Hizbul Islam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hizbul Islam
Flag of Jihad.svg
Datas das operações Janeiro de 2009 - atualidade
Líder Hassan Aweys
Área de atividade Sul e centro da Somália
(sediada em Kismayo até 1 de outubro de 2009)
Ideologia Fundamentalismo islâmico

Hizbul Islam (lit. "Partido Islâmico"), também conhecido como Hizbul Islaami, Hisbi Islam ou Hezb-ul Islam, é um grupo insurgente fundamentalista islâmico. A organização foi fundada pelo líder islamista sueco Ali Yassin Mohamed,[1] após a fusão de quatro outros grupos fundamentalistas que se uniram para combater o novo governo somali do xeque Sharif Ahmed. Os quatro grupos eram a Aliança para a Relibertação da Somália (ARS-Eritreia), de Hassan Aweys, o Jabhatul Islamiya ("Frente Islâmica"), a Mu'askar Ras Kamboni ("Brigada Ras Kamboni"), de Hassan Abdullah Hersi al-Turki, e Muaskar Anole; estas organizações haviam participado anteriormente da insurgência islâmica contra a Etiópia e o governo provisório, e anunciaram seus planos de se unir ao Al-Shabaab, grupo insurgente mais conhecido do país.[2]

Em 7 de fevereiro de 2009, o grupo anunciou que continuaria a combater o novo governo, liderado pelo presidente Sharif Ahmed, e as forças da União Africana, estacionadas em Mogadíscio. Um dos líderes do grupo, Omar Iman, afirmou que "o autodeclarado governo liderado por Sharif Sheik Ahmed, não é diferente do de Abdulahi Yusuf", e que continuaria a travar uma "guerra santa" (jihad).[3]

O xeque Omar Iman Abubakar, nomeado presidente do grupo, é um alto oficial da facção eritreia da Aliança pela Relibertação da Somália.[4]

Em 28 de fevereiro o grupo acenou com a possibilidade de assinar um cessar-fogo com o Governo Federal de Transição.[5] No entanto, em 1 de março ficou claro que nenhum cessar-fogo seria concedido, a despeito do presidente Sharif Ahmed ter concordado com as propostas de trégua e mesmo oferecido aceitar a implementação da sharia (lei islâmica).[6]

O grupo já foi comparado ao Talibã, do Afeganistão.[7]

Líderes[editar | editar código-fonte]

Ex-líderes[editar | editar código-fonte]

  • Xeque Omar Iman Abubakar - presidente do grupo até sua renúncia em 26 de maio de 2009, quando entregou seu cargo ao xeque Hassan Dahir Aweys.[4] [8]
  • Xeque Yusuf Mohammed Siad Inda'ade - poderoso chefe militar e uma figura de liderança no ramo de Asmara da ARS até 17 de maio de 2009, quando desertou, se entregando ao governo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Hizbul Islam».
Ícone de esboço Este artigo sobre a Somália é um esboço relacionado ao Projeto África. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.