História de Guaratuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Panorama de Guaratuba. Gravura feita por Jean-Baptiste Debret em 1827.

Por volta do ano 1000, chegaram, à região, tribos do tronco linguístico tupi procedentes da Amazônia que expulsaram os povos que a habitavam, os tapuias, para o interior do continente. No século XVI, quando chegaram os primeiros navegadores europeus à região, a mesma estava ocupada por uma dessas tribos do tronco linguístico tupi: a dos carijós[1] .

O rei de Portugal, dom José I, preocupado com as possíveis invasões da costa brasileira, através de recomendação datada de 26 de janeiro de 1765, ordenou que se fundassem vilas e povoados em pontos mais convenientes aos sítios volantes ou dispersos para morarem em povoações civis, onde as condições o permitissem. Achou ser de grande conveniência a criação de uma povoação entre as vilas de Paranaguá e a do Rio São Francisco se as condições o permitissem.

Em 5 de dezembro de 1765, dom Luís enviou um bando para a formação da nova povoação. Esse Bando era formado por 200 casais que cultivariam as terras descobertas. Começava a surgir Guaratuba.

Em julho de 1766, o Conde de Oeiras dirigiu-se a dom Luís louvando, em nome do Rei, os projetos de fundar a povoação na enseada de Guaratuba e comunicando que o rei gostaria que a nova Vila tivesse o seu nome, são Luís. E assim foi feito.

Em 13 de maio de 1768, dom Luís concedeu os favores pedidos pelo fundador da nova povoação os quais consistiam na criação e manutenção de uma igreja. Dom Luís, em 23 de janeiro de 1770, ordenou ao seu ajudante de ordens, tenente-coronel Afonso Botelho de Sampaio e Sousa, que erigisse em vila o sítio chamado Guaratuba, onde já havia bastante casas etc. Após algumas expedições, em 27 de abril de 1771, Dom Luís retornou a Guaratuba. No dia 28, foi benta a Igreja. E no dia 29 foi fundada a vila de São Luís de Guaratuba.

No dia 30 de abril de 1771, foi eleita a primeira Câmara Municipal com aprovação do fundador da vila e do ouvidor-geral. A Câmara prestou juramento na forma de estilo , tendo sido empossada pela Câmara de São Francisco. Os vereadores dirigiram os destinos do povo guaratubano, assistido pelo presidente da província (até 1854 o Paraná pertencia a São Paulo), até que por conta da Proclamação da República, um outro regime político passou a vigorar.

Elegeu seu primeiro prefeito que assumiu o cargo em 1792, prosseguindo assim até 20 de outubro de 1838, quando por força da lei estadual 7 572, foi extinto o município, passando a constituir um distrito municipal de Paranaguá.

Somente no dia 10 de outubro de 1947, pela Lei 2, é que foi restaurada a autonomia municipal, sendo reinstalado no dia 25 de outubro do mesmo ano. Desta nova fase política, o primeiro prefeito foi o sr. Berilo da Cunha Padilha. No ano de 1954, a cidade de Guaratuba passa a ser parte do distrito Judiciário de São José dos Pinhais. Finalmente, em julho de 1986, Guaratuba conseguiu emancipação municipal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]