Hecatomno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Moneda de Hecatomno

Hecatomno foi um sátrapa da Cária, de 390 a 377 ou 376 a.C..[carece de fontes?]

No segundo ano da 97a olimpíada, Evágoras, rei de Salamina do Chipre, resolveu expandir seus domínios,[1] e iniciou a conquista de toda a ilha.[2] Os cipriotas de Amathus, Soli e Cítio resistiram, e enviaram embaixadores ao rei persa Artaxerxes II, pedindo ajuda, e reclamando que Evágoras havia matado o rei Agyris, aliado dos persas.[2] Artaxerxes encarregou Hecatomno, sátrapa da Cária, de lutar contra Evágoras.[3]

No terceiro ano da 98a olimpíada, porém, Evágoras, em guerra contra Artaxerxes, tem como aliados Acoris, rei do Egito, e Hecatomno, que, secretamente, deu dinheiro a Evágoras para este suportar suas tropas mercenárias.[4]

Hecatomno teve três filhos, Mausolo, Hidrieus e Pixodarus, e duas filhas, Artemísia e Ada.[5] Mausolo se casou com Artemísia, e Hidrieus com Ada.[5]

Mausolo foi o sucessor de Hecatomno,[5] reinou por vinte e quatro anos,[6] e, morrendo sem filhos,[5] deixou o reino para sua irmã e esposa Artemísia.[6] [5] Depois de Artemísia, reinaram Hidrieus, Ada e Pixodarus, que derrubou Ada.[5] Mais tarde, Ada foi restaurada por Alexandre, o Grande.[5]

Referências

  1. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XIV, 98.1
  2. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XIV, 98.2
  3. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XIV, 98.3
  4. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XV, 2.3
  5. a b c d e f g Estrabão, Geografia, Livro XIV, Capítulo 2, 17
  6. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVI, 36.2