Hiragana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Hiragana
ひらがな
Tipo Silabário
Línguas faladas Japonês e oquinauano
Período ~800 ao presente
Sistemas kanji
 → Man'yōgana
  → Hiragana
ひらがな
Sistemas irmãos katakana
Faixas de códigos Unicode U+3040-U+309F
ISO 15924 Hira
Nota: esta página pode conter símbolos fonéticos IPA em Unicode.

Hiragana (平仮名) é um dos alfabetos silábicos (silabário) da língua japonesa. É usado para todas as palavras para as quais não exista kanji, ou este exista mas seja pouco usado. Também é usado para substituir os kanji e nas terminações dos verbos e dos adjectivos. Quando é usado para escrever a pronunciação literal de um kanji e, assim, garantir o entendimento do leitor, é chamado furigana ao invés de hiragana.

Tabela hiragana-rōmaji[editar | editar código-fonte]

A tabela a seguir mostra o hiragana junto com a sua romanização Hepburn. Kana obsoletos estão marcados em vermelho. Existem 104 casos.

Vogais e monógrafos (Seion) Dígrafos (Youon) Geminados (Sokuon)
a i u e o ゃ (ya) ゅ (yu) ょ (yo) (a) (i) (u) (e) (o)
ka ki ku ke ko きゃ kya きゅ kyu きょ kyo っか kka っき kki っく kku っけ kke っこ kko
sa shi su se so しゃ sha しゅ shu しょ sho っさ ssa っし sshi っす ssu っせ sse っそ sso
ta chi tsu te to ちゃ cha ちゅ chu ちょ cho った tta っち tchi (cchi) っつ ttsu って tte っと tto
na ni nu ne no にゃ nya にゅ nyu にょ nyo
ha hi fu he ho ひゃ hya ひゅ hyu ひょ hyo
ma mi mu me mo みゃ mya みゅ myu みょ myo
ya yu 𛀁 ye yo
ra ri ru re ro りゃ rya りゅ ryu りょ ryo
 wa  wi  wu  we  wo ゐゃ wya ゐゅ wyu ゐょ wyo
n
ga gi gu ge go ぎゃ gya ぎゅ gyu ぎょ gyo
za ji zu ze zo じゃ ja じゅ ju じょ jo
da dji dzu de do ぢゃ ja ぢゅ ju ぢょ jo
ba bi bu be bo びゃ bya びゅ byu びょ byo っば bba っび bbi っぶ bbu っべ bbe っぼ bbo
pa pi pu pe po ぴゃ pya ぴゅ pyu ぴょ pyo っぱ ppa っぴ ppi っぷ ppu っぺ ppe っぽ ppo

O som ti é escrito てぃ, mas esta sequência de sons é encontrada apenas em palavras estrangeiras, então, é normalmente escrito apenas em katakana.

As combinações にゃ, にゅ, e にょ não devem ser confundidas com as sequências んや, んゆ, e んよ. As combinações de に com um pequeno kana y representam uma única mora, enquanto sequências de ん seguidos por um grande kana y representam duas moras separadas. A distinção pode ser ilustrada com pares mínimos, como かにゅう (ka-nyu-u, "entrada", "junção"), e かんゆう (ka-n-yu-u, "persuasão"), que são facilmente distinguíveis na fala, apesar de em alguns estilos de romanização ambas possam ser escritas kanyu. Na romanização Hepburn eles são distinguíveis por um apóstrofo: kanyuu e kan'yuu.

Regras de Escrita[editar | editar código-fonte]

O japonês é escrito como é ouvido; Exceto as partículas de sentença, que possuem uma segunda leitura. É o caso de (ha) que é lido wa quando ele é uma partícula, a partícula (he) que também é lido e e a partícula (wo) que é lida como o.

Este nem sempre foi o caso: um sistema anterior de escrita, agora referido como uso histórico do kana, tinha muitas regras de escrita; as exceções do uso moderno são um legado desse sistema. As regras de escrita exatas são referidas como kanazukai (仮名遣い, "uso do kana").

Existem 3 elementos utilizados como diacríticos em japonês: o handakuten ou maru ( ゜), um pequeno círculo, semelhante ao símbolo de grau; o dakuten ou ten-ten ( ゛), que lembra aspas; e o sokuon (っ), um tsu pequeno. Cada um deles é capaz de modificar o som do hiragana de uma maneira diferente, conforme a tabela abaixo:

Hiragana acentuado small.png

Na tabela acima existem dois hiragana pronunciados como ji, o じ e o ぢ. O som se assemelha com "dji", assim como outros dois pronunciados como zu, o ず e o づ, sendo que este último também pode ser romanizado como dzu. Estes pares não são alternáveis, ou seja, um não pode substituir o outro, e sua utilização depende da escrita da palavra.

Com relação ao terceiro elemento de pontuação, o tsu pequeno (), também conhecido como sokuon, não há uma tabela em que se possa basear, mas sim uma regra, que funciona da seguinte maneira:

- O tsu pequeno sempre virá entre dois hiragana, por exemplo: きっぷ e せっけん

- O som da consoante do segundo hiragana deve ser repetido, criando uma pequena pausa na leitura, por exemplo: きっぷ (ki p pu) e せっけん (se k ken).

O hiragana é um silabário que também pode ser utilizado para auxiliar a leitura de kanji. Funciona como uma tradução sonora do kanji que está sendo lido, recebendo neste caso o nome de furigana. Abaixo dois exemplos de textos com seus respectivos furigana:

Tokyo furigana.pngSumo furigana.png


Existem algumas exceções. Se as primeiras duas sílabas de uma palavra consistem numa sílaba sem um dakuten (゛), o mesmo hiragana é usado para escrever os sons. Por exemplo chijimeru ("ferver" ou "encolher") é escrito como ちぢめる. Para palavras compostas onde os dakuten refletem vocalização rendaku, o hiragana original é usado. Por exemplo, 血 (chi, "sangue") é soletrado ち em hiragana simples. Quando 鼻 (hana, "nariz") e 血 combinam para formar 鼻血 (hanaji, "sangramento nasal"), o som do 血 muda de chi para ji. Então hanaji é escrito como はなぢ, de acordo com ち, o hiragana básico para se transcrever 血. Similarmente, 使う (tsukau, "usar") é escrito つかう em hiragana, então かな使い (kanazukai, "uso do kana" ou "ortografia do kana") é escrito かなづかい em hiragana.

Entretanto, isto não se aplica quando o kanji é usado para fazer palavras que não se relacionam diretamente com seu significado elemental. A palavra japonesa para "raio", por exemplo, é inazuma (稲妻). O componente 稲 ("planta do arroz") é escrito いな em hiragana e é pronunciado ina. O componente 妻 ("esposa") é pronunciado tsuma (つま) quando escrito isolado, ou frequentemente como zuma (ずま) quando está depois de alguma sílaba. Nenhum destes componentes tem algo a ver com "raio", mas juntos eles têm este significado. Neste caso, a escrita padrão em hiragana, いなずま, é usada ao invés da いなづま.

O hiragana geralmente soletra longas vogais com adição de um segundo kana vogal. O chouonpu (ー), a marca de extensão de vogal usado no katakana, é raramente usado no hiragana. Por exemplo a palavra らーめん (raamen), mas este uso não é considerado padrão.

Uma palavra não pode começar com o kana (n). Esta é a base do jogo de palavras shiritori. Entretanto, o ん é algumas vezes seguido diretamente por uma vogal. Por exemplo, 恋愛 (ren'ai, "amor romântico", "emoção") é escrito em hiragana como れんあい ao invés de れない (renai, uma palavra não existente).

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os japoneses indicam historicamente que o hiragana contemporâneo é uma derivação do kanji utilizado no período Heian (749 D.C.-1185 D.C.). Esta derivação surgiu como uma simplificação manual dos kanji mais difundidos foneticamente entre os que podiam ler e escrever na época.

A difusão e assimilação desta nova escrita se deve ao fato que, as principais criadoras do atual hiragana eram princesas da família real japonesa, as quais escreviam seus diários de viagem (旅行日記 ryokounikki) e do seu dia-a-dia (日常日記 nichijounikki), que mais tarde seriam transformados em livros, os quais podemos citar como exemplos o 更級日記 (sarashinanikki) e o 紫式部日記 (murasakishikibunikki).

Devido a este fato atribui-se esta simplificação principalmente às mulheres, tanto que alguns textos se referem ao hiragana como a "letra das mulheres" e o kanji "a letra dos homens".

Abaixo uma tabela com os kanji originais e suas derivações para hiragana.

Hiragana small.png

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Hiragana