Hector Berlioz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hector Berlioz
retrato de Hector Berlioz por Pierre Petit, Paris, 1963
Informação geral
Nome completo Louis Hector Berlioz
Nascimento 11 de dezembro de 1803
Local de nascimento La Côte-Saint-André
 França
Data de morte 8 de março de 1869 (66 anos)
Local de morte Paris
 França
Ocupação(ões) Compositor

Hector Berlioz [ɛktɔʁ bɛʁljoːz], músico romântico, autor da Sinfonia Fantástica e Grande Messe des morts, teve contribuições significativas para a orquestra moderna, com seu Treatise on Instrumentation . Ele criou música para enormes grupos orquestrais para alguns de seus trabalhos, e realizou vários concertos com mais de 1.000 músicos. [ 2 ] Ele também compôs cerca de 50 canções. Sua influência foi fundamental para o desenvolvimento do Romantismo , especialmente em compositores como Richard Wagner , Nikolai Rimsky-Korsakov , Franz Liszt , Richard Strauss , Gustav Mahler e muitos outros. [ 3 ]

Biografia [editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Hector Berlioz nasceu na França em La Côte-Saint-André , no departamento de Isère , perto de Grenoble . [ 4 ] Seu pai, Louis Berlioz, um médico provincial respeitado e estudioso que é amplamente creditado para o primeiro experimentando e registrando o uso de acupuntura na Europa, [ 5 ] foi responsável por grande parte da educação de Berlioz. [ 6 ] Louis era um agnóstico , com uma perspectiva liberal; sua mãe, Marie-Antoinette, era um devota católica romana. [ 7 ] Ele tinha cinco irmãos, ao todo, três dos quais não chegaram à idade adulta. [ 8 ] Os outros dois, Nanci e Adèle, permaneceram perto de Berlioz ao longo da sua vida . [ 9 ]

Berlioz não era uma criança prodígio , ao contrário de alguns outros compositores famosos da época; ele começou a estudar música aos 12 anos, escrevendo pequenas composições e arranjos. Como resultado do desânimo de seu pai, que ele nunca aprendeu a tocar piano, uma peculiaridade que mais tarde foi descrita como benéfica e prejudicial. [ 10 ] Ele se tornou proficiente em guitarra , flautim e flauta . [ 11 ] [ 12 ] Ele aprendeu harmonia de livros didáticos sozinho, pois não foi formalmente treinado. [ 11 ] [ 12 ] A maioria de suas primeiras composições eram romances e peças de câmara . [ 12 ] [ 13 ]

Ainda nos doze anos, como lembrou nas suas Mémoires , ele experimentou a sua primeira paixão por uma mulher, que vivia na casa ao lado, de 18 anos de idade, chamada Estelle Fornier (apelido de solteira DuBoeuf). [ 14 ] [ 15 ] Berlioz parece ter sido inevitavelmente romântico , tendo manifestações características em seus casos de amor, adoração da grande literatura romântica, assim como Shakespeare e Beethoven , [ 16 ] e seu pranto em passagens por Virgílio [ 11 ] (aos doze anos de idade ele tinha aprendido a ler Virgílio em latim e a traduzi-lo em francês, sob a tutela de seu pai).

Vida de estudante[editar | editar código-fonte]

Paris [editar | editar código-fonte]

Em março de 1821, Berlioz deixou a escola em Grenoble, e, em outubro, aos 18 anos, ele foi enviado para Paris para estudar Medicina, [ 17 ] [ 18 ] um campo para o qual ele não tinha interesse e, mais tarde, mostrou nojo imediato após a exibição de um cadáver humano sendo dissecado. [ 14 ] [ 17 ] (Ele dá um relato colorido deste hipisódio nas suas Mémoires .) [ 19 ] Ele começou a tirar proveito das instituições a que agora tivera acesso na cidade, incluindo a sua primeira visita à Ópera de Paris, onde viu Iphigénie en Tauride, de Christoph Willibald Gluck , compositor a quem ele passou a admirar, acima de tudo, ao lado de Ludwig van Beethoven .

Ele também começou a visitar o Conservatório de Paris e o sua biblioteca, em busca de pautas de óperas de Gluck para fazer cópias pessoais de partes delas. Ele lembrou nas Mémoires o seu primeiro encontro com Luigi Cherubini , diretor musical depois do Conservatório. Cherubini tentou jogar o impetuoso Berlioz fora da biblioteca, uma vez que ele não era formalmente um aluno de música na época. [ 20 ] [ 21 ] Berlioz também ouviu duas óperas por Gaspare Spontini, um compositor que o influenciou através de sua amizade, e quem mais tarde defendida quando se trabalha como crítico. A partir de então, dedicou-se à composição. Ele foi encorajado em seus esforços por Jean-François Le Sueur, diretor da Capela Real e professor no Conservatório. Em 1823, ele escreveu um artigo, uma primeira carta ao jornal Le Corsaire defesa do Spontini La vestale . Até agora ele tinha composto várias obras, incluindo Estelle et Némorin e Le passage de la Mer Rouge (A Travessia do Mar Vermelho) - ambos agora dados como perdidos e o último dos quais convenceu Le Sueur a tomar Berlioz como um dos seus alunos particulares [ 14 ]

Apesar da desaprovação de seus pais, [ 16 ] abandonou em 1824 formalmente os seus estudos de Medicina [ 17 ] para perseguir uma carreira na música. Ele compôs a Messe Solennelle. Este trabalho foi ensaiado e revisto após o ensaio, mas não realizada até o ano seguinte. Berlioz mais tarde alegou ter queimado a pauta, [ 22 ] mas foi redescoberto em 1991. [ 23 ] [ 24 ] Mais tarde, naquele ano ou em 1825, ele começou a compor a ópera Les francos-juges , que foi concluída a seguinte ano, mas que não apresentada ao público. O trabalho sobrevive apenas em fragmentos; [ 25 ] a abertura foi muito gravado e às vezes é tocada em concertos.

Berlioz por Pierre Petit

Berlioz por Pierre Petit

Em 1826, ele começou a freqüentar o Conservatório [ 18 ] para estudar composição com Jean-François Le Sueur e Anton Reicha . Ele também apresentou uma fuga para o Prix de Rome, mas foi eliminado na rodada preliminar. Ganhar o prêmio se tornaria uma obsessão até que ele finalmente a ganhou, em 1830, com a apresentação de uma nova cantata todos os anos, até que ele conseguiu em sua quarta tentativa. A razão para este interesse no prêmio não era apenas o reconhecimento académico. O prêmio inclui uma pensão de cinco anos [ 26 ] - renda muito necessária para um compositor em dificuldades. Em 1827, ele compôs a abertura Waverley baseada no romance de Walter Scott [ 18 ] Waverley. Ele também começou a trabalhar como um coro cantado em um teatro de vaudeville, contribuindo para obter mais uma renda. [ 15 ] [ 17 ] Em 11 de setembro do mesmo ano, ele participou de uma produção de companhia de teatro itinerante inglesa no Teatro Odéon, com a atriz irlandesa Harriet Smithson fazendo de Ofélia e Julieta nas peçasde Shakespeare Hamlet e Romeu e Julieta . Ele imediatamente se apaixonou pela atriz [ 16 ][ 18 ]Propenso a impulsos violentos, Berlioz começou a inundar o quarto de hotel de Smithson com cartas de amor um tanto confusas e que a aterrorizava. Seus avanços não o levaram a lugar nenhum. [ 17 ]

Em 1828, Berlioz ouviu as terceira e quinta sinfonias de Beethoven, no Conservatório de Paris  - uma experiência que ele achou esmagadora [ 27 ] Ele também leu o Fausto de Goethe pela primeira vez (em tradução francesa), que se tornaria a sua inspiração para Huit Scènes de Faust (a sua Opus 1), muito mais tarde re-desenvolvidA como La Damnation de Faust . Ele também entrou em contato com Beethoven ovindo quartetos de cordas[ 28 ] e sonatas para piano e reconheceu a importância destes imediatamente. Ele começou a estudar inglês, para que ele pudesse ler Shakespeare. Na mesma época, ele também começou a escrever crítica musical. [ 17 ]

Ele começou e composição final da Sinfonia Fantástica em 1830, uma obra que traria a Berlioz muita fama e notoriedade. Ele entrou em um relacionamento com - e, posteriormente, ficou noiva - de Marie Moke, apesar da sinfonia ser inspirada pela obsessão de Berlioz com Harriet Smithson. Como a sua quarta cantata  submetida ao Prix de Rome estava quase completa, a Revolução de Julho começou. "Eu estava terminando a minha cantata quando estourou a revolução", registrou ele nas suas Mémoires. "Eu fiz as páginas finais da minha partitura orquestral ao som de balas perdidas que ouvia sobre os telhados e o tamborilar na parede do lado de fora da minha janela. No dia 29 eu tinha acabado, e estava livre para sair de Paris até de manhã, de pistola na mão. " [ 29 ] Ele finalmente ganhou o prêmio [ 30 ] [ 31 ] com a cantata Sardanapale . Ele também organizou o hino nacional La Marseillaise em pauta e compôs uma abertura para a peça de Shakespeare A Tempestade , que foi a primeira de suas peças a estrear na Ópera de Paris. Uma hora antes do espetáculo, uma tempestade repentina criou a pior chuva em Paris em 50 anos, ou seja, o desempenho foi feito perante uma casa quase deserta. [ 32 ] Berlioz conheceu Franz Liszt , que também foi assistir ao concerto. Isto provou ser o começo de uma longa amizade. Liszt viria a transcrever toda a Sinfonia Fantástica de piano para permitir que mais pessoas pudessem ouvi-lo.

Itália [editar | editar código-fonte]

Em 30 de dezembro de 1831, Berlioz trocou a França por Roma, conforme solicitado por uma cláusula no Prix de Rome, que exigia que os vencedores passassem dois anos estudando lá. Embora nenhuma das suas principais obras fossem escritas na Itália, as suas viagens e experiências haveriam mais tarde ter influência e inspirar grande parte de sua música. Isso é mais evidente nos aspectos temáticos de sua música, especialmente Harold en Italie(1834), um trabalho inspirado na obra de Lord Byron Childe Harold . Berlioz recordou mais tarde que a sua "intenção era escrever uma série de cenas de orquestra, em que a viola solo estariam envolvidos como participante mais ou menos ativa [com a orquestra], mantendo o seu próprio personagem. Ao colocar-se entre as lembranças poéticas formados de minhas andanças em Abruzzi, eu queria fazer com a viola uma espécie de melancolia sonhadora, à maneira Childe Harold de Byron". [ 33 ]

Enquanto em Roma, ele ficou na Academia Francesa na Villa Medici. Ele achou a cidade de mau gosto, escrevendo: "Roma é a cidade mais estúpida e prosaica que eu conheço. Não é lugar para qualquer um com a cabeça ou o coração no lugar" [ 11 ] Portanto, ele fez um esforço para deixar a cidade o mais rápido possível, fazendo freqüentes viagens para zonas circundantes. Durante uma dessas viagens ele encontrou um grupo de Carbonários. Estes eram membros de uma sociedade secreta de patriotas italianos, com sede em França, com o objectivo de criar uma Itália unificada. [ 34 ]

Litografia de Belioz

Durante a sua estada na Itália, recebeu uma carta da mãe de sua noiva, informando-lhe que ela tinha terminado o noivado, pois a sua filha estava para se casar com Camille Pleyel (filho de Ignaz Pleyel ), um fabricante rico de pianos. Enfurecido, Berlioz decidiu voltar a Paris e se vingar de Pleyel, da sua noiva e da sua mãe, matando todos os três. Ele criou um plano elaborado, indo tão longe a ponto de comprar um vestido, peruca e um chapéu com um véu (com o qual ele estava se disfarçar como uma mulher, a fim de entrar na sua casa). [ 35 ] Ele ainda roubou um par de pistolas duplas de cano da Academia para matá-los, guardando um único tiro para si mesmo. [ 35 ] Planeando a sua acção com grande cuidado, Berlioz comprado frascos de estricnina e láudano [ 35 ] para usar como venenos em caso da pistola encravar.

Apesar deste planejamento cuidadoso, Berlioz não conseguiu levar o plano atéao fim. Quando tinha alcançado Génova , ele "deixou seu disfarce no bolso lateral da carruagem". Após chegar a Nice, (na época, parte da Itália ), ele reconsiderou todo o plano, decidindo que era inadequado e tolo. [ 35 ] Ele enviou uma carta para a Academia em Roma, pedindo que ele seja autorizado a voltar. Este pedido foi aceite, [ 15 ] e preparou-se para a sua viagem de volta.

Antes de retornar a Roma, Berlioz compôs as suas propostas para o Rei Lear em Nice [ 36 ] e Rob Roy , [ 12 ] e começou a trabalhar em uma sequela do Sinfonia Fantástica , Le retour à la vie (O Retorno à Vida) , [ 37 ] renomeado Lélio em 1855.

Após seu retorno a Roma, Berlioz posou para uma pintura do retrato por Émile Signol (concluída em abril de 1832), que Berlioz não consideram ter uma boa semelhança de si mesmo. [ 38 ]

Berlioz continuou a viajar durante a sua estada na Itália. Ele visitou Pompeia , Nápoles , Milão, Tivoli , Florença , Turim e Génova. A Itália foi importante na prestação de Berlioz, com experiências que seriam impossíveis na França. Às vezes, era como se ele próprio foi, na verdade, enfrentando os contos românticos de Byron em pessoa; consorciar bandoleiros, corsários e camponeses. [ 11 ] Ele retornou a Paris em novembro de 1832.

Década de produtividade[editar | editar código-fonte]

Entre 1830 e 1847, Berlioz escreveu muitas de suas obras mais populares e duradouros. [ 24 ] A mais importante delas é a Sinfonia Fantástica (1830), Harold en Italie (1834), oGrande Messe des morts ( Requiem ) (1837) e Roméo et Juliette (1839).

A pintura de uma jovem Berlioz por Émile Signol de 1832.

No retorno de Berlioz para Paris, um concerto incluindo Sinfonia Fantástica (que tinha sido extensivamente revisado na Itália) [ 39 ] e Le retour à la vie foi realizada, com Victor Hugo, Alexandre Dumas, Heinrich Heine, Niccolò Paganini, Franz Liszt, Frédéric Chopin, George Sand, Alfred de Vigny, Théophile Gautier, Jules Janin, Harriet Smithson e outros na platéia. Neste momento, Berlioz também conheceu o dramaturgo Ernest Legouvé que se tornou um seu grande amigo. Poucos dias após a apresentação, Berlioz e Harriet foram finalmente apresentados e entrou em um relacionamento. Apesar de Berlioz não entender inglês falado e Harriet não sabendo nada de francês, [ 15 ] em 3 de outubro de 1833, eles se casaram em uma cerimônia civil na embaixada britânica, com Liszt como uma das testemunhas. [ 36 ] No ano seguinte, seu único filho, Louis Berlioz, nasceu - uma fonte de decepção inicial, ansiedade e eventual orgulho para seu pai. [ 11 ] Infelizmente para Berlioz, ele estava prestes a descobrir que vivem sob o mesmo teto que a amada era muito menos atraente do que a adoração ao longe. O casamento acabou um desastre como ambos eram propensos a conflitos, pelas suas personalidades violentas e explosões de temperamento.

Em 1834, o virtuoso violinista e compositor Niccolò Paganini encomendou a Berlioz um concerto para violino, [ 18 ] com a intenção de estrear como solista. Esta tornou-se a sinfonia para violino e orquestra, Harold en Italie. Paganini mudou de ideias sobre tocar a peça quando viu os primeiros esboços para o trabalho; ele expressou dúvidas sobre a sua falta de complexidade. carece de fontes? ] A estréia da peça foi realizada no final daquele ano. Depois de inicialmente rejeitar a peça, Paganini, como diz Berlioz nas Mémoires, ajoelhou-se diante Berlioz na frente da orquestra, depois de ouvi-lo pela primeira vez e proclamou-o um gênio e herdeiro de Beethoven. [ 40 ] [ 41 ] No dia seguinte, ele mandou a Berlioz um presente de 20.000 francos, [ 15 ] [ 36 ], generosidade que deixou Berlioz estranhamente sem palavras. [ 42 ] Por esta altura, Berlioz decidiu realizar a maior parte de seus próprios concertos, cansado como estava de condutores que não entendiam sua música. Esta decisão lançou o que viria a se tornar uma carreira lucrativa e criativa frutífera na condução música tanto dele próprio e de outros compositores famosos.

Berlioz compôs a ópera Benvenuto Cellini em 1836. Ele estava a gastar muito esforço e dinheiro nas décadas seguintes tentando tê-lo realizado com sucesso. Benvenuto Cellinifoi estreada na Ópera de Paris em 10 de setembro, mas foi um fracasso, devido a um público hostil. [ 30 ] [ 37 ] Uma de suas peças mais duradouras a seguir a Benvenuto Cellini - aGrande Messe des morts , foi tocada pela primeira vez em Les Invalides [ 43 ] , em dezembro do mesmo ano. [ 44 ] Sua gestação foi difícil; porque foi uma obra encomendada pelo Estado[ 31 ] [ 41 ] e muito burocracia teve que ser suportada pelo autor. Houve também a oposição de Luigi Cherubini , que na época era o diretor musical do Conservatório de Paris . Cherubini sentiu que uma comissão patrocinada pelo governo deve, naturalmente, ser oferecido a si mesmo, em vez de ao jovem Berlioz, que era considerado um excêntrico. [ 14 ]Independentemente da animosidade entre os dois compositores, Berlioz aprendeu com ele e admirava a música de Cherubini, [ 45 ] tal como o seu réquiem. [ 46 ]

Graças ao dinheiro que Paganini lhe dera depois de ouvir Harold , Berlioz foi capaz de pagar as suas próprias dívidas e as de Harriet e suspender seu trabalho como crítico. Isso lhe permitiu concentrar em escrever a "sinfonia dramática" Roméo et Juliette de vozes, coro e orquestra. Berlioz mais tarde identificou a "cena de amor" a partir desta sinfonia coral, como ele a chamava, como a sua composição favorita carece de fontes? ] (Ele considerou o seu Requiem seu melhor trabalho, no entanto: "Se eu fosse ameaçado com a destruição de toda a meus trabalhos senão um, que eu deveria implorar misericórdia para os Messe des morts ".) [ 47 ] Foi um sucesso, tanto em França e no exterior, ao contrário, mais tarde, de grandes obras vocais como La Damnation de Faust e Les Troyens , que foram fracassos comerciais. Roméo et Juliette estreou em uma série de três concertos mais tarde, em 1839, para um público distinto, um incluindo Richard Wagner.

No mesmo ano em que Roméo estreou, Berlioz foi nomeado Conservador Adjunto (Vice-bibliotecário) da Biblioteca do Conservatório de Paris. Berlioz, apoiado por si e por sua família, continuou escrevendo crítica musical para publicações de Paris, principalmente no Journal des Débats, durante mais de 30 anos, mas também na Gazette musicale e no Le Rénovateur . [ 12 ] Apesar de sua carreira como crítico e escritor [ 18 ] forneceu-lhe uma confortável renda, e ele tinha um talento óbvio para a escrita, ele chegou a detestar [ 24 ] [ 30 ] [ 48 ] a quantidade de tempo gasto assistindo a performances para revisão, que lhe limitou severamente o seu tempo livre para promover os seus próprios trabalhos [ 18 ] e produzir mais composições. Apesar de sua posição de destaque na crítica musical, ele não usou os seus artigos para promover as suas próprias obras. [ 37 ]

Meio da vida[editar | editar código-fonte]

Pintura de Berlioz porGustave Courbet , 1850.

Após a década de 1830, Berlioz estava encontrado cada vez mais dificuldades para obter o reconhecimento de sua música na França. Como resultado, ele começou a viajar para outros países com mais freqüência. Entre 1842 e 1863, ele viajou para a Alemanha, Inglaterra, Áustria, Rússia e em outros lugares, [ 12 ] [ 16 ] onde realizou óperas e música orquestral - tanto a sua própria e a de outros. Durante a sua vida, Berlioz era um tão famoso maestro que ele era menos conhecido como um compositor. [ 48 ] Ele foi feito a Cavaleiro da Légion d'Honneur em 1839.

Em 1840, a Grande Symphonie funèbre et Triomphale foi encomendada para comemorar o décimo aniversário da Revolução de Julho de 1830. Devido a um prazo estrito, foi apresentada apenas alguns dias depois de ter sido concluída. O desempenho foi realizada ao ar livre, em 28 de julho, conduzido pelo próprio Berlioz, na Place de la Bastille. A peça foi difícil ouvir, devido às multidões. Este foi posteriormente corrigida por um concerto de um mês depois, e Wagner expressou a sua aprovação ao trabalho. [ 41 ] No ano seguinte, ele começou, mas depois abandonou a composição de uma nova ópera, La nonne sanglante ; alguns fragmentos sobreviveram. [ 4 ]

Hector Berlioz por Gustave Coubert, 1850

Em 1841, Berlioz escreveu recitativos para uma produção de Weber 's Der Freischütz na Ópera de Paris e também orquestrada de WeberConvite à Dança para adicionar música de balé para ele (ele intitulou o balé L'Invitation à la valse , [ 49 ] eo peça para piano original foi muitas vezes mistitled como resultado). Mais tarde nesse ano Berlioz terminar de compor o ciclo de canções Les nuits d'été para piano e vozes (que viria a ser orquestrada). Ele também entrou em uma relação íntima com a cantora Marie Recio que se tornaria sua segunda esposa.

Em 1842, Berlioz embarcou em uma turnê de concertos de Bruxelas , na Bélgica, de setembro a outubro. Em dezembro, ele começou uma turnê na Alemanha, que continuou até meados do próximo ano. Cidades visitadas incluído Berlim, Hannover , Leipzig, Stuttgart , Weimar , Hechingen , Darmstadt , Dresden , Brunswick , Hamburgo, Frankfurt eMannheim . Em Leipzig ele conheceu Felix Mendelssohn e Schumann Robert , o último dos quais tinha escrito um artigo entusiástico sobre a Sinfonia Fantástica . Ele também conheceu Heinrich Marschner em Hanover, Wagner em Dresden e Giacomo Meyerbeer , em Berlim. [ 4 ] De volta a Paris, Berlioz começou a compor o concerto overture Le Romain carnaval , com base em [ 18 ] música de Benvenuto Cellini . O trabalho foi concluído no ano seguinte e foi estreada pouco depois. Hoje em dia é um dos mais populares de suas propostas.

No início de 1844, de Berlioz altamente influente [ 17 ] [ 50 ] Tratado de Instrumentação foi publicado pela primeira vez. Neste momento Berlioz estava produzindo vários serializações para revistas de música que viria a ser recolhidos em seu Mémoires e Les soirées de l'Orchester (noites com a Orquestra). [ 4 ] Ele tomou uma viagem de recuperação de Nice, no final daquele ano, durante o qual ele compôs o concerto overture La tour de Nice (A Torre de Nice), depois de ser revisto e renomeado Le Corsaire .[ 4 ] Com o seu casamento um fracasso, Berlioz e Harriet Smithson separado, tendo este último se tornar um alcoólatra devido ao colapso de sua carreira de atriz. [ 17 ] Berlioz foi morar com uma amante Marie Recio. Ele continuou a prever Harriet para o resto de sua vida. Ele também se reuniu com Mikhail Glinka (a quem ele tinha inicialmente encontrou na Itália e que permaneceu um amigo próximo), que estava em Paris entre 1844 e 1845 e convenceu Berlioz para embarcar em um dos dois passeios da Rússia. Piada de Berlioz "Se o Imperador da Rússia quer de mim, então eu estou à venda" foi levado a sério. [ 36 ] Os dois passeios da Rússia (o segundo em 1867) provou ser tão bem sucedido financeiramente [ 36 ] que garantiu as finanças de Berlioz, apesar da grandes quantias de dinheiro que estava perdendo por escrito composições sem sucesso. Em 1845, ele embarcou em sua primeira turnê em grande escala da França. Ele também participou e escreveu um relatório sobre a inauguração de uma estátua de Beethoven em Bonn , [ 4 ]e começou a compor La Damnation de Faust , incorporando as anteriores scènes Huit de Faust . Em seu retorno a Paris, o recém-concluído La Damnation de Faust foi estreada na Ópera-Comique , mas depois de duas apresentações, a corrida foi interrompida e o trabalho foi um fracasso populares [ 51 ] (talvez devido ao seu estatuto a meio caminho entre a ópera eo cantata .), apesar de ter recebido resenhas críticas geralmente favoráveis ​​[ 52 ] Isso deixou Berlioz pesadamente em dívida [ 4 ] ., no montante de 5000-6000 francos [ 52 ] Tornando-se cada vez mais desencantado com suas perspectivas na França, ele escreveu:

Em 1847, durante uma visita de sete meses para a Inglaterra, ele estava no London nomeado maestro Drury Lane Theatre [ 4 ] pelo seu então diretor-musical, o músico popular francês Louis Antoine Jullien . Ele ficou impressionado com a sua qualidade, quando ele ouviu pela primeira vez a orquestra tocar em um concerto promenade . [ 53 ] Em Londres, ele também soube que ele sabia muito mais Inglês do que tinha suposto, embora ainda não entendeu metade do que foi dito na conversa. [ 53 ] Ele começou a escrever seu Mémoires . Durante a sua estada na Inglaterra, a Revolução de Fevereiro eclodiu na França. Berlioz chegou de volta à França, em 1848, apenas para ser informado de que seu pai havia morrido pouco depois de seu retorno. Ele voltou para sua terra natal para lamentar seu pai junto com suas irmãs. [ 4 ] Enquanto isso, a saúde de Harriet estava em declínio devido ao abuso de álcool e sofreu uma série de derrames que deixaram-lhe um inválido. Berlioz pago por quatro funcionários para cuidar dela de forma permanente e visitá-la quase que diariamente. [ 4 ] Ele começou a composição do seu Te Deum .

Em 1850 ele se tornou bibliotecário-chefe no Conservatório de Paris , o único cargo oficial, ele nunca iria realizar, e uma valiosa fonte de renda. [ 4 ] Durante este ano, Berlioz também realizou um experimento em seus muitos críticos vocais. Ele compôs uma obra intitulada o adeus de Pastor e executou-o em dois concertos [ 54 ] , sob o pretexto de que seja por um compositor chamado Pierre DUCRE. Este compositor foi, naturalmente, uma construção ficcional de Berlioz. [ 55 ] O truque funcionou, e os críticos elogiaram o trabalho de 'DUCRE "e alegou que era um exemplo que Berlioz fariam bem em seguir. "Berlioz nunca poderia fazer isso!", Ele relata em seu Mémoires, foi um dos comentários.[ 54 ] Berlioz mais tarde incorporada a peça em La fuite en Egypte de L'enfance du Christ . [ 56 ] Em 1852, Liszt reviveu Benvenuto Cellini [ 37 ] , no que viria a ser a " Weimarversão "da ópera, que contém as modificações feitas com a aprovação de Berlioz. [ 57 ] As performances foram as primeiras desde a estréia desastrosa de 1838. Berlioz viajou para Londres no ano seguinte encenar lo no Theatre Royal , Covent Garden , mas retirou-a depois de um desempenho devido à recepção hostil. [ 11 ] Foi durante esta visita que ele testemunhou um desempenho caridade envolvendo seis mil e quinhentos crianças cantando na Catedral de São Paulo . [ 58 ] Harriet Smithson morreu em 1854. L'enfance du Christ foi concluída no final daquele ano e foi bem recebido na sua estreia. Excepcionalmente para um trabalho de Berlioz tarde, parece ter-se popular por muito tempo após sua morte. [ 51 ] Em outubro, Berlioz casado Marie Recio. Em uma carta escrita para seu filho, ele disse que, tendo vivido com ela por tanto tempo, que era seu dever fazê-lo. No início de 1855 Le retour à la vie foi revisto e renomeado Lélio . Pouco depois, o Te Deum recebeu a sua estreia com a realização de Berlioz. Durante uma breve visita a Londres, Berlioz teve uma longa conversa com Wagner durante o jantar. A segunda edição do Tratado de Instrumentação também foi publicado, com um novo capítulo detalhando aspectos de condução. [ 4 ]

Les Troyens [editar | editar código-fonte]

Em 1856, Berlioz visitou Weimar, onde ele participou de um desempenho de Benvenuto Cellini , conduzido por Liszt. Seu tempo com Liszt também destacou crescente falta de Berlioz de apreço pela música de Wagner, para grande aborrecimento de Liszt. [ 59 ]

Berlioz foi convencido por Princesa Sayn-Wittgenstein  - com quem tinha correspondeu por algum tempo - que ele deveria começar a escrever uma nova ópera. Este trabalho acabaria por se tornar Les Troyens , [ 4 ] um monumental grande ópera com um libreto (que escreveu ele mesmo) com base em livros dois e quatro de Virgil 's Eneida . A ideia de criar uma ópera baseada na Eneida já tinha estado em sua mente vários anos,[ 11 ] pelo tempo Sayn-Wittgenstein se aproximou dele, e apesar de uma longa desilusão, sua chama criativa parece ter permanecido lit. Les Troyens provado ser uma obra muito pessoal para Berlioz, como homenagem ao seu primeiro literário amor, quem ainda acalentado - mesmo depois de suas descobertas de Shakespeare e Goethe . [ 60 ] A ópera foi planejado em torno de cinco atos, similar em tamanho ao grande ópera de Meyerbeer . Ela foi composta com a Ópera de Paris em mente, um local de maior prestígio. Chances de Berlioz de garantir uma produção em que seu trabalho iria receber atenção igual a seus méritos foram insignificantes desde o início -. Um fato que ele deve ter tido conhecimento de[ 11 ] [ 60 ] Apesar destas perspectivas sombrias, Berlioz viu o trabalho até a sua conclusão em 1858.

O aparecimento de uma doença intestinal que afligem Berlioz para o resto de sua vida tinha se tornado aparente para ele. [ 4 ] Durante uma visita a Baden-Baden , Edouard Benazet encomendou uma nova ópera de Berlioz, mas devido à doença que a ópera nunca foi escrito. [ 4 ] Dois anos depois, no entanto, em vez Berlioz começou a trabalhar em Béatrice et Bénédict , que Benazet aceito; [ 11 ] que foi concluída em 25 de fevereiro de 1862. Quanto Les Troyens , em 1860, o Théâtre Lyriqueem Paris teve concordou em palco, apenas para rejeitá-lo no ano seguinte. Ele logo foi pego novamente pela Ópera de Paris. [ 4 ]

Marie Recio, a esposa de Berlioz, morreu inesperadamente de um acidente vascular cerebral na idade de 48 anos, em 13 de junho de 1862. Berlioz logo conheceu uma jovem chamada Amélie [ 61 ] no Cemitério de Montmartre , e que ela só foi 24, eles desenvolveram uma relação estreita, apesar uma diferença de idade de 35 anos. [ 4 ]

As primeiras apresentações de Béatrice et Bénédict foram realizadas em Baden-Baden no dia 9 de agosto e 11. O trabalho teve extensos ensaios para muitos meses, e apesar dos problemas de Berlioz encontrado em fazer os músicos tocam tão delicadamente como ele gostaria, e até mesmo descobrir que o fosso da orquestra era muito pequena antes da estréia, o trabalho foi um sucesso. [ 62 ] Berlioz mais tarde afirmou que sua regência foi muito melhorado devido à dor considerável ele estava em no dia, o que lhe permite ser "emocionalmente desligado" e " menos excitável ". [ 62 ] Béatrice foi cantada por Madame Charton-Demeur. Tanto ela como seu marido eram firmes defensores da música de Berlioz, e ela estava presente no leito de morte de Berlioz.

Les Troyens foi abandonada pela Ópera de Paris, com a desculpa de que era muito caro para o estágio; ele foi substituído pelo de Wagner Tannhäuser . [ 15 ] A obra foi atacado por seus adversários para o seu comprimento e demandas, e com as memórias do fracasso de Benvenuto Cellini no Opéra ainda estavam frescas. [ 11 ] Em seguida, foi aceito pelo novo diretor do recentemente re-construído Théâtre Lyrique-. Em 1863, Berlioz publicou seu último artigo assinado para o Journal des débats . [ 4 ] Depois de renunciar, um ato que deveria ter levantado o ânimo dado o quanto ele detestava seu trabalho, sua desilusão tornou-se ainda mais forte. [ 11 ] Ele também ocupou-se julgar participantes daPrix de Rome  - argumentando com sucesso para o eventual vencedor, a 21 anos de idade, Jules Massenet . [ 63 ] Amélie solicitado que terminar seu relacionamento, que Berlioz fez, para seu desespero. [ 4 ] A encenação de Les Troyens foi repleta de dificuldades quando realizada de forma truncada no Théâtre Lyrique-. Foi finalmente estreou em 04 de novembro e correu por 21 apresentações até dezembro de 20. Madame Charton-Demeur cantou o papel de Didon . Foi realizado pela primeira vez em Paris, sem cortes tão recentemente quanto 2003, no Théâtre du Châtelet , conduzida por John Eliot Gardiner . [ 64 ]

Anos mais tarde [editar | editar código-fonte]

Em 1864, Berlioz foi feito Officier de la Légion d'honneur . Em 22 de agosto, Berlioz ouvi de um amigo que Amélie, que vinha sofrendo de problemas de saúde, morreu com a idade de 26. Uma semana depois, durante a caminhada no Cemitério de Montmartre , ele descobriu o túmulo de Amélie: ela tinha sido morta há seis meses. [ 4 ] Por agora, Berlioz era um homem solitário. A maior parte de sua família e amigos tinham morrido, incluindo suas duas irmãs sobreviventes. . Eventos como estes se tornaram muito comuns em sua vida mais tarde, como seu isolamento contínuo da cena musical aumentou à medida que o foco mudou para a Alemanha [ 11 ] Ele escreveu:

Última fotografia de Berlioz, 1868

Berlioz reuniu Estelle Fornier - o objeto de suas afeições de infância - em Lyon, pela primeira vez em 40 anos, e começou uma correspondência regular com ela. [ 4 ] Berlioz logo percebeu que ele ainda ansiava por ela, e, eventualmente, ela tinha para informá-lo que, como uma mulher casada havia nenhuma possibilidade de que eles poderiam se tornar mais próximo do que amigos. [ 65 ] Em 1865, uma tiragem inicial de 1200 cópias de seu Mémoires foi concluída. Algumas cópias foram distribuídas entre os seus amigos, mas a maior parte eram, ligeiramente mórbida, armazenada em seu escritório no Conservatório de Paris , para ser vendido após a sua morte. [ 11 ] Ele viajou para Viena em Dezembro de 1866 a realizar a primeira apresentação completa lá de La Damnation de Faust . Em 1867, de Berlioz filho Louis, um capitão da marinha mercante, morreu [ 12 ] de febre amarela [ 17 ] , em Havana . [ 15 ] Depois de aprender isso, Berlioz queimado um grande número de documentos e outras lembranças que ele tinha acumulado durante a sua vida, [ 4 ] mantendo apenas a realização de bastão que lhe foi dada por Mendelssohn e umaguitarra dada a ele por Paganini . [ 15 ] Em seguida, ele escreveu a sua vontade . As dores intestinais foi aumentando gradualmente, e agora se espalhou para o estômago, e dias inteiros foram passados ​​em agonia. Às vezes, ele experimentou espasmos na rua tão intensa que mal conseguia se mover. [ 66 ] Mais tarde naquele ano, ele embarcou em sua segunda turnê da Rússia, que também seria o seu último de qualquer tipo. A turnê foi extremamente lucrativo para ele, tanto que Berlioz recusou uma oferta de 100 mil francos de americana Steinway para realizar em Nova Iorque. [ 36 ] Em São Petersburgo , Berlioz experimentou um prazer especial em executar com a "primeira linha" Orquestra do Conservatório de São Petersburgo . [ 36 ] Ele retornou a Paris em 1868, exausto, com a sua saúde danificada devido ao inverno russo. [ 15 ]Ele imediatamente viajou para Nice, para se recuperar no Mediterrâneo clima, mas escorregou em algumas rochas por a beira do mar, possivelmente devido a um acidente vascular cerebral, e teve que retornar a Paris, onde viveu como um inválido . [ 15 ] Em agosto de 1868, ele fez sua última viagem para Grenoble , onde ele vivia com sua irmã e sua família. Convidado pelo prefeito Jean Vendre durante três dias de festividades para a inauguração de uma estátua de Napoleão , ele presidiu a um festival de música. [ 67 ]

Em 08 de março de 1869, Berlioz morreu em sua casa de Paris, No.4 rue de Calais, aos 30 minutos do meio-dia. [ 68 ] Ele foi cercado de amigos na época. Seu funeral foi realizado no recém-concluído Église de la Trinité [ 69 ] em 11 de março, e ele foi enterrado no Cemitério de Montmartre com suas duas mulheres, que foram exumados e re-enterrados ao lado dele. Suas últimas palavras foram a fama de ser "Enfin, em va jouer ma musique" [ 48 ] [ 70 ] [ 71 ] ("Finalmente, eles vão tocar minha música"). [ 72 ]

Visões religiosas [editar | editar código-fonte]

Berlioz afirmado muitas vezes em suas cartas que ele era um agnóstico. [ 73 ] Em uma carta que foi escrita pouco antes de sua morte, ele escreveu em relação à religião, "Eu acredito que nada". [ 74 ] [ página necessária ] A Enciclopédia Católica , por sua vez, afirma Berlioz como católico, mas parece admitir que ele não permaneceu fiel ao catolicismo. [ 75 ]

Berlioz como regente[editar | editar código-fonte]

Desenho de Berlioz conduzindo um coro por Gustave Doré , publicado noJornal derramar rire , 27 de junho de 1850

A obra de Berlioz como um condutor foi muito influente [ 48 ] e lhe trouxe a fama em toda a Europa. [ 12 ] [ 16 ] Ele foi considerado porCharles Hallé , Hans von Bülow e outros para ser o maior condutor de sua época. [ 76 ] Berlioz inicialmente começou a realizar devido a frustrações sobre a incapacidade dos outros condutores - mais utilizado para executar a música mais antiga e mais simples - para dominar suas obras avançadas e progressistas, [ 77 ] com suas melodias prolongados [ 48 ] . e complexidade rítmica [ 41 ] Ele começou com mais entusiasmo do domínio, [ 77 ] e não foi formalmente treinados, [ 77 ] , mas através da perseverança suas habilidades melhoradas. Ele também estava disposto a seguir o conselho de outros, como evidenciado por Spontini criticando seu uso precoce de grandes gestos durante a realização. [ 76 ] Um ano mais tarde, de acordo com a Hallé , seus movimentos eram muito mais econômico, permitindo-lhe controlar mais nuance no música. [ 76 ] Sua compreensão especializada da forma como o som de cada instrumento interage com o outro (demonstrado em seu Treatise on Instrumentation ) foi atestada pelo crítico Louis Engel, que menciona como Berlioz uma vez notado, no meio de uma orquestra tutti , um diferença arremesso minutos entre dois clarinetes . [ 76 ] Engel oferece uma explicação da capacidade de Berlioz para detectar coisas como, em parte, devido à energia nervosa pura ele estava experimentando durante a condução. [ 76 ]

Apesar deste talento, Berlioz nunca ocupou um cargo de condutor empregado durante sua vida, obrigada a se contentar com apenas regência do convidado. Este não foi o caso quase. No final de 1835, ele foi abordado pela gestão de uma nova sala de concertos em Paris, o Gymnase Musical, e ofereceu uma posição como seu diretor musical. [ 78 ] Para Berlioz esta foi uma oportunidade ideal. Não só seria dar-lhe um grande salário anual (entre 6000 a 12.000 francos), [ 78 ] mas também lhe daria uma plataforma para executar sua própria música, ea música de colegas progressistas. Berlioz aceitou a oferta, e assinou o contrato para a posição. [ 78 ] No entanto, um novo decreto emitido pelo governo revolucionário obrigou-o a mudar de idéia. O obstáculo foi uma das muitas restrições que o governo revolucionário havia colocado sobre o funcionamento de estabelecimentos musicais, proibindo a execução de música vocal, [ 78 ] para que eles não competem com o influente Paris Opéra (entre outras organizações). Havia argumentos apaixonados e tentativas de contornar essa restrição, mas eles caíram em ouvidos surdos, eo Gymnase Musical se tornou um salão de dança em seu lugar. [ 78 ] Isso deixou Berlioz desanimado, e provaria ter sido um cruciais encruzilhada em sua vida , forçando-o a trabalhar longas horas como um crítico, o que prejudicou severamente o tempo livre disponível para a composição.

A partir de então, ele conduziu em muitas ocasiões diferentes, mas principalmente durante grandes excursões de vários países onde foi muito bem pagos para visitar. Em particular, para o fim de sua vida, ele fez um monte de dinheiro em turnê na Rússia duas vezes, a última visita provando extremamente lucrativo e também ser a última turnê de condução antes de sua morte. Isto permitiu-lhe não apenas para executar sua música para um público mais amplo, mas também para aumentar a sua influência em toda a Europa - por exemplo, a orquestração foi estudado por muitos compositores russos. Não apenas do companheiro hiper-romântico Tchaikovsky , mas também membros da The Five estão em dívida com estas técnicas, incluindo Nikolai Rimsky-Korsakov , mas mesmo Modest Mussorgsky  - muitas vezes retratado como desinteressado em orquestração refinada - reverenciado Berlioz [ 79 ] e morreu com uma cópia do de Berlioz Treatise on Instrumentation em sua cama. [ 71 ] Da mesma forma, a sua técnica de condução, como descrito por fontes contemporâneas aparece para definir as bases para a clareza e precisão favorecida na escola francesa de conduzir até ao presente, exemplificado por figuras como Pierre Monteux , Désiré-Émile Inghelbrecht , Paul Paray , Charles Munch , André Cluytens , Pierre Boulez e Charles Dutoit .

Legado [editar | editar código-fonte]

Embora negligenciado na França durante grande parte do século 19, a música de Berlioz tem sido frequentemente citado como extremamente influente no desenvolvimento da forma sinfônica, [ 80 ] instrumentação, [ 81 ] ea representação na música de programáticas e literárias ideias, recursos central para o Romantismo musical . Ele foi considerado extremamente progressista para o seu dia, e ele, Wagner e Liszt foram chamados o "Grande Trindade de progresso" do século 19.-romantismo. carece de fontes? ] Richard Pohl , o crítico alemão em Schumann revista musical 's, o Neue Zeitschrift für Musik , chamado Berlioz "o verdadeiro pathbreaker". carece de fontes? ] Liszt era um performer entusiasta e apoiador, eo próprio Wagner, após a primeira expressando grandes reservas sobre Berlioz, Liszt escreveu para dizer: "nós, Liszt, Berlioz e Wagner , são três iguais, mas devemos tomar cuidado para não dizer isso a ele. " carece de fontes? ] Como Wagner aqui implica, o próprio Berlioz era indiferente à idéia de o que foi chamado de "la musique du passé" (música do passado) e claramente influenciado tanto Liszt e Wagner (e outros compositores prospectivas) embora cada vez mais começou a não gostar de muitas das suas obras. carece de fontes? ] A observação de Wagner também sugere a forte etnocentrismo característico de compositores europeus da época em ambos os lados da Reno . Berlioz não só influenciado Wagner através de sua orquestração e quebra de formas convencionais, mas também em seu uso da idéia fixa na Symphonie fantastique que prenuncia o leitmotif . [ 82 ] [ 83 ] Liszt veio ver Berlioz não só como compositor para apoiar , mas também para aprender, considerando Berlioz um aliado em seu objetivo de "A renovação da música através de sua união mais íntima com a poesia". [ 84 ]

Durante o seu centenário em 1903, ao receber a atenção de todos os livros de referência musicais principais, ele ainda não era geralmente aceita como sendo um dos grandes compositores. [ 58 ] Algumas de suas músicas ainda estava em negligência e seus seguidores foi menor do que o outro, principalmente Alemão, compositores. Mesmo meio século não mudou muito, [ 58 ] e demorou até 1960 para as perguntas certas a serem feitas sobre o seu trabalho, e para que possa ser visto de uma forma mais equilibrada e solidária. Um dos eventos centrais neste ignição fresco de interesse no compositor foi uma performance de Les Troyens por Rafael Kubelik em 1957 no Covent Garden . [ 85 ] A música de Berlioz teve um renascimento nos anos 1960 e 1970, devido em grande parte à os esforços do maestro francês Charles Munch e do maestro britânico Sir Colin Davis , que gravou toda a sua obra , trazendo à luz uma série de obras menos conhecidas de Berlioz. Um exemplo incomum (mas contando) do aumento da fama de Berlioz na década de 60 foi uma explosão de falsosautógrafos , manuscritos e cartas , evidentemente, criados para atender a um interesse muito maior no compositor. [ 86 ] gravação do Davis Les Troyens foi a primeira gravação quase completa desse trabalho. O trabalho, que Berlioz nunca viu encenado na íntegra durante a sua vida, é agora uma parte do repertório internacional, [ 64 ] , se ainda uma raridade. Les Troyens foi a primeira ópera realizada no recém construído Opéra Bastille em Paris, em 17 de março de 1990 em uma produção alegou ser completa, mas faltam os ballets. [ 85 ]

Em 2003, o bicentenário do nascimento de Berlioz, suas conquistas e status eram muito mais amplamente reconhecido, [ 87 ] e sua música é agora visto como sério e original, ao invés de uma novidade excêntrica. [ 58 ] Os artigos de jornal relatou sua vida colorida com zelo, muitos festivais dedicados ao compositor foram realizadas, [ 87 ] [ 88 ] leituras de seus livros [ 89 ] e uma televisão dramatizada biografia de uma hora francesa [ 90 ] todos ajudaram a criar um monte de exposição a vida do compositor e música - muito mais do que o centenário anterior. Numerosos projetos de gravação foram iniciadas ou reeditados, [ 91 ] e as transmissões de sua música aumentou. [ 88 ] condutor Proeminente Berlioz Colin Davis já tinha estado no processo de gravação de grande parte da música de Berlioz no rótulo Vivo LSO, e continuou esse projeto para esta data com um L'enfance du Christ gravação emitida em 2007. A internet também foi um fator nas celebrações, com o site hberlioz.com abrangente (que está online desde 1997) ser uma fonte facilmente disponível de informação para qualquer pessoa interessada em o compositor. Celebrações do 'Berlioz 2003', organizado por instituições acadêmicas francesas, [ 87 ] também tinha um website proeminente, listando eventos, publicações e encontros [ 87 ] o domínio do que já caducaram. Houve também um site mantido pela Associação nationale Hector Berlioz. [ 92 ] A proposta foi feita para remover seus restos mortais para o Panteão , e embora inicialmente incentivada pela presidente francês, Jacques Chirac , [ 87 ] [ 93 ] , foi adiado por ele, alegou ser porque era muito pouco depois de Alexandre Dumas foi mudado para lá. [ 94 ] Ele também pode ter sido influenciado por uma disputa política sobre merecimento de Berlioz como um republicano, [ 71 ] [ 81 ] desde Berlioz, que se reuniu regularmente reis e príncipes , criticou severamente a Revolução de 1848 , falando da "república odioso e estúpido". carece de fontes? ] Também houve objeções de partidários de Berlioz, alguns dos quais alegaram que Berlioz era uma figura anti-establishment e não teria nenhum interesse em tal uma cerimônia, e que ele estava feliz por ser enterrado ao lado de suas duas mulheres no local que tem sido em quase 150 anos. [ 81 ] Uma vez que Chirac se aposentou como presidente, o futuro do lugar de descanso de Berlioz ainda é incerto. [ 94 ]

Peter Cornelius contados Berlioz como um dos três Bs nas alturas de música clássica ao lado de Bach e Beethoven. Comemorações do Berlioz incluem a 2000 lugares Opera Berlioz no Corum centro de artes em Montpellier, Berlioz ponto na Antártida e asteróide 69288 Berlioz .

Influências [editar | editar código-fonte]

Literatura [editar | editar código-fonte]

Berlioz tinha uma afeição afiado para a literatura, e muitas de suas melhores composições são inspiradas em obras literárias. Para Sinfonia Fantástica , Berlioz foi inspirado em parte por Thomas De Quincey 's Confissões de um comedor de ópio Inglês . Para La Damnation de Faust , Berlioz se baseou em Goethe Faust ; por Harold en Italie , ele baseou-se em Byron 's Childe Harold ; por Benvenuto Cellini , ele desenhou emCellini própria autobiografia 's. Por Roméo et Juliette , Berlioz virou-se, naturalmente, a de Shakespeare Romeu e Julieta . Por seu opus magnum, a ópera monumental Les Troyens , Berlioz virou-se para o poema épico de Virgílio Eneida . Em sua última ópera, a ópera cômica Béatrice et Bénédict , Berlioz preparou um libretto vagamente baseado em Shakespeare Muito Barulho por Nada . Sua composição " Tristes "(para orquestra e coro) chamou a sua inspiração a partir de Shakespeare Hamlet .

Shakespeare[editar | editar código-fonte]

Em 1827, Berlioz assistiu atriz irlandesa Harriet Smithson no teatro Odéon jogando Ophelia e Julieta em Hamlet e Romeu e Julieta por William Shakespeare . Isso levou a duas paixões intensas. Uma delas foi a Smithson, o que resultaria em um casamento desastroso. O outro era a Shakespeare, que se tornaria um amor ao longo da vida. [ 18 ] Ele seguiu o resto da temporada 1827 de perto, até que a empresa mudou-se para o Salle Favart, e começou a aprender as jogadas de traduções de bolso à venda. [ 95 ] Embora as apresentações foram em Inglês, do qual Berlioz sabia praticamente nada, ele ainda era capaz de compreender a grandeza e sublimidade da linguagem de Shakespeare, juntamente com a riqueza da concepção dramática das peças. [ 96 ]

O calendário para essas performances, não apenas para a carreira de Berlioz, mas também para o romantismo francês, em geral, não poderia ter sido mais apt. Berlioz estava à beira de produção de suas obras, como os mais românticos eram os escritores Vigny , Dumas , Gautier e vários outros presentes naquela noite. Shakespeare serviu de modelo para o romantismo francês, [ 97 ] com Hugo exaltando Shakespeare como um desafio ao classicismo francês eo modelo para o novo teatro romântico. [ 96 ]

Shakespeare para Berlioz representou o ápice da expressão poética, com veracidade do bardo de expressão dramática e liberdade das restrições formais ressoando no espírito do compositor. Mais profundamente, Shakespeare tornou-se uma fonte, por meio de sua verdade dramática, noção fundamental para Berlioz 'de verdade expressiva; [ 96 ] era assim que ele poderia chamar Romeu e Julieta ". drama supremo da minha vida" [ 98 ] Ele leu das peças constantemente, muitas vezes em voz alta para quem quisesse ouvir.Ele citou eles para o resto de sua vida e se associar qualquer turbulência pessoal com o seu homólogo de Shakespeare. [ 99 ]

Berlioz foi especialmente com capacidade de Shakespeare para identificar o coração de um conflito dramático e penetrante os segredos do amor intenso. Estes segredos, Berlioz sugerido no texto de Roméo et Juliette do dramaturgo levou com ele para o céu. Uma e outra vez ao longo dos anos, Berlioz se destilar a imagem favorita de um jogo e destilar-lo em termos musicais. Roméo et Juliette pode ter sido o primeiro. Mais tarde veio a tempestade , Rei Lear , uma marcha fúnebre para a cena final, em Hamlet , a cena de amor para Les Troyens (que, alguns dizem, Berlioz tirou de O Mercador de Veneza ) e Béatrice e Bento . [ 100 ]

Faust [editar | editar código-fonte]

Berlioz descoberto Goethe 's Faust através de Gérard de Nerval 's tradução, publicado em Dezembro de 1827. O seu impacto sobre Berlioz foi, novamente, profunda e imediata, com o conceito faustiano do homem golpeando vários acordes com o compositor. Ele descreveu Shakespeare e Goethe em uma carta 1828 como "confidentes silenciosos do meu sofrimento;. Que detêm a chave para a minha vida" [ 101 ] . Em qualquer caso, a tragédia shakespeariana e mística Fausto tornou-se de um tipo em sua mente [ 102 ]

The Romantics [editar | editar código-fonte]

Simultaneamente com a descoberta de Shakespeare Berlioz era sua imersão nos textos de verdade Romantismo . Estes incluíram as obras de Thomas Moore , Sir Walter Scotte Lord Byron . Todos os três inspirado Berlioz para compor trabalhos baseados deles. Ele também mergulhou em Chateaubriand , ETA Hoffmann , James Fenimore Cooper e seus compatriotas Victor Hugo , Alfred de Vigny , Alfred de Musset e Gérard de Nerval . Mais tarde, ele acrescentou Honoré de Balzac , Gustave Flaubert e Théophile Gautier à sua lista de favoritos; ele também usou poemas de Gautier como textos para o seu ciclo de canções Les nuits d'été . [ 103 ]

Talvez como resultado dessa leitura e vendo a si mesmo como um herói trágico arquetípico, Berlioz começou a tecer referências pessoais em sua música. Ele pode de fato ter sido o seu amor por Shakespeare, compartilhado com os outros jovens artistas-heróis do século 19-France, que arrancavam Berlioz firmemente na fraternidade do Romantismo.

Música[editar | editar código-fonte]

Beethoven [editar | editar código-fonte]

Berlioz escreve em suas memórias ,

Ele era capaz de ouvir obras de Beethoven através das performances da Société des Concerts du Conservatoire , uma orquestra fundada por François Antoine Habeneck e seus colegas para promover a música orquestral moderna. O concerto inaugural, em 09 de março de 1828, contou com a estreia francesa do Eroica Symphony . [ 105 ] Apesar dos protestos de compositores franceses e italianos, [ 104 ] até o final da primeira temporada Habeneck ea orquestra também havia realizado a Quinta Sinfonia , o Concerto para Piano Terceiro , o Concerto para Violino , bem como outras obras. [ 106 ]

Para Berlioz a experiência de ouvir a Eroica trouxe a última e maior revelação do poder da música instrumental como uma linguagem expressiva, juntamente com a liberdade de ação com os quais poderia ser expressivo. [ 107 ] Ele entendeu imediatamente que a sinfonia foi um forma dramática a um ponto em que ele não tinha anteriormente realizado,[ 108 ] e que em Beethoven viu um caminho para a forma dramática em que ele desejava para compor.

Mais notável, ouvindo o Eroica inspirado Berlioz a expandir os seus horizontes, pela primeira vez passado ópera e outras obras vocais e considerar o poder expressivo da música puramente instrumental. [ 101 ] Antes disso, ele havia cumprido com a visão dominante da música parisiense estabelecimento, como tipificado por Le Sueur : que a sinfonia foi uma forma menor de composição que Mozart e Haydn . já tinha tomado na medida do possível [ 109 ] Berlioz iria para encontrar a música instrumental a ser muito mais penetrante de expressão e articulação de . definição vocal [ 101 ] "Agora que eu tenho ouvido que a gigante aterrorizante Beethoven", ele escreveu, "Eu sei exatamente onde minha arte musical está;. a questão é levá-la de lá e empurre-a ainda mais" [ 110 ]

Outros compositores[editar | editar código-fonte]

Avançar para os de Beethoven, Berlioz mostrou profunda reverência para as obras de Gluck , Mozart , Méhul , Weber e Spontini , bem como o respeito para alguns daqueles deRossini , Meyerbeer e Verdi .

O uso inovador de cromatismo por seus contemporâneos e colegas de Chopin e Wagner teve pouco efeito sobre o estilo de Berlioz.

Durante sua segunda visita à Rússia em 1867, Berlioz conheceu o compositor e pianista Anton Rubinstein , diretor e fundador do Conservatório de São Petersburgo (ele deixou a sua posição de que de agosto a viver na Alemanha). Outros compositores russos que conhecia, ou pelo menos tinha encontrado incluem Mussorgsky, Rimsky-Korsakov,Vladimir Stasov , e Tchaikovsky.

Obras [editar | editar código-fonte]

Obras musicais [editar | editar código-fonte]

O movimento cinco Sinfonia Fantástica , em parte devido à sua fama, é considerado pela maioria como o trabalho mais marcante de Berlioz, [ 111 ] eo trabalho teve um impacto considerável quando realizada pela primeira vez em 1830, três anos após a morte de Beethoven e dois anos depois a de Schubert. [ 14 ] [ 50 ] Ela é famosa por suas inovações na forma da sinfonia programática . A história por trás deste trabalho refere-se a si mesmo e pode ser considerado um pouco Berlioz autobiográfico . [ 112 ]

Além da Sinfonia Fantástica , algumas outras obras orquestrais de Berlioz atualmente no repertório orquestral padrão incluem o seu "Légende dramatique" La Damnation de Faust e "Symphonie dramatique" Roméo et Juliette (ambos em grande escala funciona para vozes mistas e orquestra), e seu concertante sinfonia (para viola e orquestra) Harold en Italie , várias aberturas de shows também permanecem perenemente populares, tais como Le Corsaire e Le Carnaval romain . Entre seus trabalhos mais orientados vocalmente, ociclo de canções Les nuits d'été eo oratório L'enfance du Christ mantiveram apelo duradouro, assim como o quase- litúrgico Te Deum eGrande Messe des morts .

A música não convencional de Berlioz irritou o concerto estabelecido e ópera [ 11 ] cena. Berlioz, muitas vezes teve que organizar para suas próprias performances, bem como pagar por eles mesmo. Isso teve um custo pesado sobre ele financeiramente [ 52 ] e emocionalmente. A natureza de suas grandes obras - às vezes envolvendo centenas de artistas [ 113 ] - fez sucesso financeiro difícil. Suas habilidades jornalísticas tornou-se essencial para ele para ganhar a vida e ele sobreviveu como um crítico espirituoso, [ 18 ] enfatizando a importância de drama e expressividade em entretenimento musical. Foi talvez essa despesa que impediu Berlioz de compor ópera mais do que ele fez. Seu talento no gênero é óbvio, mas ópera é o mais caro de todos os clássicos formas, e Berlioz, em particular, se esforçou para organizar encenações de suas óperas, em parte devido à relutância das companhias de ópera conservadores Paris para realizar seu trabalho. [ 30 ]

As obras literárias [editar | editar código-fonte]

Enquanto Berlioz é mais conhecido como um compositor, ele também era um escritor prolífico, e se apoiou por muitos anos escrevendo crítica musical, utilizando um estilo vigoroso ousado, às vezes arrogantes e sarcásticos . Ele escreveu para várias revistas, incluindo a Rénovateur , [ 114 ] Journal des débats e Gazeta musicale . [ 115 ] Ele foi ativo nas Débats há mais de trinta anos, até a apresentação de seu último artigo, assinado em 1863. [ 4 ] Quase desde a fundação, Berlioz foi um membro chave do conselho editorial do Diário , bem como um colaborador, e atuou como editor em diversas ocasiões [ 116 ] enquanto o dono estava ocupado. Berlioz aproveitou de seu tempo como editor, permitindo-se a aumentar os seus artigos escritos na história da música ao invés de eventos atuais, evidenciadas por ele publicação de sete artigos sobre Gluck no Diário entre junho de 1834 e janeiro 1835. [ 116 ] Um exemplo da quantidade de trabalho que ele produziu é indicado em sua produção de mais de cem artigos [ 116 ] para a Gazeta entre 1833 e 1837. Esta é uma estimativa conservadora, já que nem todos os seus pedidos foram assinados. [ 116 ] Em 1835, sozinho, devido à um de seus muitos momentos de dificuldade financeira, ele escreveu quatro artigos para a dramatique Monde , doze para a Gazeta , dezenove para os Débats e trinta e sete para o Rénovateur . [ 117 ] Estes não eram meros rabiscos, mas artigos em profundidade e comentários com pouca duplicação, [ 117 ] que levou um tempo considerável para escrever.

Outro indicador de salientar a importância Berlioz colocado na integridade jornalística e imparcialidade foram as revistas que ele tanto fez e que não escrevem para. qual? ​​]Durante o meio da década de 1830 o Diário foi considerado uma revista intelectual, fortemente apoiar a progressiva artes e romantismo em geral, e opondo-se qualquer coisa que considere como aviltante este. [ 116 ] exemplificado na sua crítica de longa data de Henri Herz , e seu fluxo aparentemente interminável de variações sobre temas de ópera, mas para seu crédito, ele também analisou positivamente sua música na ocasião. [ 118 ] Seus escritores incluídos Alexandre Dumas , Honoré de Balzac e George Sand . [ 116 ] AGazeta não foi ainda unânime em seu elogio da música de Berlioz, embora sempre o reconheceu como um compositor importante e grave para a ser respeitado. [ 118 ] Um exemplo de outra revista da mesma época é o musicale Revue , que prosperou em ataques pessoais, muitos contra si mesmo Berlioz da pena do crítico François-Joseph Fétis .[ 119 ] Em um ponto, Robert Schumann foi motivado para publicar uma refutação detalhada de um dos ataques Fetis 'no de Berlioz Sinfonia Fantástica [ 39 ] em sua própria Neue Zeitschrift für Musik revista. [ 119 ] Fétis viria a contribuir para a degradação da reputação da gazeta quando seu diário falhou e foi absorvida pela Gazeta , ele encontrou-se no conselho editorial. [ 119 ]

Os livros que Berlioz se tornou aclamado por foram compilados a partir de seus artigos de jornal. [ 4 ] Les soirées de l'Orchester (noites com a Orquestra) (1852), uma sátira mordaz [ 120 ] do provincial vida musical na França do século 19, e o Tratado de Instrumentação , um pedagógica trabalho, foram ambos serializado originalmente no Diário musicale . [ 4 ] Muitas partes do Mémoires (1870) foram originalmente publicado no Journal des débats , bem como Le monde illustré . [ 121 ] O Mémoires pintar um retrato magistral (se tendenciosa) do romântico era através dos olhos de um de seus principais protagonistas. As noites com a Orquestra é mais abertamente ficcional do que seus outros dois livros importantes, mas a sua base na realidade é a sua força, [ 120 ] fazer as histórias que narra tudo o mais engraçado, devido ao anel de verdade. WH Audenelogia-lo, dizendo: "Para ter sucesso na [escrever estes contos], como Berlioz mais brilhante faz, requer uma combinação de qualidades que é muito raro, o multifacetado curiosidade do dramaturgo com a visão agressiva pessoal do poeta lírico ". [ 122 ] O Tratado estabeleceu sua reputação como um mestre da orquestração . [ 12 ] O trabalho foi bem estudada por Gustav Mahler e Richard Strauss e serviu de base para uma livro subseqüente por Nikolai Rimsky-Korsakov , que, como um estudante de música, com a presença dos concertos Berlioz realizadas em Moscou e São Petersburgo . [ 71 ]

Referências [ editar ][editar | editar código-fonte]

  1. Ir para cima^ Embora batizado Louis-Hector Berlioz , ele sempre foi conhecido como Hector; veja Cairns - Berlioz vol. 1, p. 36.
  2. Ir para cima^ "Classic FM" . Classic FM . Retirado 13 de março de 2010 .
  3. Ir para cima^ Blas Matamoro  - "Hector Berlioz: Un genio francés", ensaio editado pelo Grupo Santillana e La Nación , Buenos Aires, 2004
  4. ^ Ir até:a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  5. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, pp. 25-6
  6. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, pp. 59-60
  7. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, pp. 30-1
  8. Ir para cima^ Barzun, Jacques (1982) [1956]. Berlioz e seu século: Uma introdução à Idade do Romantismo (. 3 ed). University of Chicago Press. p. 19. ISBN 978-0-226-03861-2 .
  9. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, pp. 51
  10. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  11. ^ Ir até:a b c d e f g h i j k l m n o p q "EssentialsOfMusic.com" . EssentialsOfMusic.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  12. ^ Ir até:a b c d e f g h i "w3.rz-berlin.mpg.de" . w3.rz-berlin.mpg.de . Retirado 13 de março de 2010 . link morto ]
  13. Ir para cima^ "Rhapsody.com" . Rhapsody.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  14. ^ Ir até:a b c d e "Caltech" . Its.caltech.edu. 03 de junho de 1996 . Retirado 13 de março de 2010 .
  15. ^ Ir até:a b c d e f g h i j "Berlioz e Shakespeare" . Home.vicnet.net.au . Retirado 13 de março de 2010 .
  16. ^ Ir até:a b c d e "Karadar.com" . Karadar.it. 15 de novembro de 2009 . Retirado 13 de março de 2010 .
  17. ^ Ir até:a b c d e f g h i "Think Quest" . Library.thinkquest.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  18. ^ Ir até:a b c d e f g h i j "Naxos Records" . Naxos.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  19. Ir para cima^ Berlioz, Hector, traduzido por Cairns, David (1865, 1912, 2002). As Memórias de Hector Berlioz. Capa Dura, pp. 20-1. Everyman Biblioteca / Random House . ISBN 0-375-41391-X
  20. Ir para cima^ Berlioz / Cairns - pp. 34-6 Memoirs
  21. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  22. Ir para cima^ Rushton, Julian (2 de Junho de 2009). "Newish Berlioz" . Tempos musicais . Retirado 13 de março de 2010 . link morto ]
  23. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  24. ^ Ir até:a b c ClassicalArchives.com link morto ]
  25. Ir para cima^ Cairns, David (1989, rev., 1999). Berlioz: The Making of an Artist, 1803-1832.Paperback, p. 144 Penguin Books . ISBN 978-0-14-028726-4
  26. Ir para cima^ "NewAdvent.org" . NewAdvent.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  27. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, p. 265
  28. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, p. 311
  29. Ir para cima^ "local La Marseillaise" . Marseillaise.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  30. ^ Ir até:a b c d "CarringBush.net" . CarringBush.net. Arquivada a partir do original em 05 de junho de 2008 . Retirado 13 de março de 2010 .
  31. ^ Ir até:um b "Encyclopedia.Farlex.com" . Encyclopedia.Farlex.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  32. Ir para cima^ Berlioz / Cairns - pp. 105-6 Memoirs
  33. Ir para cima^ Memoirs , 225.
  34. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, p. 442
  35. ^ Ir até:a b c d Cairns - Berlioz vol. 1, pp. 457-9
  36. ^ Ir até:a b c d e f g IMDb
  37. ^ Ir até:a b c d "NNDB.com" . NNDB.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  38. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, p. 542
  39. ^ Ir até:um b Postado em 06 de novembro de 2008 13:30 por Kelly Wilson (06 de novembro de 2008). "Scott D. Farquhar" . Members.aol.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  40. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  41. ^ Ir até:a b c d Encyclopædia Britannica. "Encyclopædia Britannica" . Britannica.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  42. Ir para cima^ Berlioz / Cairns - Memórias p. 243
  43. Ir para cima^ "Notas do programa - Berlioz Requiem" . Web.ukonline.co.uk. 14 de outubro de 2002 . Retirado 13 de março de 2010 .
  44. Ir para cima^ "Matthew B. Tepper" . Home.earthlink.net . Retirado 13 de março de 2010 .
  45. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 1, p. 312 + 2, pics, legenda topo
  46. Ir para cima^ "Playbill Artes" . Playbill Artes. 09 de fevereiro de 2007 . Retirado 13 de março de 2010 .
  47. Ir para cima^ "Royal Albert Hall" . Tickets.royalalberthall.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  48. ^ Ir até:a b c d e FindArticles.com link morto ]
  49. Ir para cima^ Answers.com
  50. ^ Ir até:um b "Internet Public Library" . Ipl.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  51. ^ Ir até:um b Bartleby.com
  52. ^ Ir até:a b c Cairns, David (1999, 2000). Berlioz: Servidão e grandeza, 1832-1869 . Paperback, p. 361-5, Penguin Books . ISBN 0-14-028727-2
  53. ^ Ir até:um b Cairns - Berlioz vol. 2, p. 395
  54. ^ Ir até:um b Berlioz / Cairns - Memórias p. 527
  55. Ir para cima^ "HumanitiesWeb.org" . HumanitiesWeb.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  56. Ir para cima^ "Completamente Berlioz" . Groups.msn.com. 23 de outubro de 2008 . Retirado 13 de março de 2010 .
  57. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 494
  58. ^ Ir até:a b c d "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  59. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 587-8
  60. ^ Ir até:um b Cairns - Berlioz vol. 2, p. 591
  61. Ir para cima^ "Completamente Berlioz" . Groups.msn.com. 23 de outubro de 2008 . Retirado 13 de março de 2010 .
  62. ^ Ir até:um b Cairns - Berlioz vol. 2, p. 682
  63. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 699
  64. ^ Ir até:um b "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  65. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. Caption 660 + 6 bottom
  66. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 754
  67. Ir para cima^ O site Hector Berlioz, Berlioz em Grenoble
  68. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, pp. 772-3
  69. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 779
  70. Ir para cima^ "francesa gov Ministério dos Negócios Estrangeiros" . Diplomatie.gouv.fr . Retirado 13 de março de 2010 .
  71. ^ Ir até:a b c d "Scena.org" . Scena.org. 10 de dezembro de 2003 . Retirado 13 de março de 2010 .
  72. Ir para cima^ Economist revisão da biografia de Berlioz de David Cairns
  73. Ir para cima^ David Cairns (2003). Berlioz: Servidão e grandeza, 1832-1869 (2 ed.). University of California Press. p. 136. ISBN 9780520240582 . "Berlioz falou de si mesmo como um ateu, no máximo, como um agnóstico."
  74. Ir para cima^ Boult, GK vida de Berlioz . 1.903
  75. Ir para cima^ "Hector Berlioz" . A Enciclopédia Católica . Retirado 12 de setembro de 2009 . "... A infância de Cristo , canções, coros, etc. ... dá-nos uma idéia do que ele poderia ter sido se tivesse permanecido fiel aos ideais católicos. "
  76. ^ Ir até:a b c d e Cairns - Berlioz vol. 2, p. 100
  77. ^ Ir até:a b c Cairns - Berlioz vol. 2, p. 99
  78. ^ Ir até:a b c d e Cairns - Berlioz vol. 2, p. 101
  79. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 761
  80. Ir para cima^ Mascagni.org
  81. ^ Ir até:a b c "mars Row Berlioz aniversário" . BBC News . 16 de fevereiro de 2003 . Retirado 13 de março de 2010 .
  82. Ir para cima^ "FilmSound.org" . FilmSound.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  83. Ir para cima^ "A Enciclopédia Literária" . Litencyc.com. 29 de janeiro de 2004 . Retirado 13 de março de 2010 .
  84. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 470
  85. ^ Ir até:um b KBAQ.org
  86. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  87. ^ Ir até:a b c d e Stevens, David (28 de Abril de 2000). "International Herald Tribune" .International Herald Tribune . Retirado 13 de março de 2010 . link morto ]
  88. ^ Ir até:um b "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  89. Ir para cima^ "As Memórias de Hector Berlioz: uma série de rádio em vinte e uma peças de meia hora" . Berlioz.50webs.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  90. Ir para cima^ IMDb.com Moi, Hector Berlioz (2003)
  91. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  92. Ir para cima^ "Berlioz 2003" . Berlioz-anhb.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  93. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  94. ^ Ir até:um b N. Paglinauan (21 de junho de 2003). "NPR.org" . NPR.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  95. Ir para cima^ Holoman , 46.
  96. ^ Ir até:a b c MacDonald, "Berlioz, (Louis-) Hector", New Grove , 2: 581.
  97. Ir para cima^ Holoman, 45.
  98. Ir para cima^ Citado em Holoman, 46.
  99. Ir para cima^ Holoman, 93.
  100. Ir para cima^ Holoman, 92-93.
  101. ^ Ir até:a b c MacDonald, New Grove , 2: 582.
  102. Ir para cima^ Holoman, 92.
  103. Ir para cima^ MacDonald, New Grove , 2: 582-3.
  104. ^ Ir até:um b Memoirs , 104.
  105. Ir para cima^ Holoman, 48.
  106. Ir para cima^ Holoman, 48-49.
  107. Ir para cima^ Cairns, 1: 265.
  108. Ir para cima^ Cairns, 1: 265-6.
  109. Ir para cima^ Cairns, 1: 261.
  110. Ir para cima^ Citado em Holoway, 93.
  111. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  112. Ir para cima^ "NPR.org" . NPR.org . Retirado 13 de março de 2010 .
  113. Ir para cima^ "Matthew B. Tepper" . Home.earthlink.net. 02 de março de 1936 . Retirado 13 de março de 2010 .
  114. Ir para cima^ "HBerlioz.com" . HBerlioz.com. 18 de julho de 1997 . Retirado 13 de março de 2010 .
  115. Ir para cima^ Cairns - Berlioz vol. 2, p. 95
  116. ^ Ir até:a b c d e f Cairns - Berlioz vol. 2, p. 96
  117. ^ Ir até:um b Cairns - Berlioz vol. 2, p. 85
  118. ^ Ir até:um b Cairns - Berlioz vol. 2, p. 97
  119. ^ Ir até:a b c Cairns - Berlioz vol. 2, p. 98
  120. ^ Ir até:um b Hector Berlioz. "GreenManReview.com" . GreenManReview.com . Retirado 13 de março de 2010 .
  121. Ir para cima^ HBerlioz.com link morto ]
  122. Ir para cima^ "Universidade de Chigago Imprensa" . Press.uchicago.edu . Retirado 13 de março de 2010 .

    Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons