Hawk of the Wilderness

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hawk of the Wilderness
A Ilha Selvagem[1]  (PT)
O Falcão da Floresta[2]  (BR)
 Estados Unidos
1938 • PxB • Seriado: 12 capítulos (213 minutos)[3]
Série TV: 6 capítulos de 26½[3]
Versão editada: 100[3] min
 
Direção William Witney
John English
Produção Robert M. Beche
Roteiro Barry Shipman
Rex Taylor
Norman S. Hall
Ridgeway Callow
Sol Shor
William L. Chester (personagem)
Elenco Herman Brix
Ray Mala
Monte Blue
Jill Martin
Noble Johnson
William Royle
Tom Chatterton
Gênero selva
Idioma inglês
Música William Lava
Direção de arte John Victor Mackay (não-creditado)
Efeitos especiais Howard Lydecker
Theodore Lydecker
Cinematografia William Nobles
Edgar Lyons
Edição Edward Todd
Helene Turner
Estúdio Republic Pictures
Distribuição Republic Pictures
Lançamento Estados Unidos 3 de dezembro de 1938 (seriado)[3]
Estados Unidos Anos 1950 (série TV)[3]
Estados Unidos 1966 (versão 100 minutos)[3]
Portugal 13 de abril de 1940[1] Portugal 31 de janeiro de 1955 (relançamento)
Estados Unidos 1966 (Filme TV)
Orçamento $ 117,987 dólares (custo final: $121,168)[3]
Cronologia
Último
Último
Dick Tracy Returns (1938)
The Lone Ranger Rides Again (1939)
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Hawk of the Wilderness é um seriado estadunidense de 1938, produzido pela Republic Pictures em 12 capítulos, e baseado em "Kioga", publicado nas Pulp magazines e escrito por William L. Chester. Kioga é um personagem muito parecido com Tarzan, que Herman Brix também interpretara em 1935, no seriado baseado na história de Edgar Rice Burroughs, The New Adventures of Tarzan.

Foi o 12º dos 66 seriados produzidos pela Republic Pictures, foi dirigido por William Witney e John English, e estrelado por Herman Brix, Ray Mala e Monte Blue. Veiculou nos cinemas estadunidenses a partir de 3 de dezembro de 1938.

Nos anos 1950, Hawk of the Wilderness foi editado para a televisão, em forma de série com 6 capítulos de 26½-minutos.[3] Em 1966, foi editado como filme para TV, com 100 minutos, sob o título Lost Island of Kioga.[3] [4]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Dr Rand, líder de uma expedição a uma ilha desconhecida no Ártico, que pode ser o lar ancestral de todos os nativos americanos, naufraga. Os únicos sobreviventes são o filho do Dr Rand e seu serviçal, o índio Mokuyi. Alguns anos mais tarde, uma mensagem do navio afundando é encontrada e uma expedição parte para encontrar novamente a ilha. Parte da tripulação, liderada pelo traficante Solerno, amotina-se ao chegar à ilha, abandonando o Dr. Munro e sua expedição. Dr Munro e seus companheiros são resgatados por Kioga, o filho já adulto do Dr Rand, que foi criado na ilha por Mokuyi.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Hawk of the Wilderness foi filmado entre 18 de setembro e 13 de outubro de 1938, com locações em High Sierras. O seriado foi orçado em $117,987 dólares, mas seu custo final foi $121,168.[3]

O cão Tuffie foi escolhido quando o seu treinador, durante a entrevista, disse "Tuffie, está escuro aqui dentro. Acenda a luz". Tuffie encontrou o interruptor, puxando uma cadeira para alcançar e ligar o interruptor com sua pata.[5]

As partes silenciosas da série foram filmadas com uma lente de uma polegada. O Cameraman Edgar Lyons tinha inicialmente filmado mais as nuvens no céu do que os atores, com o efeito de corte parcialmente para fora das tomadas. O estúdio reclamou. O Diretor William Witney comprometeu-se a usar a lente em ambos, com as tomadas das nuvens e com os atores. As cenas foram filmadas em silêncio desta forma porque a câmera absorveria mais do ambiente.[5]

Este foi um dos dois seriados de 12 capítulos lançados pela Republic em 1938, o outro foi The Fighting Devil Dogs. A partir desse ano, começou o padrão do estúdio em lançar dois seriados de 12 e dois de 15 capítulos por ano. Este padrão se manteve até 1944, com exceção de 1942, em que foi lançado apenas um seriado de 15 capítulos.

Efeitos especiais[editar | editar código-fonte]

Os efeitos especiais do seriado foram produzidos por Lydecker brothers.

Dublês[editar | editar código-fonte]

  • Ted Mapes .... Kioga (dublando Herman Brix)
  • James Dime
  • George Montgomery
  • Henry Wills

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Cinemas[editar | editar código-fonte]

A data do lançamento oficial de Hawk of the Wilderness' é 3 de dezembro de 1938, apesar de atualmente essa ser considerada a data da liberação do 6º capítulo.[3]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Nos anos 1950, Hawk of the Wilderness foi um dos quatorze seriados da Republic a serem editados para a televisão, em forma de série com 6 capítulos de 26½-minutos.[3]

Esse seriado foi, também, um dos 26 da Republic Pictures a serem editados como filme para televisão em 1966, com o título modificado para Lost Island of Kioga, em versão de 100 minutos de duração.[3]

Crítica[editar | editar código-fonte]

O enterro de Kias, no capítulo final, é considerado por Cline como uma das "poucas tentativas bem sucedidas de drama em seriados"[6] .

Capítulos[editar | editar código-fonte]

  1. Mysterious Island (28min 59s)
  2. Flaming Death (16min 40s)
  3. Tiger Trap (16min 46s)
  4. Queen's Ransom (16min 50s)
  5. Pendulum of Doom (16min 35s)
  6. The Dead Fall (16min 40s)
  7. White Man's Magic (16min 41s)
  8. Ambushed (16min 41s)
  9. Marooned (16min 41s)
  10. Camp of Horror/Caves of Horror (16min 39s)[7]
  11. Valley of Skulls (16min 41s)
  12. Trail's End (16min 40s)

Fonte:[3] [8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. a b IMDB
  2. a b Mattos, A. C. Gomes de. A Outra Face de Hollywood: Filme B. [S.l.]: Rio de Janeiro: Rocco. 105 pp. ISBN 85-325-1496-0
  3. a b c d e f g h i j k l m n Mathis, Jack. Valley of the Cliffhangers Supplement. [S.l.]: Jack Mathis Advertising. 3, 10, 34-35 pp. ISBN 0-9632878-1-8
  4. The Library Serial Features
  5. a b Witney, William (2005). In a Door, Into a Fight, Out a Door, Into a Chase: Moviemaking Remembered by the Guy at the Door. McFarland & Company. ISBN 978-0-7864-2258-6
  6. Cline, William C.. In the Nick of Time. [S.l.]: McFarland & Company, Inc.. p. 37. ISBN 078640471X
  7. "Camp of Horror" é defendido como o título do décimo capítulo em In the Nick of Time, de William C. Cline, enquanto que "Caves of Horror" é defendido como o título em Valley of the Cliffhangers Supplement, de Jack Mathis
  8. Cline, William C.. In the Nick of Time. [S.l.]: McFarland & Company, Inc.. p. 223. ISBN 078640471X

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • MATTOS, A. C. Gomes de (2003), A Outra Face de Hollywood: Filme B, Rio de Janeiro:Rocco. ISBN 85-325-1496-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]