Hierarquia da praxe académica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Hierarquia Académica)
Ir para: navegação, pesquisa
Veterana a pintar um Caloiro para uma praxe.

Hierarquia académica é uma escala hierárquica dos estudantes do ensino superior em Portugal, criada pelos promotores da praxe académica para atingir os seus objetivos.

Ensino Superior em Portugal[editar | editar código-fonte]

Universidade de Coimbra[editar | editar código-fonte]

A praxe estrutura-se, segundo o seu código, numa hierarquia complexa. No topo da hierarquia, encontramos o Dux Veteranorum, que será em princípio o estudante com mais inscrições, sendo eleito pelo Magnum Concilium Veteranum (Magno Conselho de Veteranos).[1]

Os Veteranos são todos os estudantes que têm mais inscrições do que as necessárias para acabar o curso, e após a Declaração de Bolonha, tem que estar também matriculados em Mestrado para o serem.

Para os menos atentos pode parecer que a praxe divide os estudantes apenas em dois grupos: os "caloiros" (alunos da primeira matrícula) e os "doutores", tendo dentro desta última categoria vários graus hierárquicos, dependendo do número de inscrições.

Graus antes da adaptação a Bolonha
  • Bicho - Estudantes do ensino secundário ou equivalente, da Universidade de Coimbra.
  • Paraquedista - Colocado na Universidade de Coimbra, mas ainda não efectuou matrícula.
  • Caloiro / Novatos - Os estudantes de cursos de licenciatura que estejam matriculados pela primeira vez e sem que antes se tenham matriculado em qualquer estabelecimento de ensino superior, português ou estrangeiro.
  • Caloiro Estrangeiro - Os estudantes que, embora já tendo estado matriculados num estabelecimento de ensino superior, português ou estrangeiro, todavia estejam matriculados na Universidade em questão pela primeira vez.
  • Pastrano - Estudante com uma matrícula, mas depois do início da Queima das fitas, até à 2ª matrícula. É caloiro, mas já pode usar a pasta da praxe e por isso se chama-se pastrano.
  • Semiputo - Estudante com duas matrículas.
  • Puto - Estudante com três matrículas.
  • Quartanista - Estudante com quatro matrículas.
  • Quartanista grelado - Estudante com quatro matrículas, mas que se encontra em condições de terminar o curso no próximo ano.
  • Quintanista - Estudante com cinco matrículas.
  • Quintanista fitado - Estudante com cinco matrículas, mas que se encontra em condições de terminar o curso nesse ano.
  • Veterano - Estudante com mais matrículas do que as mecessárias para terminar o curso e que je tenha usado grelo ao menos por 3 dias.
  • Dux Veteranorum - Estudante veterano que é eleito para ser o chefe de veteranos e a máxima autoridade da praxe académica.
  • Dux Duxorum - Categoria honorífica atribuida pelo conselho de veteranos
Graus após adaptação à Declaração de Bolonha
  • Bicho - Estudantes do ensino secundário ou equivalente, de Coimbra.
  • Paraquedista - Colocado na Universidade de Coimbra, mas ainda não efectuou matrícula.
  • Caloiro - Os estudantes do 1º ciclo que estejam matriculados pela primeira vez e sem que antes se tenham matriculado em qualquer estabelecimento de ensino superior, português ou estrangeiro.
  • Caloiro Estrangeiro - Os estudantes que, embora já tendo estado matriculados num estabelecimento de ensino superior, português ou estrangeiro, todavia estejam matriculados na Universidade em questão pela primeira vez.
  • Novato - O estudante que se matricula pela primeira vez no segundo ciclo e não tenha nenhuma matrícula no primeiro ciclo na Universidade durante o primeiro período de praxe.
  • Pastrano - Estudante com uma matrícula, mas depois do início da Queima das fitas, até à segunda matrícula. É caloiro, mas já pode usar a pasta da praxe e por isso se chama-se pastrano.
  • Semiputo - Sendo estudantes do primeiro ciclo de cursos de três anos, tenham duas matrículas, mas apenas durante o primeiro período de praxe. Ou sendo estudantes do 1º ciclo de cursos com quatro anos, tenham duas matrículas.
  • Puto - Os que, sendo estudantes do primeiro ciclo de cursos de três anos, tenham duas matrículas, mas apenas durante o segundo,terceiro e quarto períodos de praxe. OU Todos os que, sendo estudantes do primeiro ciclo de cursos com quatro anos, tenham três matrículas.
  • Candeeiro - Todos os que, sendo estudantes do primeiro ciclo de cursos de três anos, tenham três matrículas. Ou todos os que, sendo estudantes do primeiro ciclo de cursos com quatro anos, tenham quatro matrículas.
  • Candeeiro grelado - Os estudantes que, preenchendo os requisitos de Candeeiro, ou um número superior de matrículas, tenham posto grelo em cerimónia de imposição de insígnias ou cortejo da latada, no início do ano lectivo. Só poderão pôr grelo, os que estiverem em condições de terminar o primeiro ciclo nesse ano lectivo.
  • Candeeiro fitado - Os estudantes que, preenchendo os requisitos de candeeiro grelado, tenham posto fitas no dia do cortejo da Queima das Fitas.
  • Duplo Candeeiro - Os que, tendo sido Candeeiro no ano lectivo anterior, não usaram insígnias pessoais.
  • Bacharel - Os que, tendo um numero de matriculas superior aos anos do primeiro ciclo do curso e que tenham usado insígnias pessoais.
  • Bolonhez - Os que estão matriculados pela primeira vez no segundo ciclo, ressalvando a condição de Novato.
  • Marquez - Os que, por terem sido caloiros estrangeiros ou Novatos, não podem passar à categoria de veteranos; OU Os que, tendo duas matriculas no 2º ciclo, não estão em condições de terminar o mesmo;
  • Veterano - Os que estando matriculados no segundo ciclo, foram caloiros nacionais, tenham usado grelo durante três dias, seguidos ou não, e tenham um número de matrículas igual ou superior ao número total de anos do seu primeiro e segundo ciclo; Apenas podem ascender à categoria de Veteranos os que tiverem usado insígnias pessoais na Universidade em questão.[2]
  • Dux Veteranorum - O que, sendo veterano à mais de um ano, tiver sido eleito como tal em Conselho de Veteranos.

Ciências da Universidade de Lisboa[editar | editar código-fonte]

Hierarquia da Faculdade de (FCUL)
  • Para-quedista: estudante vinculado à PRAXE, colocado numa licenciatura na FCUL, e antes de efectuar a primeira matrícula na mesma.
  • Bicho: estudante vinculado à PRAXE com uma matrícula na FCUL e que ainda não participou na Cerimónia Solene de Passagem a Caloiro (Baptismo do Caloiro).
  • Caloiro: estudante vinculado à PRAXE com uma matrícula na FCUL e que já passou pela Cerimónia Solene de Passagem a Caloiro (Baptismo do Caloiro).
  • Caloiro Estrangeiro: Caloiro proveniente de outro qualquer departamento da FCUL ou de uma outra qualquer Instituição da UL, que já passou pela Cerimónia Solene de Passagem a Caloiro (Baptismo do Caloiro).
  • Funus/Proto-ser (em Biologia): estudante vinculado à PRAXE com uma matrícula na FCUL e que já passou pela Cerimónia Solene de Passagem do Traçar da Capa.
  • Pastrano: estudante vinculado à PRAXE com duas matrículas na FCUL e que tenha sido Funus/Proto-ser no ano lectivo anterior.
  • Doutor: estudante vinculado à PRAXE com duas matrículas na FCUL e que já tenha passado pela sua 2ª Semana Académica.
  • Quartanista: estudante vinculado à PRAXE com quatro matrículas na FCUL e que tenha sido Doutor no ano lectivo anterior.
  • Veterano Honorário: estudante vinculado à PRAXE com três ou quatro matrículas na FCUL e cujo Grau Hierárquico lhe seja concedido pelo CV do respectivo departamento.
  • Veterano: estudante vinculado activamente à PRAXE com cinco ou mais matrículas na FCUL e que tenha sido Quartanista ou Veterano Honorário no ano lectivo anterior.

Universidade da Beira Interior[editar | editar código-fonte]

A hierarquia da Praxe na Universidade da Beira Interior é, segundo uma escala descendente, a seguinte:

  • Imperatorum – Seis ou mais matriculas eleito em Fórum Veteranum.
  • Senadorum – Seis ou mais matriculas na UBI.
  • Consulum - Cinco matriculas na UBI.
  • Veteranum - Quatro matriculas na UBI.
  • Grão-Mestre – Três matriculas na UBI.
  • Mestre – Duas matriculas na UBI.
  • Gladiadores – Alunos da UBI que se encontrem a cumprir serviço militar.
  • Caloiro Pára-quedista – Pessoa deslocada de outra instituição superior que efectue a primeira matricula na UBI.
  • Caloiro – Todos aqueles que estão matriculados na UBI pela primeira vez.
  • Canen – São todos os estudantes que não estejam matriculados no ensino superior.
  • Pastores – São todos aqueles que não pertencem às categorias anteriores mas que exerçam funções na UBI.
  • Etruscos – Alunos Erasmus que se encontrem na UBI.

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal[editar | editar código-fonte]

Títulos académicos

A hierarquia da Praxe é, segundo uma escala descendente, a seguinte:

  • Todiana/bocageano –

Pertencem a esta categoria os estudantes que tenham efectuado quatro ou mais matrículas na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal.

  • - Veterano

Pertencem a esta categoria os estudantes que tenham efectuado três matrículas na ESTSetúbal-IPS.

  • - Estefanilho

Pertencem a esta categoria os estudantes que tenham duas matrículas na ESTSetúbal-IPS.

  • - Troiano

Pertencem a esta categoria os estudantes “caloiros estrangeiros”. Os Troianos depois do Ritual de Purificação ficarão sujeitos à hierarquia deste Código de Praxe, sendo o seu estatuto o definido nas Condições Hierárquicas.

  • - Camelo

Pertencem a esta categoria os Camelos que foram Baptizados.

  • - Choco

Pertencem a esta categoria os Estudantes, com mais que uma matrícula, que se tenham proposto à Praxe.

  • - Mosquito

Pertencem a esta categoria os estudantes que efectuem a sua primeira matrícula de Ensino Superior na ESTSetúbal, ou o Estudante, que por decisão da Ordem dos Moscateleiros, tenha sido rebaixado a este título, com todos os deveres e direitos inerentes à categoria.

Títulos supremos
  • - Moscateleiros

Pertence a esta categoria todos os Veteranos ou superiores que tenham sido eleitos para formarem a Ordem dos Moscateleiros.

  • - Régulo do Sado

Pertence a esta categoria o Moscateleiro que tiver sido eleito como tal pela Ordem dos Moscateleiros.

  • - Demiurgo do Sado

Pertence a esta categoria todo o Régulo do Sado que ao terminar as suas funções (excepto se for demitido), será distinguido por este Título Honorífico pela Ordem dos Moscateleiros, se este assim o reconhecer como tal.

Instituto Superior Politécnico de Viseu[editar | editar código-fonte]

A hierarquia da praxe, em escala ascendente, é a seguinte:

  • Caloiro - Estudante que efetua a sua primeira matricula no ISPV.
  • Romano - Estudantes que embora já tenham estado matriculados num outro estabelecimento de ensino superior público ou privado, português ou estrangeiro, estejam todavia matriculados pela primeira vez no ISPV, até Ritual e Purificação realizado pelo CONSELHO DE VIRIATO.
  • Pastranos - Estudante que tenha uma matrícula desde a abertura oficial da Semana Académica até à sua 2ª matricula do ano letivo seguinte. Estudantes de uma matricula, que tenham a matricula efetuada em março, desde o desfile do caloiro (latada) do ano letivo seguinte (comum), até à sua 2ª matricula em março do ano letivo seguinte.
  • Doutor/Engenheiro/Enfermeiro - Estudante que tenha 2 matriculas no ISPV, sem nenhuma outra matricula noutro estabelecimento do ensino superior público ou privado, português ou estrangeiro sendo uma delas no ISPV e após Ritual de Purificação.
  • Ilustre Doutor/Engenheiro/Enfermeiro - Estudante que tenha 3 ou mais matriculas no ISPV, sem nenhuma outra matricula noutro estabelecimento do ensino superior público ou privado, português ou estrangeiro. Estudante que tenha 4 ou mais matriculas no ensino superior público ou privado, português ou estrangeiro, sendo duas delas no ISPV, tendo já passado pelo Ritual de Purificação.
  • Infantes - Título Honorífico atribuído a Ilustres ou não estudantes que por mérito Académico tenham sido distinguidos pelo CONSELHO DE VIRIATO.
  • Sertório - Ilustres que, após avaliação e aprovação pelo CONSELHO DE VIRIATO, sejam apresentados e tenham sido eleitos como tal, em Assembleia Geral de Ilustres, para o CV.
  • Viriato - O Sertório que tiver sido eleito como tal pelo CV.
  • Grão-Viriato - Título Honorífico atribuído ao Viriato que por mérito Académico, tenham sido distinguidos pelo CONSELHO DE VIRIATO.

Universidade de Trás Os Montes e Alto Douro[editar | editar código-fonte]

  • Bicho/Caloiro
  • Grande Animal
  • Engenheiro/Doutor/Arquiteto
  • Mestre
  • Grão-Mestre
  • Excelência (veteranos)
Títulos supremos
  • Venerável Ancião
  • Eremita

Academia de Leria (ESECS, ESTG, ESSLei e ISLA)[editar | editar código-fonte]

Hierarquia de Praxe no âmbito do Ensino Superior de Leiria por ordem crescente[editar | editar código-fonte]

1- INOCENTES – São todos os estudantes do Ensino Pré-Primário e 1.º Ciclo do Ensino Básico.

2 - BÁSICOS – São todos os alunos dos 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

3 -

a) CALOIROS – Pertencem à categoria de Caloiros os estudantes que estejam matriculados no Ensino Superior de Leiria pela primeira vez; mesmo, que antes tenham estado matriculados noutro estabelecimento de Ensino Superior, neste caso designados por EXTRA-TERRESTRES. Antes do seu baptismo os estudantes denominam-se por BESTAS;

b) RETARDADOS – São todos os Caloiros que tenham entrado na segunda ou terceira fase de candidatura;

c) CORVOS – São todos os Caloiros quando trajados após a Serenata, que simbolizam para toda a Academia o agitar das suas asas com frenesim e o crocitar com alegria, augurando-se o bom pronuncio e o entronizar de uma nova geração.

4 - SEMI-DOUTORES – São todos os estudantes do Ensino Superior de Leiria com segunda matrícula anual.

5 - DOUTORES – São, todos os quantos possuam mais de duas matrículas até igualar o número de anos do curso.

6 - VETERANOS – São todos aqueles que possuam um número de matrículas superior ao necessário para acabar o curso.

7 - CARRASCOLUM ELIPTICUM – O Veterano que tiver sido eleito pela TEV para tal. A sua posição sobrepõe-se à de qualquer outro título referido anteriormente, mesmo que este tenha um número superior de matrículas.

8 - REAL D.DINIS - O Veterano que tiver sido eleito para tal pela Ordem D.Dinis. A sua posição representa o grau máximo da Academia de Leiria, também a sua posição sobrepõe-se à de qualquer outro título ou número de matrículas.

Referências

  • Código da Praxe 2001, edição do Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra e impressão de Coimbra Editora Lda, Coimbra, 2001
  • Código da Praxe 2008, edição do Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra e impressão de Coimbra Editora Lda, Coimbra, 2008
  • Manual Bocageano 2010, edição do Manual Bocageano aprovado em Reunião Geral de Alunos no ano de 2007 e revisto em 17 de Maio de 2010 , Setúbal, 2010
  • Código de Praxe 2008, edição do Conselho de Viriato do Instituto Superior Politécnico de Viseu, Viseu, 2008