Hino do Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Hino do Pará

O Hino do Pará tem letra de Artur Teódulo Santos Porto (1886 - 1938), música de Nicolino Milano (1876 - 1931), adaptação e arranjo de Gama Malcher. Tornou-se oficial pela emenda constitucional nº 1, de 29 de outubro de 1969.

Letra[editar | editar código-fonte]

I

Salve ó terra de ricas florestas

Fecundadas ao sol do Equador

Teu destino é viver entre festas

Do progresso, da paz e do amor

Salve ó terra de ricas floresta

Fecundadas ao sol do Equador


Ó Pará, quanto orgulha ser filho

De um colosso tão belo e tão forte

Juncaremos de flores teu trilho

Do Brasil sentinela do Norte

E a deixar de manter esse brilho

Preferimos mil vezes a morte!


II

Salve ó terra de rios gigantes

Da Amazônia princesa louçã

Tudo em ti são encantos vibrantes

Desde a industria a rudeza pagã

Salve ó terra de rios gigantes

Da Amazônia princesa louçã


Ó Pará, quanto orgulha ser filho

De um colosso tão belo e tão forte

Juncaremos de flores teu trilho

Do Brasil sentinela do Norte

E a deixar de manter esse brilho

Preferimos mil vezes a morte!

Ligações externas[editar | editar código-fonte]