Heinrich Bebel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henricus Bebelius
(1472-1518)
poeta laureatus, 1501
Nacionalidade  Alemanha
Data de nascimento 1473
Local de nascimento Ingstetten[1] , perto de Justingen[2] Schelklingen,  Alemanha
Data de falecimento 31 de março de 1518 (46 anos)
Local de falecimento Tübingen,  Alemanha
Ocupação Humanista e poeta alemão
Alma mater Universidade de Tübingen

Heinrich Bebel (1472-1518) (sinonímia: Henricus Bebelius, Henricus Bebelius Justingensis, Henricus de Bewinden, Henricus Bewindanus), (* 1472 ou 1473 em Ingstetten, perto de Justingen; † 31 de Março de 1518 em Tübingen) foi humanista e poeta alemão. Foi também professor de poesia e retórica da Universidade de Tübingen. Notabilizou-se principalmente por causa da sua obra Facetiæ (Facécias, 1506), uma curiosa coleção de fatos corriqueiros e bem humorados, dirigidos principalmente contra o clero. Escreveu também a Proverbia Germanica (1508) e Triumphus Veneris (O Triunfo de Venus, 1503), onde faz uma pequena sátira sobre a a corrupção da sua época. Foi contemporâneo e amigo de Erasmo de Roterdão e recebeu o título de poeta laureatus em 30 de Janeiro de 1501 por Maximiliano I pelos sua coletânea poemática[3] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Depois de seus estudos na Universidade Jaguelônica de Cracóvia, onde foi discípulo do poeta e filólogo Laurentius Corvinus[4] (1465-1527) entre 1492 e 1494, estudou posteriormente para a Universidade de Basileia, tendo como professor Sébastien Brant em 1495, viajando posteriormente para Tübingen onde aos 25 anos, no dia 2 de Abril de 1496[3] foi nomeado professor de eloquência na Universidade Eberhard Karl, fundada 20 anos antes, cargo, aliás, que ocupou até a sua morte.

Sua coleção de Facécias são, por assim dizer, curtos relatos históricos, alicerçado muitas vezes pela sua veia cômica, e algumas vezes com conteúdo erótico. A sua coletânea de provérbios (Proverbia Germanica) teve influência duradoura na Alemanha. Suas anedotas foram encenadas em teatros populares por poetas do século XVI tais como Jörg Wickram[5] e Hans Wilhelm Kirchhof[6] , e se constituem uma fonte de história sobre os costumes de sua época.

Segundo Jacob Wimpheling[7] (1450-1528), e muitos outros, ele era o verdadeiro apaixonado e defensor do seu país (verus patriae ... amator ac defensor).[8]

Sua época[editar | editar código-fonte]

Como frequentou os meios culturais de sua época fez amizades com Hieronymus Emser[9] (1477-1527), Beatus Rhenanus[10] (1485-1547), Johannes Reuchlin, Konrad Peutinger, Johannes Nauclerus[11] (1425-1510), Philipp Melanchthon e Johann Eck[12]

Foi um ardente patriota e entusiasta admirador do estilo e da eloquência.

Obras principais[editar | editar código-fonte]

  • Comedia Vigilantius. De optimo studio iuvenum (1501)
  • Oratio ad regem Maximilianum de laudibus atque amplitudine Germaniae (1501, imprimé en 1504)
  • Triumphus Veneris, souvent réimprimé, (1503)
  • Ars condendi carmina, (1506) Nesta obra ele faz louvores ao Conde Erberhard im Bart († Fevereiro 1496), bem como à Universidade de Tübingen e a seus professores[3] .
  • Ars versificandi (1506)
  • De Germanorum antiquitate (1506)
  • De laudibus Suevorum (1506)
  • Facetiæ (1506)
  • Commentaria Epistolaru[m] Conficienda[rum] Henrici Bebelij lustingensis Poetę Laureati: poeticam & oratoriam publice profitentis in studio Tubingensi (1506) Édition numérique da Biblioteca universitária e regional de Düsseldorf.
  • Proverbia Germanica (1508)
  • Libri facetiarum iucundissimi (1508-1512)
  • Opuscula, une collection de dissertations savantes (1516)

Links Externos[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Portal.svg Portal biografias