicada no Jornal do Brasil, com a qual ganhou o Prêmio Esso de Reportagem de 1971, intitulada "assim foi iniciada uma guerra".[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Patentes[editar | editar código-fonte]

1 de abril de 1926 Offiziersanwärter
1 de abril de 1928 Fähnrich zur See
1 de junho de 1930 Oberfähnrich zur See
1 de outubro de 1930 Leutnant zur See
1 de agosto de 1932 Oberleutnant zur See
1 de abril de 1936 Kapitänleutnant
1 de outubro de 1940 Korvettenkapitän
1 de janeiro de 1944 Fregattenkapitän (póstumo)

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Cruz Espanhola em Bronze sem Espadas 29 de março de 1940
Cruz de Ferro 2ª Classe 19 de abril de 1940
Cruz de Ferro 1ª Classe 6 de junho de 1942
Distintivo de Guerra U-boot 1939 6 de junho de 1942
Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro 9 de janeiro de 1943[3]

Patrulhas[editar | editar código-fonte]

A história de Harro Schacht, relativamente à guerra submarina, confunde-se com a própria história do U-507.

Navios atacados[editar | editar código-fonte]

Comandos[editar | editar código-fonte]

Comandos Militares
Precedido por
comissionado
Comandante do U-507[4] [5] [6]
8 de outubro de 1941 - 13 de janeiro de 1943
Sucedido por
afundado

Referências

  1. a b c d e f g h i Guðmundur Helgason. Harro Schacht (em inglês) Uboat.net. Visitado em 23 de agosto de 2014.
  2. SANDER, Roberto. op.cit., p.182, 236-237
  3. Fellgiebel 2000, p. 372
  4. Guðmundur Helgason. U-507 (em inglês) Uboat.net. Visitado em 23 de agosto de 2014.
  5. Möller 2004, p. 99
  6. Sharpe 1998, p. 106

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Blair, Clay. Hitler's U-boat War, Vol II (em inglês). New York: Random House, 1998. 820 pp. ISBN 0679457429
  • Busch, Rainer; Hans-Joachim Röll. German U-boat Commanders of World War II: A Biographical Dictionary (em inglês). Annapolis: United States Naval Institute Press, 1999. 301 pp. ISBN 1557501866
  • Fellgiebel, Walther-Peer. Die Träger des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes, 1939-1945: die Inhaber der höchsten Auszeichnung des Zweiten Weltkrieges aller Wehrmachtteile (em alemão). Friedburg: Podzun-Pallas, 2000. 472 pp. ISBN 3-7909-0284-5
  • Möller, Eberhard; Werner Brack. The Encyclopedia of U-Boats: From 1904 to Present (em inglês). Londres: Greenhill Books, 2004. 239 pp. ISBN 1-85367-623-3
  • Sharpe, Peter. U-Boat Fact File: Detailed Service Histories of the Submarines Operated by the Kriegsmarine 1935-1945 (em inglês). Leicester: Midland Publishing, 1998. 224 pp. ISBN 1857800729
  • Scherzer, Veit. Die Ritterkreuzträger: 1939 - 1945 ; die Inhaber des Ritterkreuzes des Eisernen Kreuzes 1939 von Herr, Luftwaffe, Kriegsmarine, Waffen-SS, Volkssturm sowie mit Deutschland verbündeter Streitkräfte nach den Unterlagen des Bundesarchivs, Volume 1 (em alemão). Jena: Scherzers Miltaer-Verlag, 2007. 846 pp. ISBN 978-3-938845-17-2
  • MONTEIRO, Marcelo. "U-507 - O submarino que afundou o Brasil na Segunda Guerra Mundial". Salto (SP): Schoba, 2012.
  • SANDER. Roberto. O Brasil na mira de Hitler: a história do afundamento de navios brasileiros pelos nazistas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Segunda Guerra Mundial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.