Henry Lee III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henry Lee III
9º Governador da Virgínia
Mandato 1791 – 1794
Antecessor(a) Beverley Randolph
Sucessor(a) Robert Brooke
Vida
Nascimento 29 de janeiro de 1756
Dumfries, Virgínia
Morte 25 de março de 1818 (62 anos)
Ilha de Cumberland, Geórgia
Nacionalidade Americano
Dados pessoais
Alma mater College of New Jersey
Primeira-dama Matilda Ludwell Lee
Anne Hill Carter
Partido Federalista
Profissão Militar, Advogado e político
Assinatura Assinatura de Henry Lee III
Serviço militar
Apelido(s) "Light-Horse Harry"
Lealdade Exército Continental
Exército dos Estados Unidos
Graduação Tenente-Corenel
Major-General
Batalhas/guerras Guerra revolucionária americana
Rebelião do whiskey

Henry Lee III (29 de janeiro de 1756 - 25 de março de 1818) foi um político americano e 9º governador da Virgínia, também foi membro da câmara dos representantes dos Estados Unidos por este mesmo estado. Foi um pioneiro patriota e durante a Revolução Americana, Lee serviu como um oficial de cavalaria do Exército Continental e ganhou o apelido de "Light Horse Harry".[1] [2] Lee foi também o pai do general confederado Robert E. Lee.

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Lee nasceu próximo de Dumfries, Virgínia, filho de Henry Lee II (1730–1787) da "Leesylvania" e de Lucy Grymes (1734–1792) a "bela da planície". Seu pai era primo de Richard Henry Lee, 12º presidente do Congresso Continental. Sua mãe era uma tia da esposa do governador da Virgínia, Thomas Nelson Jr. Sua bisavó Mary Bland também era uma tia-avó do Presidente Thomas Jefferson.

Lee era neto de Henry Lee I, bisneto de Richard Bland e trineto de William Randolph.[3] Ele também era descendente de Theodorick Bland of Westover e do governador Richard Bennett.

Carreira militar[editar | editar código-fonte]

Carta de Henry Lee ao Coronel Shreve, 1780

Lee graduou-se no Colégio de Nova Jersey (agora Universidade de Princeton) em 1773 e seguiu a carreira jurídica. Com o início da guerra revolucionária, tornou-se um capitão do destacamento de infantaria montada da Virgínia, que foi anexado ao 1º Continental Light Dragoons (Regimento montado do Exército Continental). Em 1778, Lee foi promovido para Major e dado o comando de um destacamento misto de cavalaria e infantaria, que ficou conhecida como Legião de Lee, com o qual ele ganhou uma grande reputação como um líder de tropas leves.

Foi durante seu tempo como comandante da Legião que Lee ganhou o apelido de "Light Horse Harry" por sua equitação. Em 22 de setembro de 1779, o Congresso Continental votou presentear Lee com uma medalha de ouro - uma recompensa nunca dada para ninguém com posto abaixo de general - pelas as ações da Legião durante a batalha de Paulus Hook em Nova Jersey, em 19 de agosto deste mesmo ano.[4] [5]

Lee foi promovido par tenente-coronel e foi designado com sua legião para a zona de guerra do sul. A Legião de Lee invadiu o posto avançado britânico de Georgetown, Carolina do Sul, com o General Francis Marion em janeiro de 1781 e ajudou o exército americano em sua carreira para o Rio Dan no mês seguinte. Lee uniu-se com General Francis Marion (The Swamp Fox) e ao General Andrew Pickens na Primavera de 1781 para capturar numerosos postos britânicos na Carolina do Sul e na Geórgia incluindo Watson Fort, Fort Motte, Granby Fort, Fort Galphin, Fort Grierson e Fort Cornwallis, Augusta Geórgia. Lee e sua legião também serviram na batalha de Guilford Court House, o "cerco de noventa e seis" e na batalha de Eutaw Springs. Ele esteve presente na rendição de Cornwallis em Yorktown, mas deixou o exército pouco depois alegando cansaço e decepção com seu tratamento pelos colegas oficiais. Durante a rebelião do whiskey (insurreição contra alta de impostos), Lee comandou os 13.000 milicianos enviados para acalmar os rebeldes.

Casamentos e filhos[editar | editar código-fonte]

Em abril de 1782, no Stratford Hall (residência de quatro gerações da família Lee), Lee casou com sua prima segunda, Matilda Ludwell Lee (1764–1790), que era conhecido como "a divina Matilda". Matilda era filha de Philip Ludwell Lee e de Elizabeth Steptoe. Matilda teve três filhos antes de falecer em 1790:

  • Philip Lee (1784–1794);
  • Lucy Lee (1786–1860);
  • Henry Lee IV (1787–1837), foi um historiador, escritor, tendo elaborado os discursos de John C. Calhoun e do candidato presidencial Andrew Jackson, ajudando este último a escrever o seu discurso de posse.

Em 18 De junho de 1793, Lee casou-se com a rica Anne Hill Carter (1773–1829) em Shirley Plantation. Ana era filha de Charles Carter Esq. Shirley e sua esposa Ann Butler Moore. Ela era uma descendente do rei Roberto II da Escócia através do 2º Conde de Crawford.[6] Eles tiveram seis filhos:

  • Algernon Sidney Lee (1795–1796)[7] ;
  • Charles Carter Lee (1798–1871);
  • Anne Kinloch Lee (1800–1864);
  • Sydney Smith Lee (1802–1869);
  • Robert Edward Lee (1807–1870), o quinto filho de Henry e Anne, que serviu como general-em-chefe dos Confederados durante a Guerra Civil Americana. Robert E. Lee classifica-se entre os soldados americanos mais famosos e reverenciados da história dos Estados Unidos, e suas campanhas ainda são estudadas por estrategistas militares e historiadores de todo o mundo.
  • Mildred Lee (1811–1856).

Política[editar | editar código-fonte]

De 1786 a 1788 Lee foi um delegado no Congresso Continental, e no ano da última chamada da Convenção da Virgínia, ele favoreceu a adoção da Constituição dos Estados Unidos. De 1789 a 1791, serviu na Assembléia Geral e, a partir de 1791 a 1794, foi governador da Virgínia.

Em 1794, Lee acompanhou Washington para ajudar reprimir a rebelião do whiskey (insurreição contra alta de impostos) no oeste da Pensilvânia. Um novo Condado na Virgínia foi nomeado em sua homenagem por seu governo. Henry Lee foi um major-general do exército dos EUA em 1798–1800. De 1799 a 1801, ele serviu na Câmara dos representantes dos Estados Unidos. Ele brilhantemente elogiou Washington para uma multidão de 4.000 no funeral do ex-presidente em 26 de dezembro de 1799: "primeiro na guerra, primeiramente na paz e primeiramente nos corações de seus compatriotas".[8]

A crise financeira de 1796–1797 e a falência de Robert Morris reduziram a fortuna de Lee. Ele cumpriu pena de um ano na prisão de devedores em Montross, Virgínia, quando seu filho Robert Edward Lee tinha apenas dois anos.[9] [10]

Morte[editar | editar código-fonte]

Residência histórica de Lee em Alexandria, Virginia.

Em 27 de julho de 1812, Lee recebeu ferimentos graves enquanto ajudava resistir a um ataque contra seu amigo, Alexander Contee Hanson, editor de um jornal de Baltimore, o The Federal Republican. Hanson foi atacado por multidão composta por Democrata-Republicanos, porque seu jornal se opôs a guerra de 1812. Lee, Hanson, e outros federalistas haviam se refugiado nos escritórios do jornal. O grupo se rendeu para as autoridades da cidade de Baltimore no dia seguinte e foram presos. O trabalhador George Woolslager levou uma multidão que forçou a fuga do grupo da cadeia e após combateram com os federalistas durante três horas. Um federalista, James Lingan, morreu.

Lee sofreu extensas lesões internas, bem como ferimentos na cabeça e face, até mesmo para falar ficou prejudicado. Lee mais tarde partiu para West Indies em um esforço para recuperar-se de seus ferimentos. Ele morreu em 25 de março de 1818, em Dungeness, na Ilha de Cumberland, Geórgia.

Lee foi enterrado com todas as honras militares fornecidas por uma frota americana atracada perto de St. Marys. Em 1913, seus restos mortais foram removidos para a cripta da família na capela de Lee, no campus de Washington & Lee University, em Lexington, Virginia.[11]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

O personagem do coronel Harry Burwell no filme O Patriota foi inspirado nos feitos históricos de Lee. Também no musical "1776" o alcunha de Lee é mencionado (anacronicamente) durante uma canção The Lees of Old Virginia.

Trabalhos publicados[editar | editar código-fonte]

  • Lee, Henry, and Robert E. Lee. Memoirs of the War in the Southern Department of the United States. Eyewitness accounts of the American Revolution. [New York]: New York times, 1969. (originally published 1812; 3rd ed. published in 1869, with memoir by his son Robert E. Lee)

Referências

  1. In the military parlance of the time, the term "Light-horse" had a hyphen between the two words "light" and "horse". See the title page of "The Discipline of the Light-Horse" by Captain Robert Hinde of the Royal Regiment of Foresters (Light-Dragoons) published in London in 1778.
  2. Hinde, Captain Robert (1778), Discipline of the Light-Horse, London: W.Owen, http://books.google.com/books?id=jB5EAAAAYAAJ&printsec=frontcover#v=onepage&q&f=false, visitado em 20 August 2010 
  3. John Marshall; life, character and judicial services as portrayed in the centenary and memorial addresses and proceedings throughout the United States on Marshall day, 1901, and in the classic orations of Binney, Story, Phelps, Waite and Rawle. Chicago: Callaghan & Company, 1903. liv-lv pp. vol. I.
  4. The medal (which is actually silver) finally presented to Lee is in Princeton University’s Numismatic Collection. Also included are a signed letter of Lee's to the New Jersey quartermaster from 1780 and a signed letter of the same year from George Washington to Lee approving Lee’s plan to capture Benedict Arnold.
  5. Discovery of medal that Congress granted to Lee
  6. Fontaine, William W. The Descent Of General Robert Edward Lee From Robert The Bruce, Of Scotland. www.civilwarhome.com. Retrieved 13 October 2008.
  7. Gamble, Robert S. Sully: Biography of a House (Sully Foundation Ltd: Chantilly, VA, 1973), p. 40
  8. Papers of George Washington Gwpapers.virginia.edu. Página visitada em 2010-08-10.
  9. A Princeton Companion(Lee, Henry), 1978, http://etcweb.princeton.edu/CampusWWW/Companion/lee_henry.html, visitado em 20 August 2010 
  10. Stratford Hall/Lee Family Tree: Henry Lee III, http://etcweb.princeton.edu/CampusWWW/Companion/lee_henry.html, visitado em 20 August 2010 
  11. AmericanHeritage.com / Private Fastness: TALES OF WILD

Fonte da tradução[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Henry Lee III».

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Registro de arquivos
Precedido por
Beverley Randolph
Governador do estado da Virgínia
1791 – 1794
Sucedido por
Robert Brooke