He Was a Quiet Man

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
He Was a Quiet Man
A Fúria (BR)
 Estados Unidos
2007 • cor • 95 min 
Direção Frank Cappello
Roteiro Frank Cappello
Elenco Christian Slater
John Gulager
Elisha Cuthbert
Jamison Jones
Michael DeLuise
Sascha Knopf
William H. Macy
Género drama
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

He Was a Quiet Man (Ele Era Um Homem Quieto) é um filme estadunidense de drama de 2007 escrito e dirigido por Frank Cappello, e produzido por Jason Hallock e Mike Leahy. O filme estrela Christian Slater, Elisha Cuthbert, Jamison Jones e William H. Macy.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Bob Maconel (Christian Slater) tem um emprego medíocre em um escritório, leva uma vida solitária e tem alucinações — como conversar com seu peixinho-dourado (voz de John Gulager) — e ideias recorrentes de matar seus colegas de trabalho, que não lhe dão importância. Bob mantém um revólver e munição em sua gaveta, mas não tem coragem para usá-lo. Um dia, Ralf Coleman (David Wells), um colega seu que também tem um trabalho medíocre, saca uma arma e começa a atirar nos colegas, poupando Bob por se identificar com ele. Bob discute com Coleman sobre dar um segundo tiro na bela Vanessa (Elisha Cuthbert), seu amor platônico, e acaba sacando sua arma e matando Coleman, o que faz com que Bob seja considerado um herói. Bob é promovido a "Vice-Presidente de Pensamento Criativo" e torna-se um alto executivo, ocupando o lugar de Vanessa, que foi salva por ele, e acabou ficando tetraplégica.

Desiludida por não ser mais uma "deusa", Vanessa pede que Bob a jogue nos trilhos do metrô. Bob fica em dúvida e rabisca num papel "devo terminar o trabalho de Coleman?". Bob desiste de jogar Vanessa no metrô e eles descobrem que ela pode mexer o dedo mínimo da mão, o que lhes dá esperança. Logo, Bob e Vanessa começam a namorar, mas Bob ainda está preso às inseguranças do passado, e começa a pensar que, caso Vanessa se recupere, irá deixá-lo por Gene Shelby (William H. Macy), o presidente da empresa, com quem Vanessa teve um caso. Maurice Gregory (John Gulager), o psicólogo da empresa, acha o papel rabiscado por Bob e tenta ajudá-lo, sem sucesso.

É revelado que tudo não passou de uma alucinação de Bob, que teve início no suposto tiroteio inicial. Desta vez, é Bob quem está com um revólver e na posição de seu colega, mas ao invés de atirar nos outros, aponta arma para a cabeça e comete suicídio em frente a Vanessa. Ao revistar seu apartamento, a polícia encontra uma nota de suicídio com os dizeres "você pode me perguntar por que eu fiz o que fiz... mas que escolhas vocês me deram? De que outra forma eu poderia chamar a atenção?". No noticiário, repórteres entrevistam seus vizinhos, que dizem que ele simplesmente era "um cara quieto".

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Cinematografia, Newport Film Festival (1 de maio de 2007)
  • Melhor Atração, Seattle's True Independent Film Festival (5 de junho de 2007)
  • Melhor Diretor, Jackson Hole Film Festival (11 de junho de 2007)
  • Melhor Ator, Goa True Film Festival (9 de outubro de 2009)

Finais alternativos[editar | editar código-fonte]

A versão do DVD contém dois finais alternativos para o filme.

No primeiro, é revelado no tiroteio final que Bob é de fato o atirador e tenta atingir Vanessa, devido à sua frustração de que ela não nota sua existência. Antes de conseguir atirar, Bob é atingido várias vezes no peito por Coleman, que é o verdadeiro herói. Bob cai ao chão e, à medida em que sua vista escurece, ele enxerga seus colegas de trabalho lhe observando de cima; Vanessa é a última que se aproxima e murmura as palavas "eu te amo" antes de Bob morrer.

O segundo final alternativo é uma extensão do primeiro. Quando a vista de Bob começa a escurecer e Vanessa murmura "eu te amo", um bip é ouvido ao fundo. A cena corta então para Bob sentado em seu cubículo em um dia normal de trabalho, e o tiroteio nunca aconteceu. Vanessa aproxima-se de seu cubículo e comenta sobre a dançarina de hula-hula na mesa de Bob, que então faz uma anotação em seu caderno, "Vanessa adorou a dançarina de hula-hula". A imagem então mostra uma série de anotações meticulosas de todos os eventos e interações com Vanessa através dos meses, ou talvez anos. O caderno é fechado e os créditos finais do filme aparecem.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]