História de Osasco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antes Vila de Quitaúna, Osasco foi um distrito da Capital Paulista e veio a se tornar um município em 1962.

Período Pré-Colombiano[editar | editar código-fonte]

Osasco foi habitada por inúmeras tribos indígenas, do tronco tupi-guarani, que habitavam a região desde o período pré-cabraliano. Devido a fertilidade do solo cortado por córregos e rios. O que favorecia caça de animais, pesca, plantio e extrativismo na região. [1]

Período Colonial[editar | editar código-fonte]

Bandeirante Antônio Raposo Tavares (ao centro), em obra de Teodoro Braga.

O primeiro núcleo de povoamento de colonizadores foi a vila de Quitaúna, Vila pobre, os bandeirantes praticaram caça aos índios para serem escravizados. Fundada no século XVII, onde residiu o bandeirante Antônio Raposo Tavares e onde supostamente estaria enterrado. A vila foi esvaziada no século XVIII. Por causa da descoberta do ouro, os bandeiranes que antes habitavam a vila, foram para Minas Gerais. [2]

  1. Período Moderno
Sensaud de Lavaud em seu avião em Osasco.
Antonio Giuseppe Agù
Estação de Osasco em 1910

Na região onde hoje se situa Osasco e em seus arredores existiam vários sítios e chácaras. Há especulações que havia uma estrada férrea de barões do café com uma estação modesta na região. Próximo às margens do Rio Tietê, no século XIX, havia uma aldeia de pescadores e também grandes fazendas. Uma delas foi vendida ao italiano Antonio Agù, e outra ao português Manuel Rodrigues, dois imigrantes que começaram a história da cidade.[3]

Antonio Agù foi proprietário de vários negócios e terras na região e, em 1887, comprou uma gleba de terra no quilômetro 16 da Estrada de Ferro Sorocabana. Por volta de 1890, resolveu ampliar sua pequena olaria e convidou para sócio o Barão Dimitri Sensaud de Lavaud. A olaria que fabricava tijolos e telhas passou a produzir também tubos e cerâmicas, dando origem à primeira indústria da cidade.[4]


Após outras iniciativas, em 1895, Agù construiu a estação ferroviária, erguendo várias casas nos arredores para abrigar os operários que chegavam para realizar a obra. [5] Os dirigentes da estrada de ferro quiseram batizar a estação com o nome do principal empreendedor da região, mas Antonio Agù pediu que a homenagem não fosse dada a ele e sim à sua vila natal da Itália: Osasco.[6] Neste período Antônio Agu, casado com Josefina Vianco, traçou ruas na região do atual Centro da cidade e batizou o nome de uma rua em homenagem a sua primeira e única filha: Primitiva Vianco.

Antiga divisão do município.
Antiga divisão do município.
Centro de Osasco, mapa, de 1888 à 1900.
Centro de Osasco, mapa, de 1888 à 1900.
Centro de Osasco, mapa, 1900 à 1912.
Centro de Osasco, mapa, 1900 à 1912.
Centro de Osasco, mapa, em 1942.
Centro de Osasco, mapa, em 1942.

Daí por diante Osasco, como a região passou a ser conhecida, não parava de crescer, muitas pessoas conhecidas do comércio e diversas indústrias importantes se instalaram por lá. Para operar as máquinas dessas indústrias foi contratada mão-de-obra imigrante. Os imigrantes vinham principalmente da Itália[7] , França, Espanha, Portugal, Alemanha e Irlanda. Com o aumento da população de operários, tornou-se possível também o desenvolvimento do comércio, desenvolvido principalmente pelas colônias armênia[8] ,libanesa e judia. Na zona rural, muitos imigrantes japoneses plantavam verduras e legumes. Essa mistura de imigrantes marca as primeiras populações do atual município. [9] Posteriormente vieram imigrantes do interior de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e do Nordeste. Foi em Osasco que aconteceu o primeiro voo da América Latina, em 7 de Janeiro de 1910, realizado pelo imigrante entusiasta Barão Dimitri Sensaud de Lavaud. .[10] [11] [12]

Emancipação[editar | editar código-fonte]

Osasco cresceu tanto em população, quanto comercialmente, mas apesar desse progresso, até então não passava de mero subdistrito da cidade de São Paulo. Em 1953 [13] foi feito primeiro plebiscito pela emancipação. O movimento emancipacionista sofreu muitas contraposições e empecilhos, mas finalmente após o segundo plebiscito conturbado, em 19 de fevereiro de 1962, há cinquenta anos, Osasco tornou-se um município. Antônio Menck de início foi contra, mas depois se tornou um dos líderes do Movimento dos Autonomistas pela emancipação do antigo bairro. Após a emancipação foi acordado que em cada rua da cidade se colocasse um relógio em símbolo da identidade osasquense. O primeiro prefeito assumir o poder em Osasco foi Hirant Sanazar, do partido MDB, em 19 de fevereiro de 1962 até junho de 1965. Este foi o primeiro mandato de prefeito no então município. No ano seguinte, o Banco Brasileiro de Descontos (atualmente denominado Bradesco), sediado na Cidade de Deus, bairro de Osasco próximo à divisa com São Paulo, organizou e colocou em operação a Companhia Telefônica Suburbana Paulista - Cotespa. A nova companhia inicialmente proveu o novo município de três mil terminais telefônicos, que operavam com o prefixo 48. A COTESPA foi incorporada à Telesp em 1974.[14] A área do município de Osasco foi gradativamente subdividida em novos centros telefônicos - Rochdale, Santo Antônio, Quitaúna e Menck, além da área central.

Período Contemporâneo[editar | editar código-fonte]

Osasco seguiu prosperamente sua atividade industrial e na década de 70, e passou a receber grande contigente populacional que vinha para a Região Metropolitana de São Paulo. Fazendo com que na década de 80 ficasse divulgada pela violência e pobreza dos bairros da zona norte principlamente. Após a redemocratização , Osasco passou por um processo de desconcentração industrial e passou a investir em infra estrutura e bens de prestação de serviços. Ao qual a cidade se mantém neste seguimento inclusive nos tempos atuais.

Ocorrências de grande repercussão no município[editar | editar código-fonte]

  • A greve da Cobrasma foi em 16 de julho de 1968. Operários protestaram contra as mortes de seus colegas em caldeiras, condições de trabalhos desfavoráveis e o rebaixamento dos salários. Ato esse já um sintoma de resistência contra o Regime Militar da época.[15]
  • A explosão do Osasco Plaza Shopping em 11 de junho de 1996. O motivo foi vazamento de gás subterrâneo. Morreram 42 pessoas e 300 outras ficaram feridas, algumas gravemente. Esse acidente repercutiu na mídia nacional e internacional. [16]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • OLIVEIRA, Neyde Collino de; NEGRELLI, Ana Lúcia Marquetti Rocha. Osasco e sua história. São Paulo: CG Editora, 1992.
  • SANAZAR, Hirant. Osasco - Sua história, sua gente. Osasco: ed. do autor, 2003.
  • FAVARÃO, Mazé (apres.). Osasco conta sua história através dos bairros. Osasco: Secretaria de Educação, 2007.
  • METROVICHE, Eduardo (org.). Osasco - Um século de fotografia. Osasco: Maxprint Editora, 2007.
  • PAVÃO, Lucas. Memórias...Algumas histórias de Lucas Pavão na antiga Vila de Osasco. Osasco: Edifieo, 2010.
  • PIGNATARI, Helena Werner. Raizes do movimento operário em Osasco. São Paulo: Cortez Ed.
  • PITERI, Guaçu. Sonhar é preciso - Comunidade e política nos tempos da Ditadura. Osasco: Edifieo, 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. História de Osasco Consultado em 09 de janeiro de 2012.
  2. História de Osasco, pela Câmara Municipal de Osasco Consultado em 09 de janeiro de 2012
  3. História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de LavaudConsultado em 09 de janeiro de 2012
  4. História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de LavaudConsultado em 09 de janeiro de 2012
  5. História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de LavaudConsultado em 09 de janeiro de 2012
  6. História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de LavaudConsultado em 09 de janeiro de 2012
  7. Imigração Italiana Consultado em 09 de janeiro de 2012
  8. Imigração ArmêniaConsultado em 09 de janeiro de 2012
  9. Imigração JaponesaConsultado em 09 de janeiro de 2012
  10. O Estado de São Paulo. Cem anos depois, Osasco revive o primeiro voo da América do Sul www.estadao.com.br. Página visitada em 21-5-2010.
  11. Primeiro vôo da América Latina, pela Câmara de OsascoConsultado em 09 de março de 2012
  12. O Primeiro Vôo da América do Sul Câmara municipal de Osasco. Página visitada em 31 de maio de 2012.
  13. História de Osasco pelo site Nossa São Paulo Consultado em 09 de janeiro de 2012
  14. História de Osasco pela página da TelefônicaConsultado em 09 de janeiro de 2012.
  15. Greve da Cobrasma pelo site Causa Operária. Consultado em 26 de abril de 2012
  16. Explosão do Osasco Plaza Shopping pelo site Estadão. Consultado em 26 de abril de 2012
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre História de Osasco