Helena de Mecklemburgo-Schwerin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Helena de Mecklemburgo-Schwerin
Duquesa de Mecklemburgo-Schwerin
Duquesa de Orléans
Princesa Real de França
Helena of Mecklenburg-Schwerin Duchess of Orleans with her son the Count of Paris, 1839.jpg
Governo
Consorte Fernando Felipe de Orléans
Casa Real Mecklemburgo-Schwerin
Dinastia Nikloting
Vida
Nascimento 24 de janeiro de 1814
Mecklemburgo
Morte 18 de maio de 1858 (44 anos)
Surrey
Sepultamento Capela Real de Dreux, Dreux, França
Filhos Luís Felipe
Roberto
Pai Frederico Luís de Mecklemburgo-Schwerin
Mãe Carolina Luísa de Saxe-Weimar-Eisenach

Helena Luisa Isabel de Mecklemburgo-Schwerin (em alemão Helene Luise Elisabeth, Herzogin zu Mecklenburg-Schwerin) (Mecklemburgo, 24 de janeiro de 1814 - Surrey, 18 de maio de 1858), foi duquesa de Mecklemburgo-Schwerin e, pelo casamento, duquesa de Orléans e princesa real de França.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Filha de Frederico Luís de Mecklemburgo-Schwerin, herdeiro do Grão-Ducado de Mecklemburgo-Schwerin e de sua segunda esposa, a princesa Carolina Luísa de Saxe-Weimar-Eisenach, Helena nasceu no Palácio Ludwigslust, em Mecklemburgo, onde sua mãe morreu quando ela contava somente dois anos de idade.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Após receber propostas de inúmeros pretendentes, Helena foi finalmente escolhida para desposar o príncipe herdeiro francês. Foi uma aliança conveniente, pois a duquesa era sobrinha de Frederico Guilherme III da Prússia e pertencia a uma das dinastias mais antigas da Europa.

Casou-se em 30 de maio de 1837, no Palácio de Fontainebleau, com o filho mais velho do rei Luís Felipe I e da rainha Maria Amélia, o Príncipe Real e Duque de Orléans Fernando Felipe de Orléans. O casal teve dois filhos:

Os duques de Orléans tiveram um casamento feliz, embora as idéias liberais e a fé protestante de Helena tenham sido motivo de preocupação para a rainha Maria Amélia (católica dedicada). A felicidade conjugal chegou ao fim em 13 de julho de 1842, com a morte prematura do príncipe num acidente de carruagem em Neuilly-sur-Seine. Em sua precoce viuvez a princesa passou a dedicar-se exclusivamente aos filhos.

Exílio[editar | editar código-fonte]

Com a Revolução de 1848, Luís Felipe foi obrigado a abdicar do trono e seguir com toda a família real para o exílio na Inglaterra. Imediatamente a duquesa de Orléans dirigiu-se à Assembléia com seus dois filhos e seu cunhado, o duque de Nemours, para que seu primogênito fosse proclamado rei dos franceses. Consciente de sua impopularidade, Nemours concordou que sua cunhada exercesse a regência durante a menoridade de seu sobrinho. Entretanto a tentativa da duquesa fracassou e a assembléia proclamou a Segunda República Francesa.

Helena seguiu com seus filhos para a Alemanha, iniciando um longo período de exílio, sem abandonar suas convicções políticas nem deixar de reclamar os direitos de seu filho ao trono. Suas atitudes impediram, durante muito tempo, a reconciliação entre os príncipes de Orléans e o pretendente legitimista ao trono (Henrique de Bourbon, conde de Chambord), aumentando a divisão entre os monarquistas franceses.

Morte[editar | editar código-fonte]

Tumbas dos Duques de Orléans na Capela Real de Dreux.

A duquesa de Orléans morreu em 18 de maio de 1858, aos quarenta e quatro anos, devido as complicações de uma gripe que contraiu enquanto cuidava de seu filho mais novo, o duque de Chartres, durante uma viagem à Inglaterra.

Por ser protestante, Helena não poderia ser sepultada na Capela Real de Dreux, onde repousam os restos mortais dos membros da família real francesa. A solução encontrada foi a construção de um anexo à capela, onde o túmulo da duquesa foi erguido. A construção comunica-se com o túmulo do duque de Orléans por uma espécie de janela e a escultura da princesa protestante descansa sobre a tumba, exibindo-a tentando alcançar a tumba de seu marido.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Volkmann, J.: Généalogie des rois et des princes . Edit Jean-Paul Gisserot (1998)
  • Perrin, G.P.: Les Orléans, une famille en quête d'un trône. (1999)
  • Hélène de Mecklembourg-Schwerin; Madame la duchesse d'Orléans; Nouvelle édition. Paris: Michel Lévy (1859)
  • d'Harcourt geb. Gräfin Saint-Aulaire: Die Herzogin von Orleans, Helene von Mecklenburg-Schwerin. Ein Lebensbild. Berlin 1859
  • Hélène d'Orléans, duchesse d'Orléans, Lettres originales de Madame la duchesse d'Orléans : Hélène de Mecklenbourg-Schwerin et souvenirs biographiques recueillis par G.H. De Schubert, Paris, Genève, Éditions H. Goerg et Paris, Éditions Magnin, 1859


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.