Hexactinellida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Como ler uma caixa taxonómicaHexactinellida
Ocorrência: Cambriano - Recente
"Hexactinellida" do livro Artforms of Nature, de Ernst Haeckel, 1904.

"Hexactinellida" do livro Artforms of Nature, de Ernst Haeckel, 1904.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Porifera
Classe: Hexactinellida
Schmidt, 1870
Subclasses
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Hexactinellida

Hexactinellida (do grego hex, seis + aktis, raio; e do latim -ellus, sufixo diminutivo) é uma classe do filo Porifera (esponjas) caracterizada por possuir um esqueleto de espículas de sílica, e são comumente chamadas de esponjas-de-vidro. O nome da classe é devido ao fato das espículas possuírem seis pontas, distribuídas em seis eixos. Freqüentemente algumas das espículas se fundem e o esqueleto adquire um aspecto de treliça sendo constituído de fibras silicosas longas semelhantes a fibras de vidro soltas.

As esponjas-de-vidro são as mais simétricas e mais individualizadas entre as esponjas e têm menos tendência a formação de agrupamento ou grandes massas com muitos ósculos. Possuem forma de taça, vaso ou urna, e em média possuem 10 a 30 cm de altura. A esponjocele é bem desenvolvida e o ósculo único algumas vezes é recoberto por uma placa crivada (revestimento em forma de grade formado pela fusão de espículas). Os Hexactinellida assemelham-se um pouco a formas siconóides na estrutura. No entanto, não possuem canais incorrentes siconóideos e a água entra através dos espaços em um sincício trabecular externo em forma de malha.

Existem esponjas-de-vidro no mundo inteiro e são os poríferos predominantes da Antártida. Ao contrário das esponjas calcáreas que são de águas rasas, são encontradas em águas profundas, a maioria vivendo entre 200 e 1.000m, já tendo sido dragadas inclusive de zonas abissais.

Classificação[editar | editar código-fonte]

A classificação sistemática das esponjas viventes é essencialmente baseada na caracterização das microscleras e partes orgânicas, enquanto que o tipo de estrutura esquelética e o grau de fusão do esqueleto são os critérios fundamentais usados nas espécies fósseis.

Os dois tipos básicos de microescleras do grupo (hexáster e anfidisco), raramente preservados como fósseis, servem como critério para a classificação das duas subclasses: Hexasterophora (hexáster) e Amphidiscophora (anfidisco).

Ícone de esboço Este artigo sobre Invertebrados, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.