Hierarquia dos resíduos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A hierarquia dos resíduos.

A hierarquia dos resíduos é um conceito usado na gestão de resíduos sólidos, que consiste na identificação das estratégias básicas e de suas respectivas importâncias para o gerenciamento de resíduos. De acordo com a hierarquia, a prevenção de resíduos, ou redução, encontra-se no topo, logo é o fator mais importante. É seguida da reutilização, da reciclagem e por fim, da recuperação, sendo o aterro a última opção sugerida para a destinação dos resíduos sólidos.[1]

A aplicação do conceito leva não só a uma gestão mais eficiente dos resíduos, como cria novas oportunidades de negócios que envolvam a otimização do processo de tratamento de resíduos, fomentando assim um movimento geral na hierarquia, e evitando com isso a deposição em aterros sanitários.[2]

Os três R's[editar | editar código-fonte]

Os três R's são princípios para o gerenciamento da eliminação de resíduos sólidos. Elas formam uma lista de prioridades com iniciativas possíveis para a eliminação dos resíduos. Geralmente, a mais baixa na lista de opções a seguir são as menos desejáveis:

  • Reduzir: diminuir a quantidade de lixo residual que produzimos é essencial. Os consumidores devem adotar hábitos de consumo saudáveis como adquirir produtos que realmente serão utilizados e que sejam reutilizáveis, como exemplo: guardanapos de pano, sacos de pano para fazer suas compras diárias, embalagens reutilizáveis para armazenar alimentos ao invés dos descartáveis.
  • Reutilizar: utilizar várias vezes o mesmo produto ou a mesma embalagem. Com um pouco de imaginação e criatividade podemos aproveitar sobras de materiais para outras funções, como exemplo: garrafas de plástico/vidro para armazenamento de líquidos e recipientes diversos para organizar os materiais de escritório. Reformas de qualquer natureza se encaixam nesse princípio.
  • Reciclar: transformar o resíduo, antes inútil, em matérias-primas para a fabricação de novos produtos é um benefício tanto para o aspecto ambiental como energético. Exigir programas de reciclagem dos governos locais - e principalmente participar deles - é a melhor forma de exercer esta ideia.
  • Geração de Energia: captura de material útil para os resíduos de programas de geração de energia, geralmente com a coleta de gás metano e outros gases gerados com a decomposição de aterros sanitários.
  • Incineração: destruição do material com alta temperatura. Queima em que as altas temperaturas consomem material eficiente e as emissões são controladas. Difere da gaseificação em que o oxigênio é utilizado.
  • Aterros: para desfazer os resíduos no meio ambiente natural, principalmente nos lixões.

Referências

  1. Estratégia Temática na Prevenção e Reciclagem de Resíduos www.confagri.pt. Página visitada em 2009-04-29.
  2. EUR-Lex - 52005DC0666 - EN eur-lex.europa.eu. Página visitada em 2009-04-29.
Ícone de esboço Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.