História do OS X

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
OS X
Produção Apple Inc.
Família do SO Unix[1]
Modelo Código fechado
Estado Corrente
Versão estável 10.8 25 de julho de 2012; há 105 semanas
Núcleo Núcleo híbrido
Licença APSL e Apple EULA
Página oficial www.apple.com/macosx www.apple.com/br/macosx/

O OS X é o sistema operacional desenvolvido pela Apple para seus desktops e laptops. Apesar de ter sido inicialmente designado apenas como a "versão 10" do Mac OS, possui uma história relativamente independente dos lançamentos anteriores do Mac OS.

Desenvolvimento fora da Apple[editar | editar código-fonte]

Após a Apple remover Steve Jobs da gerência em 1985, ele deixou a companhia e tentou — com investimentos de Ross Perot e de seu próprio bolso — criar a próxima "grande inovação": o resultado foi a NeXT. Os equipamentos produzidos pela NeXT eram avançados para sua época, como a primeira estação de trabalho a incluir um DSP e um drive óptico de alta-capacidade, mas ele tinha várias estranhezas e problemas de design, sendo também caro comparado aos concorrentes no setor. A produção do equipamento foi cancelada em 1993. No entanto, o NeXTSTEP, o sistema operacional de orientação a objeto da companhia, teve um legado mais duradouro.

O NeXTSTEP era baseado na núcleo Mach e no BSD, uma implementação do Unix cujas origens são da década de 1970. Talvez seja mais lembrado por possuir um framework de programação baseado na linguagem Objective-C. Este ambiente é conhecido hoje no mundo Mac como Cocoa. Também suportava Enterprise Objects Framework e o WebObjects, entre outras características notáveis.

Abandonando todas suas idéias, exceto o sistema operacional, a NeXT conseguiu manter um negócio vendendo o WebObjects e consultoria de serviços, mas nunca foi um sucesso comercial. O NeXTSTEP evoluiu para o OPENSTEP que separou as camadas de objetos do sistema operacional abaixo, permitindo que rodasse com menos modificações em outras plataformas. O OPENSTEP foi, por algum tempo, adotado pela Sun Microsystems. No entanto, neste ponto, algumas outras companhias — entre as mais notáveis, Apple, IBM, Microsoft, e até mesmo a Sun — estavam dizendo que iriam logo lançar sistemas operacionais parecidos de orientação a objeto e ferramentas de desenvolvimento próprias. (Alguns desses esforços, como Taligent, não foram completados; outros, como Java, foram muito adotados.)

Desenvolvimento interno[editar | editar código-fonte]

Enquanto isso, a Apple estava enfrentando seus próprios problemas comerciais. O Mac OS, já com dez anos, tinha alcançado os limites de sua arquitetura de usuário único e multitarefa, e sua interface de usuário que já tinha sido considerada inovadora estava parecendo cada vez mais "antiquada". Houve um grande esforço em 1994 para desenvolver um substituto, conhecido como Copland, que era visto fora da Apple como um caso sem esperança. Em torno de 1996, o Copland não estava nem perto das condições para lançamento, e o projeto foi eventualmente cancelado. Alguns elementos do Copland foram incorporadas no Mac OS 8, lançado em 1997.

Após considerar a compra do BeOS — um sistema operacional multitarefa e multimídia projetado para equipamento similar ao da Apple — a companhia decidiu adquirir a NeXT e utilizar o OPENSTEP como base de seu novo sistema operacional. Avie Tevanian assumiu o desenvolvimento do SO, e Steve Jobs foi trazido como consultor. Inicialmente, o plano era desenvolver um novo SO baseado quase completamente numa versão atualizada do OPENSTEP, com um emulador — conhecido como "Blue Box" — para rodar aplicativos "clássicos" do Macintosh. O resultado ficou conhecido pelo codinome Rhapsody, programado para lançamento no final de 1998.

A Apple achou que os desenvolvedores começariam a portar seus programas para as bibliotecas mais poderosas do OPENSTEP uma vez que soubessem do seu poder e flexibilidade. Em vez disso, vários grandes desenvolvedores como a Adobe falaram para a Apple que isso jamais ocorreria, e que eles preferiam deixar a plataforma completamente. Essa "rejeição" do plano da Apple se devia, em grande parte, a antigas promessas que não foram cumpridas pela companhia; após acompanhar um "próximo sistema operacional" desaparecer após o outro e a fatia de mercado da Apple diminuir, os desenvolvedores não estavam muito interessados em trabalhar na plataforma, e muito menos em reescrever aplicativos.

Mudança de direção sob o comando de Jobs[editar | editar código-fonte]

As perdas financeiras da Apple continuavam, os diretores perderam a confiança no CEO Gil Amelio e pediram que ele renunciasse. A diretoria convenceu Jobs a assumir o comando interino da companhia. Na verdade, Jobs estava recebendo "carta branca" dos diretores para trazer os lucros de volta para a companhia. Quando Jobs anunciou na Worldwide Developers Conference que o que os desenvolvedores realmente queriam era uma versão moderna do Mac OS, e que era isso que a Apple entregaria, recebeu muitos aplausos. Nos dois anos seguintes, foi feito muito esforço para portar as APIs originais do Macintosh para as bibliotecas Unix, conhecido como Carbon. Os aplicativos do Mac OS poderiam ser portados para o Carbon sem a necessidade de reescrever todo o código, e ainda assim sendo completamente compatíveis com o novo sistema operacional. Enquanto isso, aplicativos escritos utilizando os kits de ferramentas antigos seriam suportados utilizando o ambiente "clássico" do Mac OS 9 ("Classic"). O suporte a C, C++, Objective-C, Java e Python facilitou a situação ainda mais para os desenvolvedores.

Durante esse tempo as camadas inferiores do sistema operacional (o núcleo Mach e as camadas BSD em cima) foram reempacotadas e lançadas sob uma licença de código aberto conhecido como Darwin. O núcleo do Darwin fornece um sistema operacional extremamente estável e flexível, rivalizando muitas outras implementações do Unix e oferencendo a vantagem das contribuições de programadores e de projetos de código aberto fora da Apple; no entanto, não há muito uso fora da comunidade Macintosh. Durante esse período, a linguagem Java tinha crescido em popularidade e um esforço foi feito para melhorar o suporte a essa linguagem no Mac. Isso foi feito através do porte de uma máquina virtual Java de alta velocidade para a plataforma.

Enquanto o primeiro lançamento do novo SO — Mac OS X Server 1.0 — utilizava uma interface gráfica semelhante ao do Mac OS, todas as versões seguintes apresentavam um novo tema conhecido como Aqua. O desenvolvimento dessa parte do SO foi atrasado em parte devido ao fato da troca do motor de visualização (engine Display) OpenScript do OPENSTEP para um que era livre de licenças, conhecido como Quartz. O Aqua era uma mudança relativamente radical da interface do Mac OS 9, que era uma evolução do Macintosh Finder original. Foram incorporados novos gráficos coloridos escaláveis, anti-aliasing de texto e gráficos, sombreamento e destaque simulado, transparência e animação. Um novo recurso era o Dock, um abridor de aplicativos que tirava vantagem dessas capacidades. Apesar disso, o Mac OS X manteve um grau de compatibilidade com a interface original do Mac OS e com as próprias orientações da Apple, com seu menu único no topo da tela, atalhos de teclado familiares e suporte a mouses de um só botão.

Lançamentos[editar | editar código-fonte]

A Apple lançou o Mac OS X Server 1.0 em janeiro de 1999. Um beta público do Mac OS X foi lançado em 2000, e em 24 de março de 2001 foi o lançamento oficial e completo da versão 10.0 do Mac OS X.

Versões[editar | editar código-fonte]

Mac OS X v10.0 "Cheetah"[editar | editar código-fonte]

Mac OS X versão 10.0, codinome "Cheetah", foi a primeira versão do sistema operacional Mac OS X, para desktop e servidor da Apple Inc.. Mac OS X v10.0 foi lançado no dia 24 de março de 2001 por um preço de US$129.95. Substituiu o Mac OS X Público Beta e veio antes do Mac OS X v10.1.

Mac OS X v10.0 foi uma mudança radical do Sistema Operacional anterior, considerado "clássico", da Macintosh e foi a resposta da Apple Inc. à tão esperada próxima geração de sistemas operacionais da Macintosh. Apresentou um novo conceito de código criado completamente diferente do modelo do Mac OS 9, como também todos os Sistemas Operacionais anteriores da Apple Inc.. Mac OS X introduziu o novo núcleo Darwin Unix-like e um sistema totalmente novo de administração de memória. Provou ser um começo duradouro para o Mac OS X. Embora tenha sido elogiado pelo bom começo, ainda é a um sistema operacional imaturo, em termos de perfeição e estabilidade.

Mac OS X v10.1 "Puma"[editar | editar código-fonte]

Mac OS X versão 10.1, codinome "Puma", foi a segunda versão do sistema operacionalMac OS X, para desktop e servidor da Apple Inc.. Substituiu o Mac OS X v10.0 e antecedeu ao Mac OS X v10.2. A versão 10.1 foi lançada em 25 de setembro de 2001 como uma macro atualização gratuita da versão 10.0. A partir da versão 10.1.2, a Apple Inc. fez do Mac OS X o sistema operacional padrão dos novos Macs.[2]

O sistema operacional foi distribuído sem custos por empregados da Apple Inc. depois do pronunciamento de Steve Jobs em uma conferência em São Francisco. Logo após, foi distribuído para os usuários do Macintosh em 25 de outubro de 2001 nas lojas da Apple Inc. e outros distribuidores de produtos Apple Inc.. O sistema operacional foi melhor recebido do que Mac OS X versão 10.0, embora os críticos reclamassem do excesso de defeitos e da falta de alguns recursos no novo sistema operacional.

Mac OS X v10.2 "Jaguar"[editar | editar código-fonte]

Mac OS X versão 10.2 "Jaguar" foi a terceira versão do Sistema Operacional para desktop e servidores da série Mac OS X. Substituiu o Mac OS X v10.1 com o codinome Puma e antecedeu o Mac OS X v10.3 "Panther". O sistema operacional foi lançado no dia 23 de agosto 2002 pelo preço de US$129, ou a um preço de US$199 dólares para o "family pack"[3] que permitia cinco instalações em computadores separados em uma residência. O sistema operacional foi bem aceito pelos usuários do Macintosh pelo grande avanço na estabilidade e velocidade; porém, muitos críticos ainda reivindicaram melhoria na velocidade da interface pois diziam que ainda possuíam muitos problemas pendentes.

Jaguar foi o primeiro Sistema Operacional Mac OS X onde o codinome foi usado em anúncios publicitários. Hoje os produtos do Mac OS X continuam a tradição de usar o codinome em seus produtos dos Sistemas Operacionais da Apple Inc..

Mac OS X v10.3 "Panther"[editar | editar código-fonte]

O Mac OS X versão 10.3 "Panther", foi o quarto lançamento do Mac OS X. Ele substituiu o Mac OS X v10.2 "Jaguar" e teve como sucessor o Mac OS X v10.4 "Tiger". O "Panther" foi lançado em 24 de outubro de 2003. O seu custo foi de US$129 para uma única licença de usuário e US$199 para um pack família (licença para 5 computadores).

Mac OS X v10.4 "Tiger"[editar | editar código-fonte]

Mac OS X 10.4 "Tiger", foi o quinto lançamento do Mac OS X. O "Tiger" foi liberado ao público em 29 de abril de 2005 como o sucessor do Mac OS X v10.3 "Panther", que foi lançado 18 meses antes, logo substituído pelo Mac OS X v10.5 "Leopard", em 26 de Outubro de 2007, após 30 meses, tornando-se o Mac OS X de mais longa versão. Alguns dos novos recursos incluem um rapido sistema de busca Chamado Spotlight, uma nova versão do navegador Safari, Dashboard, um novo tema Unificado, e suporte aperfeiçoado para uso em processadores 64 bits. O "Tiger" foi também a primeira versão do sistema operacional Mac OS X liberado para trabalhar com máquinas Apple-arquitetura Intel (Apple máquinas usando processadores x86.) Seis semanas após o seu lançamento oficial, a Apple tinha entregue 2 milhões de cópias do Tiger, o que representa 16% de todos os usuários do Mac OS X. A Apple alega que o Tiger foi o mais bem sucedido Mac OS X história da empresa. Na Conferência WWDC em 11 de junho de 2007, CEO da Apple Steve Jobs anunciou que, dos 22 milhões de usuários do Mac OS X, mais do que 67% estavam usando Tiger

Mac OS X v10.5 "Leopard"[editar | editar código-fonte]

O Mac OS X v10.5 "Leopard" é o sexto lançamento da família Mac OS X, da Apple, sendo o sucessor do Mac OS X v10.4 "Tiger". Leopardo foi liberado em 26 de Outubro de 2007, e está disponível em duas variantes: uma versão desktop adequado para computadores pessoais, e uma versão para servidor, a versão Mac OS X Server.O "Leopard" será substituídas pelo Mac OS X v10.6 "Snow Leopard", o qual espera-se que seja lançado no meio de 2009. De acordo com a Apple, O "Leopard" contém mais de 300 alterações e melhorias, abrangendo desde o núcleo do sistema operacional, assim como componentes incluídos em aplicações e ferramentas para desenvolvedores. O "Leopard" introduz um redesenhado Dock, o Menu Bar com efeito de transparência, e uma atualização do Finder que incorpora o Cover Flow (uma navegação com interface visual vistos pela primeira vez no iTunes). Outras características notáveis incluem suporte para escrita de 64-bit, um backup automático com um utilitário chamado Time Machine, o apoio à Spotlight para buscas em várias máquinas, e à inclusão do Front Row e o Photo Booth, que anteriormente estavam incluídos apenas com alguns modelos Mac.

Mac OS X v10.6 "Snow Leopard"[editar | editar código-fonte]

O Mac OS X versão 10.6 "Snow Leopard". Foi anunciado pelo CEO da Apple Steve Jobs na WWDC em 9 de junho de 2008. Foi lançada em 2009. O novo sistema não incidiu sobre novos recursos, mas sim a melhoria do desempenho e da eficiência.

Mac OS X v10.7 "Lion"[editar | editar código-fonte]

O Mac OS X v10.7 "Lion", sucedeu o Mac OS X v10.6 "Snow Leopard". Lion foi anunciado em 20 de Outubro de 2010 na conferencia "Back To The Mac" e provavelmente vai estar disponível em meados de 2011. Apple: "Pegamos nossas melhores ideias do Mac OS X e aplicamos no iPhone. Pegamos nossas melhores ideias do iPhone e aplicamos no iPad. Agora chegou a hora de aplicar tudo isso no Mac. A oitava grande versão do sistema operacional mais avançado da Apple chega em meados de 2011." Novidades: App Store agora vai servir também para Mac com aplicativos especiais Launchpad: "Com o Launchpad você acessa seus apps em um instante, assim como no iPad. Só precisa clicar no ícone do Launchpad no seu Dock. A janela aberta é substituída por uma elegante tela que mostra todos os apps disponíveis no seu Mac. Percorra todas as páginas de seus apps ou organize-os como você quiser, basta arrastar o ícone para o lugar desejado; também pode agrupá-los em pastas. Quando você baixa um app da App Store, ele é mostrado automáticamente no Launchpad, pronto para ser instalado." Apps em tela cheia: "O iPad mostra todos os seus apps em tela cheia para você não se distrair, e oferece uma forma rápida de voltar à tela dos apps. O Mac OS X Lion faz a mesma coisa na sua área de trabalho. Você pode abrir um app em tela cheia com só um clique; mudar para outro app também em tela cheia deslizando apenas um dedo no trackpad, e retornar à área de trabalho para acessar seus apps. O suporte à visualização de apps em tela cheia cria uma experiência muito mais envolvente. Assim você pode se concentrar ainda mais no seu trabalho ou aproveitar seus jogos de uma maneira mais intensa." Mission Control: "O novo Mission Control é um poderoso e prático recurso que proporciona uma visualização abrangente de tudo o que estiver em execução no seu Mac‚ incluindo o Exposé, Spaces, Dashboard e apps em tela cheia. Com um simples movimento, o Mission Control é mostrado na tela. Assim você pode ver todas as janelas abertas agrupadas por app, ícones dos apps funcionando em tela cheia, o Dashboard e outras janelas do Spaces. Tudo organizado em um lugar só. Com um clique, você acessa o que quiser do Mission Control. É o Mac OS X Lion colocando você no controle do sistema." Já há uma versão para desenvolvedores lançada em 24 de fevereiro de 2011. A Apple revelou que esse novo sistema vai ser apresentado por Steve Jobs no dia 6 de junho na WWDC de 2011

OS X v10.8 "Mountain Lion"[editar | editar código-fonte]

É a atual versão do sistema operacional, lançada um ano após a versão anterior. Esta versão apresentou alguns ajustes em relação à versão anterior, acrescentando aplicativos já existentes no seu equivalente móvel iOS como o de notas, lembretes e o Game Center. Incluiu também uma nova central de notificação. Esta versão foi a primeira a ser chamada simplesmente de "OS X" (e não "Mac OS X").

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Em inglês