História do automóvel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O projeto do Vapor Cugnot Trolley (Jonathan Holguinisburg) (1769)

Por volta de 1769, com a criação do motor a vapor de automóveis capazes de transportar humanos.[1] :14 Em 1807, os primeiros carros movidos por um motor de combustão interna a gás combustível apareceram, o que levou à introdução em 1885 do moderno motor a gasolina ou com combustão a gasolina onipresente interno.

O ano de 1886 é considerado o ano de nascimento do automóvel moderno - com o Benz Patent-Motorwagen, pelo inventor alemão Karl Benz.

Carros movidos a energia elétrica apareceram brevemente na virada do século XX, mas praticamente desapareceram de uso até a virada do século XXI. O início da história do automóvel pode ser dividido em um certo número de eras, com base nos meios comuns de propulsão. Períodos posteriores foram definidos por tendências de estilo exterior, tamanho e preferências de serviços públicos.

Eras de invenção[editar | editar código-fonte]

O Benz Velo, introduzido dez anos depois do primeiro automóvel Benz patenteado a 1885.

Ferdinand Verbiest, um membro de uma missão jesuíta na China, construiu o primeiro veículo movido a vapor por volta de 1672 como um brinquedo para o Imperador da China. Era de escala bastante pequena que não podia levar um motorista, mas que foi, possivelmente, o primeiro veículo a vapor de trabalho ('auto-móvel').[2] [3]

​​Veículos moveis autopropulsados a vapor grandes o suficiente para transportar pessoas e cargas foram criados pela primeira vez no final do século XVIII. Nicolas-Joseph Cugnot demonstrou sua fardier à vapeur ("carroça a vapor"), um trator de artilharia movido a vapor experimental, em 1770 e 1771. Como o projeto de Cugnot provou ser impraticável, sua invenção não foi desenvolvida em sua França natal. O centro de inovação mudou para a Grã-Bretanha. Pomuthuvgth

tinha construído um modelo de funcionamento de um carro a vapor em Redruth, e, em 1801, Richard Trevithick estava andando em um veículo de tamanho real nas estradas de Camborne.[4] Tais veículos estavam em moda durante algum tempo, e ao longo das próximas décadas inovações como freios de mão, transmissões multi-velocidade, e melhor direção foram desenvolvidas. Alguns foram bem sucedidos comercialmente no fornecimento de transporte em massa, até que uma reação contra esses grandes veículos velozes resultou na aprovação da Lei de Locomotiva (1865), o que exigiu veículos autopropulsados ​​em vias públicas no Reino Unido devessem ser precedidos por um homem a pé acenando uma bandeira vermelha e soprando uma buzina. Isso efetivamente matou o desenvolvimento das auto estradas no Reino Unido pela maior parte do resto do século XIX, os inventores e engenheiros mudaram seus esforços para melhorias nas locomotivas. (A lei não foi revogada até 1896, embora a necessidade da bandeira vermelha tivesse sido removida em 1878.)

A primeira patente de automóvel nos Estados Unidos, foi concedida a Oliver Evans, em 1789.[5]

Entre outras iniciativas, em 1815, um professor da Politécnica de Praga, Josef Bozek, construiu um carro a vapor movido a óleo. Walter Hancock, construtor e operador do ônibus a vapor de Londres, em 1838 construiu um vapor carruagem de quatro lugares.[6] :p27

Experiências isoladas, realizadas em toda a Europa, ao longo das décadas de 1860 e 1870, contribuíram para o aparecimento de algo semelhante ao automóvel atual. Uma das mais significativas foi a invenção de um pequeno carro impulsionado por um motor a 4 tempos, construído por Siegfried Markus (Viena, 1874). Os motores a vapor - que queimavam o combustível fora dos cilindros, deram lugar aos motores de combustão interna, que queimavam no interior do cilindro uma mistura de ar e gás de iluminação. O ciclo de 4 tempos foi utilizado com êxito pela primeira vez em 1876, num motor construído pelo engenheiro alemão conde Nicolaus Otto.

A primeira patente do automóvel nos Estados Unidos da América foi concedida a Oliver Evans, em 1789. Mais tarde, em 1804, Evans demonstrou o seu primeiro veículo automóvel que não só foi o primeiro automóvel nos EUA mas também o primeiro veículo anfíbio, já que este veículo a vapor dispunha de rodas para circulação terrestre e de pás para circulação na água. Conte

O belga Étienne Lenoir construiu um automóvel com o motor de combustão interna a cerca de 1860, embora fosse propulsionado por gás de carvão. A sua experiência durou 3 horas para percorrer 7 milhas — teria sido mais rápido fazer o mesmo percurso a pé — e Lenoir abandonava as experiências com automóveis. Os franceses reclamam que um Deboutteville-Delamare terá sido bem sucedido; em 1984 celebraram o centésimo aniversário desse automóvel.

É geralmente aceite que os primeiros automóveis de combustão interna a gasolina tenham surgido quase simultaneamente através de vários inventores alemães, trabalhando independentemente: Karl Benz construiu o seu primeiro automóvel em 1885 em Mannheim, conseguindo a patente a 29 de Janeiro do ano seguinte e iniciado a primeira produção em massa a 1888. Pouco tempo depois, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach, em 1889 em Estugarda, concebiam um veículo de raiz, descartando a típica carroça em função de uma carroçaria específica dotada de motor. Foram eles também os inventores da primeira motocicleta em 1886. Em 1885 patenteou o travão de disco.

Evolução do automóvel[editar | editar código-fonte]

Alguns modelos célebres da indústria automobilística, entre populares e de luxo, destacando a evolução do design:

1904-oldsmobile-archives.jpg 1911-rolls-royce-archives.jpg Late model Ford Model T.jpg Packard De Luxe Eight 904 Sedan Limousine 1932.jpg
Oldsmobile Modelo 6C Curved-Dash-Olds (1904) Rolls-Royce Silver Ghost Tourer (1911) Ford Modelo T (1927) Packard Ninth Series De Luxe Eight 904 Sedan Limousine (1932)
Dodge D11 Luxury Liner 4-Door Sedan 1939.jpg Nash Ambassador Slipstream 4-door sedan.jpg 180px Cadillac at car show.jpg
Dodge D11 Luxury Liner 4 Portas Sedan (1939) Nash Ambassador (1942) Mercedes-Benz 300 SL (1955) Cadillac Fleetwood Sixty Special (Eldorado Biarritz) (1960)
Ferrari 250 LM 1964.JPG Fusca estacionado.jpg JaguarXJ220.jpg Opel Vectra front 20080222.jpg
Ferrari 250 Le Mans (1964) Volkswagen Sedan Duas Portas (1969) Jaguar XJ220 (1992) Opel Vectra 2ª Geração (1997)

Cool.

Referências

  1. Eckermann, Erik (2001). World History of the Automobile. SAE Press, p.14.
  2. 1679-1681–R P Verbiest's Steam Chariot (em inglês). Hergé. History of the Automobile: origin to 1900. Página visitada em 26 de novembro de 2013.
  3. Michael Sedgwick & Mark Gillies, A-Z of Cars 1945-1970, 1986
  4. Buchanan, C.D.. Mixed Blessing: The Motor in Britain (em inglês). [S.l.]: Leonard Hill, 1958. Capítulo: 1. ,
  5. Adriana brain. Cars. pp. 18. PediaPress.
  6. Georgano, G.N.. Cars: Early and Vintage, 1886-1930 (em inglês). Londres: Grange-Universal, 1985. ISBN 1-59084-491-2

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Berger, Michael L.. The automobile in American history and culture: a reference guide (em inglês). [S.l.]: Greenwood Publishing Group, 2001. ISBN 978-0-313-24558-9
  • Halberstam, David. The Reckoning (em inglês). [S.l.]: Morrow, 1986. ISBN 0-688-04838-2
  • Kay, Jane Holtz. Asphalt nation: how the automobile took over America, and how we can take it back (em inglês). [S.l.]: Crown Publishers, 1997. ISBN 0-517-58702-5
  • Krarup, M. C.. (Novembro de 1906). "Automobiles for Every Use" (em inglês). The World's Work: A History of Our Time XIII: 8163–8178.
  • Norman, Henry. (Abril de 1902). "The Coming of the Automobile" (em inglês). The World's Work: A History of Our Time V: 3304–3308.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre História do automóvel