Heliópolis (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Heliópolis
"Novo Amparo"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 11 de Abril
Fundação 11/04/1985
Gentílico heliopolense[1]
Lema Nihil sub sole novum Heliópolis. Traduzido do latim, significa: "(Não há) nada de novo sob o Sol de Heliópolis"
Prefeito(a) Idelfonso Fonseca (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Heliópolis
Localização de Heliópolis na Bahia
Heliópolis está localizado em: Brasil
Heliópolis
Localização de Heliópolis no Brasil
10° 40' 58" S 38° 17' 09" O10° 40' 58" S 38° 17' 09" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008 [2]
Microrregião Ribeira do Pombal IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Cícero Dantas e Fátima (Norte); Ribeira do Pombal (Oeste); Ribeira do Amparo (Sul); Sergipe (Leste).
Distância até a capital 300 km
Características geográficas
Área 324,005 km² [3]
População 12 444 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 38,41 hab./km²
Altitude 324 m
Clima Tropical Semi-Árido [[Classificação climática de Köppen-Geiger|BSh]]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,563 baixo PNUD/2010 [5]
PIB R$ 41 498,709 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 2 847,25 IBGE/2008[6]
Página oficial

Heliópolis é um município do estado da Bahia, no Brasil. Sua população estimada em 2006 era de 14 575 habitantes.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Heliópolis" é uma palavra com origem na língua grega, significando "cidade do sol", pela junção de hélios (sol)[7] e pólis (cidade)[8] .

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro nome do povoado que originou a cidade de Heliópolis na Bahia foi Pau Comprido. Para a origem desse nome há duas versões: a primeira afirma que o nome Pau Comprido surgiu na época que havia uma feira livre no povoado. Certo dia, houve uma briga tão violenta entre dois grupos de pessoas, dando início a uma rixa que durou tanto tempo, que o lugar ficou conhecido como a terra dos Pau Comprido. Uma outra versão, a mais aceita pela comunidade de hoje, diz que o nome surgiu ainda na época em que não havia nem mesmo habitações na região. José Umburana, fazendeiro e comerciante da época, decidiu apossar-se da área e, sob uma enorme árvore, iniciou a pratica de matar um boi sempre aos sábados e vender a carne àqueles que passavam pela região. Desta forma, outras pessoas também resolveram vender alguns produtos debaixo da referida árvore, iniciando assim uma pequena feira livre.

O nome Pau Comprido foi usado como referência pelas comunidades vizinhas ao local onde era realizada a pequena feira livre. Com o passar do tempo e o aumento de circulação de pessoas na área, iniciou a construção de uma igreja e, na sua volta, residências começaram a ser construídas, dando origem ao povoamento da região. Logo depois, o lugarejo passou a se chamar de Novo Amparo, situado no município de Ribeira do Amparo, onde obteve rápido crescimento, ganhando a condição de distrito com o nome de Heliópolis. Município criado com território desmembrado de Ribeira do Amparo, por força da Lei Estadual de 11 de abril de 1985. A sede foi elevada à categoria de cidade, quando da criação do município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O município de Heliópolis situa-se na Microrregião de Ribeira do Pombal (Nordeste do estado brasileiro da Bahia), próximo a divisa com o estado de Sergipe, distante 300 km de Salvador.

Povoados[editar | editar código-fonte]

Araticum, Arrozal, Barreira do Tubarão, Barreira Grande, Bendó, Caboatá, Caboré, Caetana, Cajazeira, Calumbí, Condão, Cumbanzê, Curaça, Davi, Farmácia, Feijão Bravo, Galinha Morta, Itapororoca de Baixo, Itapororoca de Cima, Jibóia,João Grande, Mandacaru, Maria Preta, Marmelada, Massaranduba, Melancia, Ouricuri, Pau-ferro, Pindobal, Poço, Porteira, Queimada do Miguel, Quixabeira, Riachinho, Riacho, Sacatinga, Saco Grande, Sapé, Serra dos Correias, Serrota, Tamarindo, Tamboril, Tanque das Vargens, Tanque Novo, Tanquinho, Terra Preta, Tijuco, Umburana, Velame e Viuveira.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Heliópolis é o tropical sub-úmido a seco, onde as chuvas caem no inverno e as trovoadas no verão. Esse clima apresenta temperatura média anual de 18,8 a 25,4 graus centígrados, com máxima de 24,5 a 33 graus centígrados, e mínima de 14 a 22 graus centígrados. A pluviosidade média anual é de 850 milímetros. Devido à sua localização, a cidade de Heliópolis não é considerada Sertão e sim Agreste, que é uma faixa de terra bastante estreita na direção Leste/Oeste e alongada na direção Norte/Sul, situada entre o Sertão semi-árido e a Zona da Mata úmida. É uma área de transição entre essas duas sub-regiões. Seu clima não é tão seco quanto o do Sertão, nem tão úmido quanto o da Zona da Mata. (Fonte: SEI)

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo de Heliópolis é formado pelas planícies e pelos tabuleiros costeiros (tabuleiro de Itapicuru e tabuleiro do Rio Real), com uma altitude de 324 metros. (Fonte: SEI)

Geologia[editar | editar código-fonte]

A estrutura geológica do município de Heliópolis é composto pelos Arenitos, Argilitos e Paraconglomerados. (Fonte: SEI)

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Por se localizar numa área de transição (ecótono), Heliópolis apresenta uma vegetação de contato entre o Cerrado e a Caatinga.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Heliópolis está totalmente inserido na bacia hidrográfica do Rio Real, possuindo o único açude dessa rede hidrográfica, o açude Pindorama. Com uma extensão de 1,5 quilômetros, suas águas servem para irrigação e para o lazer.

Infraestrutura e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

No início do seu povoamento, existia uma grande dificuldade de locomoção para as cidades vizinhas. Praticamente não havia carros nem outros meios de transporte, como ônibus e caminhões, forçando as pessoas a se locomoverem utilizando transportes de tração animal (carros-de-boi, carroças e outros). Na atualidade, a cidade possui três estradas a BA-393 que liga a BR-110/Heliópolis/Poço Verde-SE e a estrada que liga Heliópolis/Cipó via Ribeira do Amparo. No terminal de embarque entra algumas linhas de ônibus, como: Aracaju/Ribeira do Pombal, Aracaju/Heliópolis e Salvador/Heliópolis, a maioria dos transportes para as outras cidade são os alternativos como as "vans". O transporte feito por tração animal ainda é muito utilizado na zona rural, mas já há muitas pessoas com transporte próprio, como automóveis e motos.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Havia um sistema de alto-falante, denominado "A voz de Heliópolis", bastante ativo na sede e cujo locutor, Zequinha de Maxi, era muito popular na cidade. A agência dos correios já funcionava com seus serviços básicos. Havia dois jornais no município. Um de periodicidade irregular, chamado "A Mosca" e que era especializado em política municipal. Um de periodicidade mensal, chamado “Voz do Sertão”. A partir dos anos 1990, se intensificaram as instalações de linhas telefônicas chegando hoje a praticamente todas as casas, assim como as televisões e os rádios. A internet também já faz parte do cotidiano do povo heliopolense, principalmente os jovens, que lotam a lan house da cidade. Há também uma rádio comunitária 104,9 atuando na sede do município.

Recursos naturais[editar | editar código-fonte]

Minadouros e lençóis freáticos.

Abastecimento de água[editar | editar código-fonte]

Até a década de 1980, a população utilizava águas de tanques, de cisternas, do açude e de minadouros. Hoje, muitas residências possuem poços artesianos, e a sede do município já possui água encanada e tratada.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a cidade de Heliópolis conta com um bom sistema de saúde público para os seus cidadãos. A cidade conta com cinco médicos, oito enfermeiros e 3 dentistas, atuando pelo menos 30hs semanais cada. Além do centro de saúde, a cidade possui 3 unidades de saúde da família (nível 1), nos povoados Cajazeiras, Riacho e Tijuco, apoiados pelo PFS do governo federal. Recentemente, foi inaugurado um centro odontológico próximo ao terminal rodoviário, que visa atender os procedimentos odontológicos básicos da população.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população do município de Heliópolis tem origem nos povos portugueses, indígenas e africanos. Vêm daí muitas características predominantes na cultura de seu povo, observadas nas festas religiosas e populares, na culinária, linguagem e musicalidade. Hoje, estima-se que vivem no município 14 575 habitantes, sendo que 40 por cento da população vive na zona urbana e 60,0 por cento na zona rural. Sua densidade demográfica é de 44,4 habitantes por quilômetro quadrado.

Música[editar | editar código-fonte]

O estilo musical predominante em Heliópolis é o Forró. Vários foram os sanfoneiros que contribuíram para esse sucesso, o que deu origem ao melhor São Pedro do Brasil, sanfoneiros como: Nezinho Cordeiro, Zé de Severo, João e Jaci Ventinha. Na atualidade o destaque é para as bandas: Alaelson do Acordeom e o Bonde da Loirinha, além de Gilberto Alves. Os jovens também deixam claro seus gostos musicais, existindo várias tribos musicais. Apesar de predominar o forró em Heliópolis, prova disso é a sua maior festa, o São Pedro, o cantor mais expoente do município é Helvécio Santana que toca música regional (cantoria).

Calendário festivo[editar | editar código-fonte]

A população de Heliópolis cresceu bastante, comparando-se com a população do povoado que originou o município. Com isto, as festas realizadas na cidade passaram a movimentar uma quantidade maior de pessoas, fazendo com que estas exigissem uma maior organização por parte dos administradores municipais. As festas que movimentam o maior número de pessoas, em Heliópolis, são:

29/6 – São Pedro – Festa tradicional da cidade e que chega a movimentar acima de 16 000 pessoas durante a realização do evento. Conta com uma estrutura constituída por dois palcos para apresentação das bandas (muitas oriundas de outros municípios, e atualmente com bandas de projeção nacional) e de inúmeras barracas, onde são encontradas comidas típicas e bebidas.

14/10 – Festa do Sagrado Coração de Jesus – Esta festa religiosa atrai pessoas de toda a região. Todos os dias acontecem às missas tanto pela manhã quanto pela noite procedida por novena e procissões. No final acontecem shows com bandas locais e o coral da igreja com cânticos religiosos.

25/01 - Encontro de Carro-de-Boi - Organizado por Zé de Miguel, o evento contou com um grande número de participantes e movimentou toda a cidade e região.

1 a 20/09 - As santas missões, que acontecem do dia 1 a 20 de setembro, e uma preparação para a festa do sagrado coração de Jesus, em que grupos de oração, em que participam de jovens até idosos, transmitem a palavra de Deus nas casas das pessoas.

Referências

  1. Histórico de Heliópolis no site do IBGE
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 25 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 885.
  8. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 354.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.