Hitman: Blood Money

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hitman: Blood Money
Capa da versão PC
Produtora IO Interactive
Editora(s) Eidos Interactive
Compositor(es) Jesper Kyd
Motor Glacier
Plataforma(s) Windows, PlayStation 2, Xbox, Xbox 360
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Stealth, TPS
Modos de jogo Single player
Classificação BBFC (Reino Unido)
Inadequado para menores de 18 anos i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 15 anos i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 18 anos i PEGI (Europa)
Inadequado para menores de 18 anos i USK (Alemanha)
Média DVD, download
Requisitos mínimos Microsoft Windows:
*Windows 2000/XP
*Intel Pentium 4 1.5 GHz ou AMD Athlon XP equivalente
*512MB RAM
*Placa de vídeo compatível com DirectX 9.0c com Hardware TnL e Pixel Shader 2.0
*Placa de som compatível com DirectX 9.0c
*Drive de DVD quad-speed (4x)
*5.0GB de espaço livre no disco rígido
Hardware
Versão 1.2 (de 21 de junho de 2006)
Último
Último
Hitman: contracts
Hitman: Absolution
Próximo
Próximo

Hitman: Blood Money é um jogo de stealth desenvolvido pela IO Interactive, publicado pela Eidos Interactive e dirigido por Rasmus Højengaard. É o quarto jogo da série Hitman. Sua demo foi lançada em 22 de maio de 2006 e a versão completa do jogo foi lançada em 26 de maio de 2006 na Europa e no dia 30 do mesmo mês nos Estados Unidos.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Hitman: Blood Money é centrado nos assassinatos feitos pelo "47", que são narrados de um antigo diretor do FBI para um jornalista. O, agora cadeirante, ex-diretor conta sobre como sua organização vigiava 47, notificando seus assassinatos, que são jogados a partir do momento em que são mencionadas nas cenas. Deve-se notar que durante a entrevista, o ex-diretor menciona detalhes precisos do que aconteceu.

A maior parte do jogo acontece como flashbacks que ocorrem para os dias atuais (2006), em que um jornalista e ex-diretor do FBI, "Jack" Alexander Leland Cayne, discutem o que 47 fez ao longo dos últimos dois anos (2004-2005). O repórter, Rick Henderson, dispostos a entrevista sobre um recente ataque à Casa Branca. Ele rapidamente se torna claro que a real intenção de Cayne é discutir sobre o 47. Cayne conta mentiras sobre muitos detalhes, como afirmar que 47 roubou a clonagem de dados a partir de Ort-Meyer para vender a quem pagar mais. Conforme a história avança, fica implícito que os funcionários da Agência estão sendo eliminados sistematicamente por dois clones albino, Puriyah Mark II e Mark III Parchezzi expedidos por uma contraparte ocidental à Agência chamado de "A Franquia". A situação degrada ao ponto onde 47 é "controlado" por Diana Burnwood que lhe informa que eles são os únicos. Uma tentativa ainda é feita em 47 de vida em Paris, quase matando-o (incitando os eventos de Hitman: Contracts). Em 2004, no Mardi Gras em Nova Orleans,Louisiana, 47 é capaz de matar Mark II e dois outros assassinos de Franquia.

Diana fecha a agência com um contrato definitivo para matar os assassinos atrás deles e divide o saldo remanescente entre eles. Após a atribuição, é abordado por um velho conhecido, um agente da CIA chamado Smith, que tinha 47 resgatado em uma clínica de reabilitação no início do jogo através de um soro que finge morte. Ele se aproxima de 47 com uma missão de alto nível, pagos por intermédio de vários milhões de dólares em diamantes, para evitar um assassinato ao presidente dos Estados Unidos Tom Stewart. Os assassinos são assassinos "da franquia" clone, Parchezzi Mark III, e o vice-presidente, Daniel Morris, ambos trabalhando para Alpha Xerox, a sombria organização política que detém a franquia e é dedicado a monopolizar a tecnologia da clonagem, que gerou 47. Eles pretendem assassinar o presidente antes das eleições para que ele não pode ser reeleito e transmitir sua postura pró-clonagem, desabilitando assim a sua capacidade de monopolizar a linha: "A Franquia" e seu pai controlando a perder sua vantagem militar.

47 com êxito elimina Morris Parchezzi na Casa Branca. Um artigo de jornal no final do nível Parchezzi mostra que se acredita ser o assassino de Morris. Caçado por ambos os agentes inimigos e da polícia, 47 foge de seu esconderijo.e Sem aviso ele é visitado por Diana,e imediatamente desperta suas suspeitas. Diana propõe um plano a 47 para ajudá-los, tanto o perigo de fuga de "A Franquia" ela lhe entrega, expressando suas dúvidas quanto à probabilidade de seu sucesso, Diana injeta no 47 o que parece ser uma seringa de veneno que "mata" o 47.o corpo de 47 é cercado por oficiais da SWAT, e Diana, anunciando que a morte de 47 foi "surpreendentemente agradável", é formalmente empossado na Franquia, de Alexander Leland Cayne, seu fundador.

A história muda neste ponto até os dias atuais; o corpo de 47 está agendado para a cremação, para que sua medula óssea não possa ser aproveitada pelos rivais,destruindo a chance de produzir um clone sem defeitos.Então Diana coloca no peito do 47 as inseparaveis pistolas de prata(Silverballers personalizadas),durante seu funeral, apressada Diana beija-o depois de aplicar o batom que pareçe conter um antídoto de cura, o que implica que ela estava realmente "matando" 47 para sua sobrevivência. O funeral começa,e em seguida conclui duas maneiras diferentes de terminar o jogo. Na primeira, presume-se que o antídoto não funciona e 47 desce para o crematório. No segundo, mostra que o antídoto sai bem-sucedido.E 47 desperta e mata todos, incluindo guardas pessoais de Cayne,o sacerdote,Rick Henderson e o próprio Cayne(menos Diana que já tinha saido),e sem deixar testemunhas.

Algum tempo após o banho de sangue no funeral,Diana utiliza ativos da franquia para reabrir o Contrato Internacional de Agência(ICA), que tem vista para o porto de Copenhaga. Ela recebe um telefonema de um cliente conhecido como "Sua Majestade". A voz não pode ser ouvida,mas Diana responde que a Agência tenha perdido o seu melhor agente o 47. Enquanto isso, 47 é visto em um negócio envolvendo conversa com um homem vestido tradicionalmente um terno chinês.Eles discutem um serviço que pode ser encontrado 'nas costas'. A história termina com uma cortina vermelha se fechando sobre os dois.

Novidades[editar | editar código-fonte]

Muitas novidades foram introduzidas em Blood Money. Por exemplo, a habilidade de escalar em mais obstáculos, animações melhoradas, uma nova engine e a habilidade de personalizar algumas de suas armas. Apenas as cinco armas iniciais podem ser personalizadas, assim como a aquisição de alguns equipamentos, como um colete kevlar e explosivos. Cada fase contém algum método de fazer a morte do alvo sobresair como um acidente, por exemplo, sabotar botijões de gás, usar explosivos para causar a queda de um objeto pesado, ou fazer o alvo "acidentalmente" cair de uma sacada. Uma novidade na jogabilidade é o sistema de "notoriety" (notoriedade), se o jogador deixar os corpos de seus alvos serem vistos, serem ou ser (no caso do próprio jogador) filmado por câmeras de segurança, ou ser visto numa situação "estranha" (armado por exemplo), a notoriedade aumentará. Caso o jogador cumpra sua missão sem que nada disso aconteça, a notoriedade não sairá do mínimo, e o pagamento será maior. Quanto maior a notoriedade, mais fácil será de o 47 ser reconhecido. Os jogadores podem usar um sistema de suborno para diminuir a notoriedade. Mas este sistema não é necessário no modo "rookie" (novato), que permite "saves" ilimitados dentro de cada fase e um nível menor de dificuldade geral. Itens curativos estão disponíveis no jogo, como anestésicos. Quando se completa uma missão, um "jornal" é mostrado falando sobre o crime, e o conteúdo varia dependendo de como o jogador conduziu o "trabalho". Retratos falados do suspeito são vistos quando há testemunhas, e eles ficam mais apurados conforme a notoriedade aumenta. O título é relacionado com as ações do jogador para cada fase (por exemplo, 'Silent Assassin' para aqueles que não obtiveram nenhum aumento na notoriedade), uma chacina (teoricamente ou não) sem testemunhas lhe dá o título de "Terrorist", e uma diferença considerável no pagamento. A inteligência artificial também está melhor e às vezes chega ser tão boa que se torna irritante, pois é decepcionante quando você faz alguma coisa ilegal em um ponto distante e alguém vê. Nessa situação o jogo age como se toda a cidade ficasse sabendo, então tome muito cuidado quando for "trabalhar" alguém, fique preparado, pois se você for visto terá de matar muita gente ou recomeçar a fase.

Armas[editar | editar código-fonte]

Podem se classificar em quatro tipos:

Armas de fogo: além das cinco armas personalizáveis, há outras que podem ser pegas pelas fases se o jogador escapar portando essas armas ou se ele as depositar numa caixa da agência. Nesse grupo estão pistolas, revólveres, rifles, escopetas e submetralhadoras.

Armas brancas: existem diversos objetos que podem ser pegados como armas,como facas, cutelos,estiletes,bastões de beisebol,martelos,pás,extintores...

Silenciosas: seringa com veneno, seringa com sedativo, "fibewire" (fio de nylon), "stungun" (aparelho de choque).

Além disso, o 47 pode golpear com suas próprias mãos e desarmar os oponentes (logicamente,quando o seu oponente estiver armado ou talvez desarmado).

Explosivos: bombas detonáveis à distância.o interessante dessas bombas é que são de plástico que consegue enganar um detector de metais.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]