Helsínquia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Helsinque)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Helsínquia (Helsinque)
Helsingin kaupunki
Brasão oficial de Helsínquia
Brasão
Localização de Helsínquia na Finlândia
Localização de Helsínquia na Finlândia
País  Finlândia
Província Finlândia Meridional
Encarregado municipal Jussi Pajunen
Área  
  Total 686 km²
    Terreno   186,4 km²
    Água   0,7 km²
População  
  Cidade 571 354 (2006)
    Densidade   3 060/km²
Fuso horário
  Verão (DST)
GMT+2 (UTC+2)
GMT+3 (UTC+3)
Ano de fundação: 1550

Helsínquia (português europeu) ou Helsinque (português brasileiro) (em finlandês Helsinki; em sueco Helsingfors), com aproximadamente 600 mil habitantes[1] , é a capital da República da Finlândia e a maior cidade do país.

Está localizada na parte meridional do país, na costa do Golfo da Finlândia, e é uma das mais habitáveis e socialmente desenvolvidas capitais do mundo. Helsínquia forma uma conurbação com outras três cidades, Espoo, Vantaa e Kauniainen que, no seu conjunto, constituem a chamada Área Metropolitana de Helsínquia, com uma população total de cerca de 1 380 000 habitantes[1] , concentrando 1/5 da população do país.

Helsínquia espalha-se por várias ilhas, entre as quais se encontram Seurasaari, Lauttasaari, Korkeasaari — onde se localiza o maior jardim zoológico da Finlândia — e a ilha fortaleza de Suomenlinna.

História[editar | editar código-fonte]

Helsínquia em 1645.

Helsínquia foi fundada em 1550 por Gustavo I, rei da Suécia como alternativa à cidade de Tallinn, na Estónia. No século XVIII, os suecos construíram a fortaleza de Suomenlinna na tentativa de protegerem a região do expansionismo russo.

Na sequência de várias guerras, a Rússia acabou por ocupar a Finlândia e Helsínquia tornou-se a capital da província autónoma russa da Finlândia. Quando o país se tornou independente em 1917, Helsínquia foi escolhida para sede do governo.

Em 1952 a cidade acolheu os Jogos Olímpicos de Verão, o que reforçou a importância de Helsínquia no panorama desportivo mundial. No ano 2000 foi eleita Capital Europeia da Cultura, no momento da celebração do seu 450.º aniversário. Em Agosto de 2005 recebeu o Campeonato Mundial de Atletismo.

Como atracção turística destaca-se a Catedral de Helsínquia, luterana (1830-1852) de estilo neoclássico e a catedral ortodoxa russa de Uspenski (1868), desenhada por Alexander Gornostayev, de grande valor artístico. Também é digno de menção o conjunto neoclássico da Praça do Senado, na parte antiga da cidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Seurasaari, Helsínquia.
Suomenlinna, patrimônio da UNESCO.
Imagem de satélite da cidade.

A cidade possui alguma aglomeração significante no interior. O municipio é pouco pouco povoado (2,800 hab/km²)[1] se compararmos com a média da área urbana. No distrito de Kallio chega a 16494 hab./km2, sendo que a média de Helsínquia é 3050 hab./km2, capital pouco povoada se compararmos com as demais capitais europeias.

Densidade demográfica das
principais capitais da UE
 França Paris 20.696 hab/km²
 Reino Unido Londres 12.331 hab/km²
 Portugal Lisboa 5.839 hab/km²
 Espanha Madrid 5.325 hab/km²
 Alemanha Berlim 3.842 hab/km²
 Itália Roma 1.981 hab/km²
 Finlândia Helsínquia 2,800 hab/km²[1]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da cidade é temperado continental. Devido à influência atenuante do Mar Báltico, as temperaturas no inverno são mais elevadas. As médias em janeiro e fevereiro estão próximas de -5 °C. Temperaturas inferiores a -20 °C ocorrem normalmente apenas por uma semana ou duas. No entanto, devido à latitude, o dia dura menos de seis horas no inverno. A média da temperatura máxima em junho e em agosto está entre 19 e 21 °C. A temperatura mais alta registrada no centro da cidade foi de 31,6 °C (em 18 de julho de 1945), e a menor foi -34,3 °C (em 10 de janeiro de 1987).

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da cidade é baseada principalmente nos serviços. A maior parte das grandes empresas finlandesas têm a sua sede na região metropolitana de Helsínque, devido às ligações internacionais, redes de logística e disponibilidade de mão-de-obra na cidade.

A Região metropolitana de Helsínquia contribui aproximadamente com um terço do PNB da Finlândia. O PNB per capita de Helsínquia é quase o dobro da média do PNB per capita da Finlândia. As principais ações do país estão na Bolsa de Valores de Helsínquia.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O turismo em Helsínquia é amplamente dominado e ligado à cultura. A cidade tem muitos museus como o Museu Nacional (Kansallismuseo), o Museu de Arte Contemporânea (Kiasma), o Museu de Arte Clássica (Ateneum) e o Museu de História Natural.

Além disso, como no resto dos países nórdicos, a arquitetura e o design são de grande importância. O Classicismo inspirou a arquitetura de diversos prédios da cidade, entre os mais conhecidos estão a Catedral e a Universidade de Helsínquia.

A cidade possui uma rica história, marcada por conflitos contra outros povos, principalmente os russos. Na pequena ilha de Suomenlinna (também chamada de Sveaborg), encontra-se a antiga fortificação no localizada no porto da cidade. A fortificação foi construída pelos suecos para defender a Finlândia, especialmente contra os russos.

A configuração subterrânea invulgar tem tornado a igreja Temppeliaukio kirkko um dos pontos turísticos mais visitados da cidade.[2]

Helsínquia tem 44 hotéis com 6838 quartos e 876 restaurantes[carece de fontes?].

Educação[editar | editar código-fonte]

Helsínquia tem aproximadamente 190 escolas primárias, 41 escolas secundárias e 15 institutos profissionais. A metade das 41 escolas secundárias são privadas ou de propriedade estatal, a outra metade pertence ao governo municipal. O ensino superior é dado em oito universidades (consulte a secção "Universidades", abaixo) e quatro politécnicos.

Instituições de ensino superior[editar | editar código-fonte]

Universidade de Helsínquia.
Universidades
  • Universidade da Helsínquia
  • Universidade Tecnológica da Helsínquia (localizada em uma cidade vizinha)
  • Escola de Economia da Helsínquia
  • Escola de Economia Hanken
  • Academia de Belas Artes
  • Academia Sibelius
  • Teatro Academia
  • Universidade de Arte e Design da Helsínquia
  • Universidade Nacional de Defesa.
Politécnicos
  • Metropolia da Helsínquia
  • Universidade de Ciências Aplicadas
  • Arcada Politécnina da Helsínquia
  • Negócio Politécnico da Helsínquia

Cultura[editar | editar código-fonte]

O Teatro Nacional Finlandês
O Teatro Sueco à noite.

O maior museu histórico em Helsínquia é o Museu Nacional da Finlândia, que exibe uma vasta coleção histórica da pré-história ao século XXI. O museu possui um edifício estilo a um castelo medieval neo-romântico e é uma atração turística. Outro importante museu histórico na cidade é o Museu da Cidade de Helsínquia, que divulga aos visitantes a história de Helsínquia 500 anos antes da atualidade. A Universidade de Helsínquia também tem muitos museus importantes, incluindo o Museu Universitário e o Museu de História Natural.

A Galeria Nacional finlandês é constituída por três museus: Museu de Arte Clássica Ateneum, Museu de Arte Clássica finlandesa e o Museu de Arte Clássica Europeu Sinebrychoff. Possui também museus pouco menos atrativos, como o Museu Kiasma e o Museu de Arte Moderna. O velho Ateneum, um palacete de estilo neo-renascentista construído e inaugurado no Século XIX, é um dos principais edifícios históricos da cidade, enquanto o Museu Kiasma é moderno e provavelmente o edifício mais meticuloso em Helsínquia.

Helsínquia tem três grandes teatros: O Teatro Nacional Finlandês , o Teatro da Cidade de Helsínquia e o Teatro Sueco. Os eventos de grande importância cultural, como a Ópera Nacional, geralmente são realizadas em Helsínquia ou outra grande cidade do país. A cidade é considerada um dos principais polos de música popular no Norte da Europa, muitos amplamente reconhecidas e aclamadas.Helsínquia também possui o maior centro de feiras do país.

Arte[editar | editar código-fonte]

O Festival de Helsínquia é um festival anual de artes e cultura, que se realiza a cada ano (incluindo a Noite das Artes).

Política[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal de Helsínquia.

Como em todos os municípios finlandeses, o conselho da cidade de Helsínquia, é o principal órgão de tomada de participação na política local, tratando de questões como o planejamento da cidade, escolas, saúde e transporte público. Os 85 membros do conselho são eleitos a cada quatro anos nas eleições municipais.

Tradicionalmente, os conservadores, o Partido de Coligação Nacional (Kokoomus) tem sido o maior partido na política de Helsínquia. Na eleição de 2000, a Liga Verde, ganhou a posição de segundo partido mais popular. Em 2004 o mais popular foi o SDP (Partido Social Democrata). Na eleição de 2008, a Liga Verde voltou a ser o segundo partido mais forte.

O Partido Central da Finlândia, apesar de ser um dos três maiores partidos na política nacional, só tem pouco apoio em Helsínquia, como acontece na maioria das outras grandes cidades.

Distribuição das cadeiras
na Câmara Municipal
Partido 2008 2004 2000 1996
Partido da Coligação Nacional 26 25 25 24
Liga Verde 21 17 21 16
SDP 16 21 18 21
Aliança de Esquerda 7 8 7 6
Partido do Povo Suéco 5 6 6 8
Verdadeiros Finlandeses 4 1 - -
Partido Central 3 4 4 3
Democratas Cristãos 2 2 3 2
Partido Comunista 1 1 0 0
Independentes 0 0 1 0
Prefeitos de Helsinque
Prefeito Mandato Partido Político
Arthur Castrén 19211930
Antti Tulenheimo 19311944 Partido da Coligação Nacional
Eero Rydman 19441956 Edistyspuolue
Lauri Aho 19561968 Partido da Coligação Nacional
Teuvo Aura 19681979 Vapaamielisten Liitto
Raimo Ilaskivi 19791991 Partido da Coligação Nacional
Kari Rahkamo 19911996 Partido da Coligação Nacional
Eva-Riitta Siitonen 199631 de maio 2005 Partido da Coligação Nacional
Jussi Pajunen Desde 1 de junho de 2005 Partido da Coligação Nacional

Transporte[editar | editar código-fonte]

Estradas[editar | editar código-fonte]

Auto Estrada 4.

Helsínquia tem várias estradas. As mais conhecidas são: Kehä I, Kehä II e Kehä III. Da área central da cidade em direção ao leste e oeste, encontramos estradas importantes como a Itäväylä e a Länsiväylä. A partir da área central da cidade em direção ao norte, existem várias rotas. Existe uma proposta de construção de um túnel sob a área central de Helsínquia. O centro da cidade possui um parque de estacionamento subterrâneo bem popular.

Helsínquia tem cerca de 390 automóveis por 1000 habitantes. Isto é menos do que em cidades de densidade semelhante, por exemplo, Bruxelas, capital da Bélgica, que possui 483 automóveis por 1000 habitantes, Estocolmo, capital da Suécia, que possui 401 automóveis para 1000 habitantes e Oslo, na Noruega que possui 413 automóveis para a mesma quantidade de habitantes.

Transporte ferroviário e metrô[editar | editar código-fonte]

Estação Ferroviária de Helsínquia.

O transporte público é geralmente muito debatido na política local da cidade. O sistema de transporte público diversificado é composto por bondes, ferrovias, metrô e ônibus. A região metropolitana de Helsínquia possui um Conselho de Transportes.

Hoje, Helsínquia é a única cidade na Finlândia a possuir comboios elétricos e metrô. Os bondes também são utilizados em outras duas cidades do país: Turku e Viipuri. Porém, com o passar dos anos, essas duas cidades tem utilizado cada vez mais o ônibus, ao contrário de Helsínquia, onde os bondes possuem uma grande utilização pública. O Metrô de Helsínquia, inaugurado no ano de 1982, é até agora o único sistema de metrô na Finlândia. Em 2006, foi aprovado a construção de um longo sistema de extensão do metrô para a região oeste da cidade, em direção à cidade de Espoo.

Aviação[editar | editar código-fonte]

O tráfego aéreo é feito principalmente a partir do Aeroporto Internacional de Helsínquia-Vantaa, localizado a cerca de 19 quilómetros (12 milhas) ao norte da área do centro de Helsínquia, na cidade vizinha de Vantaa. O aeroporto oferece vôos regulares para muitas cidades importantes da Europa, Ásia e América do Norte. Helsínquia também possui o aeroporto Malmi, que é utilizado principalmente para a aviação privada.

Esporte[editar | editar código-fonte]

O maior evento esportivo regular em Helsínquia é o chamado Helsinki Cup onde crianças e jovens praticam o futebol. O evento é organizado desde 1976. Outro evento que atrai anualmente cerca de 6.000 participantes, também um dos maiores da Finlândia, é a Maratona da Cidade de Helsínquia. A maratona é realizada em agosto e segue a rota do litoral da cidade.

Foi organizada uma série de importantes eventos desportivos a nível internacional, em Helsínquia, incluindo os dos Jogos Olímpicos de Verão de 1952. O Campeonato Mundial de Atletismo foi realizada em 1983 e em 2005. O Campeonato Europeu de atletismo foi realizado na cidade nos anos de 1971 e 1994. Campeonatos Mundiais do hóquei no gelo foram suspensos na cidade nos anos 1974, 1982, 1991, 1997 e 2003.

Clubes esportivos[editar | editar código-fonte]

Principais Clubes Esportivos da cidade:

  • HJK Helsinki, um dos principais clubes de futebol na Finlândia;
  • HIFK, a equipe de hóquei sobre o gelo mais antigo da Finlândia (fundado em 1897);
  • Jokerit, um dos mais populares clubes de hóquei sobre o gelo do país.

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Helsínquia é geminada com:

Cidade País
Bulgária Sófia Bulgária
Noruega Oslo Noruega

Nativos notáveis[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Helsinki

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Finlândia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.