Hino da cidade do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Cidade Maravilhosa. (desde janeiro de 2012)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).

"Cidade Maravilhosa" é o hino da cidade do Rio de Janeiro. O primeiro a criar o apelido de cidade maravilhosa foi o escritor maranhense Coelho Neto, ao escrever em "A Notícia", página 3, no dia 29 de novembro de 1908 seu artigo "Os Sertanejos".

Letra do hino[editar | editar código-fonte]

O hino foi composto por André Filho e diz:

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil!

Berço do samba e das lindas canções,!
que vivem n’alma da gente.
És o altar dos nossos corações
que cantam alegremente!

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil!

Jardim florido de amor e saudade,
Terra que a todos seduz...
Que Deus te cubra de felicidade...
Ninho de sonho e de luz!

Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa, coração do meu Brasil

Hino alternativo[editar | editar código-fonte]

Um outro hino foi composto para o Quarto Centenário da cidade, cuja letra se deve a Manuel Bandeira e a música a Francisco Mignone. É o seguinte:

Guanabara, Guanabara, és coração do Brasil.
Na beleza de tua luz clara,
Serás sempre, o futuro o dirá,
Coração do Brasil, Guanabara,
Ó cidade de Estácio de Sá
Ao fundar-te o valor português
Junto à encosta do morro do Cão,
Não pensou que haverias de ser
Deste imenso Brasil coração.

E porque, sobremodo crescente,
Capital te fizeram um dia,
Grandes honras de glória tiveste...
Incessante tua força crescia.
Quatro séculos faz já que existes.
Já deixaste de ser capital.
Tua glória no entanto persiste.
Fê-la o seu padroeiro imortal
Guanabara, Guanabara, és coração do Brasil.

Referências[editar | editar código-fonte]