Holden (cratera marciana)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Cratera Holden
Holden Crater Close-up.JPG

Imagem aproximada dos canais na borda da cratera Holden, visto pela THEMIS.
Planeta Marte
Tipo cratera de impacto
Coordenadas 26.4° S, 34.0° W
Diâmetro 153.8 km
Quadrângulo Margaritifer Sinus
Epônimo Edward Singleton Holden

Holden é uma cratera medindo 140 km de diâmetro em Marte, localizada nas terras altas do sul. Seu nome vem de Edward Singleton Holden, um astrônomo americano, e fundador da Sociedade Astronômica do Pacífico.

Tal como a cratera Gusev, esta é notável pelo seu canal de escape, Uzboi Vallis, que corre em sua direção, e por muitas formações que parecem ter sido criadas por água corrente.

A borda da cratera é atravessada por voçorocas, e na terminação de algumas voçorocas se situam alguns depósitos em forma de leque de materiais transportados por água. A cratera é de grande interesse para os cientistas porque ela possui alguns dos depósitos lacustres mais expostos. Foi descoberto pela Mars Reconnaissance Orbiter que uma camada contém minerais argilosos.[1] Argilas se formam apenas na presença de água. Acredita-se que uma grande quantidade de água fluiu através dessa área; um curso foi gerado por um corpo de água maior que o Lago Huron na Terra. [2] Holden é uma cratera antiga, contendo várias crateras menores, muitas das quais soterradas por sedimentos. A cratera Holden é um local proposto para a aterrissagem da sonda da NASA Mars Science Laboratory. Logo a nordeste da cratera Holden se encontra a cratera Eberswalde, que contém um grande delta.

Mars Science Laboratory[editar | editar código-fonte]

Vários sítios no quadrângulo de Margaritifer Sinus foram propostos como áreas para o envio do próximo veículo da NASA, o Mars Science Laboratory. A cratera Holden ficou entre os quatro primeiros locais selecionados. Acredita-se que a cratera Holden abrigou um lago no passado.

O objetivo da Mars Science Laboratory é procurar por antigos sinais de vida. Espera-se que uma missão posterior possa então retornar amostras de locais que a Mars Science Laboratory tiver identificado como possíveis sítios contendo antigos vestígios de vida. Para trazer a sonda à terra com segurança, um círculo plano, suave, medindo 19,31 km de largura será necessário. Geólogos esperam examinar locais onde a água formara lagoas.[3] Eles gostariam de examinar camadas sedimentares.


Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Murchie, S. et al. 2009. A synthesis of Martian aqueous mineralogy after 1 Mars year of observations from the Mars Reconnaissance Orbiter. Journal of Geophysical Research: 114.
  2. http://hirise.lpl.arizona.edu/PSP_003077_1530
  3. http://themis.asu.edu/features/ianichaos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]