Heinrich Kraemer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Heinrich Kramer (em latim: Heinrich Institoris; Sélestat, c.1430Boémia, 1505) foi um religioso alemão e inquisidor.

Nasceu em Sélestat, Alsácia, tendo entrado na Ordem dos Pregadores muito novo, tendo vindo a ser superior do convento da sua cidade natal.

Em data anterior a 1474 foi indicado como inquisidor para o Tirol, Salzburgo, Boémia e Morávia. A sua eloquência no púlpito e grande atividade foram motivo de reconhecimento em Roma e era o braço-direito do Arcebispo de Salzburgo. Por altura da Bula Summis desiderantes do Papa Inocêncio VIII em 1484 trabalhava juntamente com James Sprenger para formar uma inquisição dedicada a bruxas e feiticeiras. Em 1485 escreveu um tratado sobre feitiçaria e bruxaria que foi publicado conjuntamente com o seu livro mais famoso Malleus Maleficarum.

Kramer falhou a sua intenção de obter apoio junto dos principais teólogos da Faculdade de Colónia os quais vieram mesmo a condenar o seu livro, como violando a ética e os procedimentos legais, bem como tendo inconsistências com a doutrina Católica. Kramer alegou que o testemunho de 4 dos professores teria sido forjado.

O livro foi denunciado pela Inquisição em 1490 e colocado no Index Librorum Prohibitorum (Índice dos Livros Proibidos). Apesar disso, Malleus Maleficarum tornou-se de facto o guia dos perseguidores de bruxas e feiticeiras na tardia Idade Média. Entre os anos de 1487 e 1520, teve 13 edições, e entre 1574 e 1669 dezesseis.

Em 1495 Kramer foi transferido para Veneza, realizando sermões populares muito apreciados.

Em 1500 obteve autorização para pregar contra os Valdenses e outros heréticos.

Morreu na Boémia em 1505.