Henrique II de Castela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henrique II
Rei de Castela
Coroação de Henrique II, miniatura medieval das Crónicas de de Jean Froissart
Governo
Reinado 1369 - 1379
Consorte de Joana Manuel de Castela
Antecessor Pedro I de Castela
Herdeiro João I de Castela
Sucessor João I de Castela
Dinastia Dinastia de Trastâmara
Vida
Nascimento 13 de Janeiro de 1333
Sevilha
Morte 29 de Maio de 1379 (46 anos)
Santo Domingo de la Calzada
Sepultamento Catedral de Toledo
Filhos Ver descendência
Pai Afonso XI
Mãe Leonor de Gusmão

Henrique II de Castela, o das Mercês (Sevilha, 13 de Janeiro de 1334 - Santo Domingo de la Calzada, La Rioja, 29 de Maio de 1379), foi rei de Castela, filho ilegítimo de Afonso XI de Castela e Leonor de Gusmão e como tal meio-irmão de Pedro I de Castela. Senhor de Trastâmara, inaugurou a dinastia de Trastâmara no trono de Castela e Leão em 1369.

Apelidado O magnífico, el de las Mercedes: dispensava larguezas para apoiar suas pretensões. Assassinada sua mãe Leonor de Gusmão por ordem da rainha D. Maria de Portugalem 1350, revoltou-se contra seu irmão Pedro I, apoiando-se no aliado Pedro IV de Aragão. Para alguns autores a morte da mãe e de seu irmão Fadrique Afonso de Castela, (senhor de Haro e Mestre da Ordem de Santiago) às mãos do rei, seu irmão, fê-lo decidir lançar-se no caminho do crime, receando por sua vida.

Fugiu em 1356 para a França, quando o irmão subiu ao trono. Recebeu ajuda em 1365 do rei Carlos V de França que mandou Bertrand du Guesclin levar a Castela as Grandes Compagnies para combater Pedro e seu aliado inglês, o Príncipe Negro. Vencido em 3 de abril de 1367 em Nájera pelo Príncipe Negro, sendo preso Bertrand, fugiu para o Reino de Aragão. Livre, Bertrand du Guesclin logo obteve a vitória de Montiel (1369). Sitiou o irmão, com os mercenários de du Guesclin, em Montiel, na Mancha, e em 23 de Março de 1369 assassinou o irmão Pedro, colocando assim um ponto final no conflito que havia muito se arrastava e opunha os dois irmãos na luta pelo poder. Coroado em Burgos em 1369, Henrique II foi o 15º Rei de Castela e o 36º Rei de Leão.

Henrique II (sentado no trono) observando seu meio-irmão Pedro I a ser decapitado (manuscrito existente na Biblioteca Nacional de Paris).

Este acontecimento traria graves consequências, já que grande parte das cidades apoiavam o reinado de D. Pedro. Henrique parte para a Guerra dos Cem Anos, passando a maioria do seu reinado combatendo as pretensões de João de Gaunt, filho de Eduardo III de Inglaterra, que reclamava o trono por direito da sua segunda esposa, Constança de Castela filha do rei Pedro e de Maria de Padilla.

Governou dez anos apoiado pela França, em sua guerra contra as filhas de Pedro, chamadas de bastardas. Assegurou o trono ao vencer Fernando I de Portugal e João de Gaunt, Duque de Lancaster, pretendentes da Coroa castelhana, e se aliar fielmente a Carlos V. Em 1372 sua frota cooperou por duas vezes para tomar dos ingleses La Rochelle.

Henrique II foi o primeiro nobre a utilizar o anti-semitismo como uma ferramenta política na Espanha, o que conduziu à extinção da convivência, e a um período de tumultos e quezilas, e pode ser considerado como precedente à perseguição dos judeus pela Inquisição Espanhola, iniciada cem anos depois.

O seu testamento foi outorgado em 29 de Maio de 1379 na cidade de Burgos.[1] O rei Henrique encontra-se sepultado na Catedral de Toledo.

Casamento e posteridade[editar | editar código-fonte]

Casou em 1350 com Joana Manuel de Castela, senhora de Lara e Biscaia, de Peñafiel, de Escalona,e de Villena, filha de João Manuel de Castela e de sua terceira esposa Branca de la Cerda, filha de Fernando de La Cerda. Dela teve três filhos.

Túmulo do rei Henrique II na Catedral de Toledo.

Teve vários filhos fora do casamento, mencionados em seu testamento :


Precedido por
Pedro I de Castela
Rei de Castela e Leão
1369-1379
Sucedido por
João I

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • López de Ayala, Pedro. Crónica del rey don Pedro y del rey don Enrique, su hermano, hijos del rey don Alfonso Onceno (edición crítica y notas de Germán Orduna; estudio preliminar de Germán Orduna y José Luis Moure). [S.l.]: Buenos Aires, 1994-1997. OCLC 489686613
  • Valdeón Baruque, Julio. Los Trastámaras. El triunfo de una dinastía bastarda (em espanhol). Madrid: Temas de Hoy, S.A., 2001. ISBN 84-8460-129-3
  • Valdeón Baruque, Julio. Pedro I el Cruel y Enrique de Trastámara (em espanhol). Madrid: Santillana Ediciones Generales, S.L., 2002. ISBN 84-03-09331-4


Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.