Henry Marten (morto em 1641)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Henry Marten
Outros nomes Henry Martin
Nascimento ca. 1562
 Inglaterra, Londres (?)
Morte 26 de setembro de 1641 (79 anos)
Progenitores Mãe: Anne Jacob (?)
Pai: Anthony Marten (?)
Cônjuge Elizabeth Weld
Filho(s) Henry Marten e outros
Ocupação Advogado, juiz e político
Magnum opus Universidade de Oxford
Título Cavaleiro , recebido em 21 de dezembro de 1616
Religião Anglicanismo

Sir Henry Marten ou Henry Martin (ca. 156226 de setembro de 1641) foi um advogado, juiz e político inglês que teve assento na Câmara dos Comuns de Inglaterra em diversas ocasiões entre 1586 e 1640. Foi o pai de Henry Marten, um dos signatários mais notórios da pena de morte do rei Carlos I em 1649.

Nasceu provavelmente em Londres e supõe-se que era filho de Anthony Marten e da sua esposa Anne Jacob, filha de John Jacob, de Bishop's Stortford. O pai era um comerciante de Londres, originário de Wokingham. Estudou no Colégio Winchester e matriculou-se no New College da Universidade de Oxford a 24 de novembro de 1581, quando tinha 19 anos, onde começou a estudar direito civil e canónico em 1582. Obteve o diploma de Bachelor of Civil Law (BCL; bacharelato em direito civil) em 1587 e o de Doctor of Civil Law (DCL; doutor em direito civil) em 1592. Foi aceite como membro do College of Advocates (Colégio ou Ordem dos Advogados) a 16 de outubro de 1596. Adquiriu uma grande prática como barrister (advogado) no Almirantado e em tribunais superiores.[nt 1] Foi nomeado arcediago de Berkshire.

Foi eleito deputado à Câmara dos Comuns pelo círculo eleitoral de Wilton (Wiltshire) em 1586/1587 e pelo círculo de Wootton Basset (igualmente no Wiltshire) em 1604, mantendo-se neste cargo até 1611.

A 3 de março de 1609 Marten tornou-se advogado do rei e em março de 1613 foi enviado ao estrangeiro numa viagem relacionada com as negociações de casamento da princesa Isabel. Em 1616 foi nomeado chanceler da diocese de Londres. Foi armado cavaleiro no palácio de Theobalds a 21 de dezembro de 1616. Em 1617 foi nomeado juiz do tribunal do Almirantado. Depois disso foi feito membro do tribunal de apelação[nt 2] e Dean of the Arches[nt 3]

Marten investiu em terras no condado de Berkshire, começando por comprar uma propriedade em West Challow, no Vale of White Horse, adquirindo depois, por 9 500libras a mansão Longworth House, em Longworth e posteriormente a Hinton Waldrist Manor.

Em 1625 foi eleito deputado à Câmara dos Comuns por St Germans e apoiou Sir John Eliot nos seus ataques ao Jorge Villiers, 1.° Duque de Buckingham. O tom dos seus discursos foi descrito como "cuidadosamente moderado". Enquanto o parlamento esteve suspenso em 1626, esteve envolvido na prisão de Sir Robert Howard pelo tribunal supremo. Quando foi reeleito deputado, novamente por St Germans, em 1626, houve uma tentativa para o afastar devido ao caso de Howard. Alegou ignorar a distinção entre suspensão e dissolução e foi autorizado a tomar o seu assento parlamentar. Em 1628 foi eleito deputado pela Universidade de Oxford, tomando parte nos debates sobre a Petition of Right (petição dos direitos), que impunha restrições à ação do rei sobre alguns direitos. Esteve no parlamento até 1629, quando o rei Carlos I ordenou a dissolução do parlamento que duraria onze anos.

Em abril de 1640, Marten foi eleito por St Ives para o chamado Parlamento curto. Não faria parte do Parlamento longo, que o multou em 250%nbsp;£ pela sua participação no caso de Sir Robert Howard.

Henry Marten morreu em 1641 e foi sepultado na igreja de Longworth. Foi casado com Elizabeth Weld, com quem teve dois filhos e três filhas.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. No original em inglês: «He developed a large practice as a barrister in the admiralty, prerogative, and high commission courts, and was appointed official of the archdeaconry of Berkshire.» O termo "prerogative" não foi traduzido porque o editor português não conhecer uma boa tradução para o termo. Ver «Prerogative» na Wikipédia em inglês. A tradução de "high commission courts" como tribunais superiores (tribunal de apelação?) pode também não ser a mais adequada.
  2. No original em inglês: «court of high commission».
  3. O Dean of the Arches era o deão da Arches Court, o tribunal eclesiástico do arcebispado de Cantuária.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Foster, Joseph (ed). Alumni Oxonienses 1500-1714 (em inglês) www.british-history.ac.uk British History Online. Visitado em 2 de agosto de 2012.
  • Ford, David Nash (2006). Sir Henry Marten (1562-1641) (em inglês) www.berkshirehistory.com Nash Ford Publishing. Royal Berskshire History. Visitado em 2 de agosto de 2012.
  • Shaw, William Arthur; Burtchaell, George Dames. Knights of England (em inglês). [S.l.]: London Sherratt and Hughes, 1906. p. 160. vol. 2. Visitado em 2 de agosto de 2012.