Henrique Trindade Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nota: Não confundir com o político e escritor José Francisco Trindade Coelho.
Henrique Trindade Coelho
Ministro(a) de Ministério dos Negócios Estrangeiros
Ministro de Portugal em Roma
Vida
Nascimento 1885
Lisboa
Morte 1934 (49 anos)
Sintra
Nacionalidade  Portugal
Dados pessoais
Profissão Político, jornalista e escritor

Henrique Trindade Coelho, também conhecido como Trindade Coelho, (Lisboa, 1885 — Sintra, 1934) foi um político, jornalista, diplomata e escritor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira artística, política e diplomática[editar | editar código-fonte]

Foi um dos responsáveis pela preparação do Movimento de 28 de Maio de 1926, através das suas actividades na imprensa, especialmente no periódico O Século1 Com efeito, destacam-se os seus artigos nos jornais, e a sua obra de preparação da Ditadura Nacional, publicada quase totalmente no Século, que conduziram a doutrina do movimento nacionalista, que depois levou à revolução de 28 de Maio e a subida ao poder de Oliveira Salazar.1 Crítico da democracia e do comunismo, foi considerado um dos primeiros fascistas portugueses.1

Após a revolta, foi nomeado como Ministro de Portugal em Roma, onde estudou de perto o regime fascista de Mussolini, do qual era amigo íntimo e admirador.1 Esteve, igualmente, no Vaticano.1 Durante o governo de João Sinel de Cordes, exerceu como Ministro dos Negócios Estrangeiros, posição na qual permaneceu pouco tempo; a principal razão apontada para o fim do seu mandato foram as constantes intrigas no Palácio das Necessidades, que aumentavam a desordem, limitando muito a sua acção como ministro.1

Além de publicar alguns artigos no jornal "A Pátria", foi director de "O Século. Colaborou ainda na revista Atlântida2 (1915-1920).

Cargos oficiais desempenhados:

Vida[editar | editar código-fonte]

Faleceu na sua residência de Sintra em 1934, vítima de uma angina do peito.1

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Carvões (poesia) (1907)
  • Amores Novos (1911)
  • Ferro em Brasa (1913)

Referências

  1. a b c d e f g (1 de Novembro de 1934) "Os nossos mortos: Dr. Trindade Coelho". Gazeta dos Caminhos de Ferro 46 (1125): 543. Página visitada em 28 de Outubro de 2013.
  2. Atlântida : mensário artístico literário e social para Portugal e Brazil (1915-1920) [cópia digital, Hemeroteca Digital]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.