Holocausto (série)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Holocausto é uma mini-série transmitida em quatro episódios em 1978 pela emissora de televisão norte-americana NBC. Apesar de ter ganhado vários prêmios e ter sido aclamada pela crítica, foi criticada negativamente por alguns, incluindo o notório autor e sobrevivente do Holocausto Elie Wiesel, que a descreveu como "irreal, ofensiva (e) barata."

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Holocausto conta a história do Holocausto pela perspectiva da família Weiss, de judeus alemães, e do ponto de vista de um jovem membro da SS, que gradualmente se torna um impiedoso e sanguessuga criminoso de guerra. Holocausto ilustrou vários eventos importantes que ocorreram às vésperas e durante a II Guerra Mundial, tais como a Noite dos cristais, a criação de guetos judeus e posteriormente, o uso das câmaras de gás. A série basicamente tentou retratar aos espectadores a atrocidade deste genocídio.

Produção[editar | editar código-fonte]

Holocausto foi produzida por Robert "Buzz" Berger, e foi filmada com locações na Áustria e Berlim ocidental.

Foi transmitida em quatro episódios de 16 a 19 de abril. Conquistou grande popularidade, obtendo 49% de market share. Também foi popular na Europa e gerou um grande impacto quando foi exibida na Alemanha Ocidental em janeiro de 1979.

O programa de nove horas e meia de duração teve como estrelas Fritz Weaver, Rosemary Harris, Meryl Streep, James Woods e Michael Moriartry, além de um numeroso elenco de apoio. Foi dirigido por Marvin J. Chomsky, um veterano, com muitos especiais de televisão, inclusive a mini-série de grande sucesso da ABC, Raízes, que foi ao ar pela primeira vez no ano anterior, em 1977. A série foi escrita pelo romancista e produtor Gerald Green, que posteriormente adaptou o roteiro para um romance.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Holocausto ganhou o Prêmio Emmy de Séries Limitadas mais Marcantes. Também venceu Emmys com as estrelas Streep, Moriatry e Blanche Baker. Chomsky e Green também ganharam Emmys. A trilha sonora de Morton Gould foi indicada, mas não venceu. A trilha sonora também foi indicada para um Prêmio Grammy por Melhor Trilha Original para o cinema ou TV. Outras estrelas, David Warner, Sam Wanamaker, Tovah Feldshuh, Fritz Weaver e Rosemary Harris, também foram indicadas para Emmys, mas não venceram. Entretanto, Harris venceu um Globo de Ouro (melhor atriz de TV) por sua performance, assim como Moriartry (Melhor ator de TV - Drama). Na corrida pelo Emmy, venceu a mini-série da BBC I, Claudius.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Alguns críticos acusaram a mini-série de tratar o Holocausto de maneira trivial. O formato de TV significava calar o realismo da situação, enquanto o fato de a NBC ter lucrado alto com comerciais gerou acusações de que a tragédia estaria sendo comercializada. Os criadores de Holocausto defenderam-se com o argumento de que foi um importante fator no desenvolvimento e manutenção do conhecimento público sobre o Holocausto. O satirista e crítico de TV Clive James recomendou a produção. Em um artigo escrito para o The Observer (republicado na sua coleção The Crystal Bucket), ele disse:

"Os judeus alemães foram os mais assimilados na Europa. Eles foram vitais para a cultura alemã - que, de fato, nunca se recuperou de sua extinção. Eles não conseguiam perceber que eram odiados proporcionalmente ao conhecimento, vitalidade e sucesso que possuíssem. A aridez das mentes nazistas foi o maior obstáculo que os autores tiveram de enfrentar. Ao criar Erik Dorf eles deram um grande avanço para superá-lo. Interpretado de forma fascinante por Michael Moriartry, Erik comete seus eufemismos de assassino com uma voz tão seca quanto os discursos de Hitler ou a arquitetura de Albert Speer. O sonho de Hitler de um futuro com uma raça pura em um cenário abstrato, expressado por prisioneiros acorrentados e crucificações com rodovias conduzindo caminhões de arianos, acelerando constantemente para um local indefinido. Dorf soou exatamente assim: seu 'olhar de peixe morto' era uma luz embaçada com uma visão ilimitada da banalidade."

Elenco[editar | editar código-fonte]

Personagem Ator Personagem Ator
Adolf Eichmann Tom Bell Mrs. Helms Nina Sandt
Rudi Weiss Joseph Bottoms Mr. Weinberg Cyril Shaps
Helena Slomova Tovah Feldshuh John Cassidy Robert Sherman
Heinrich Palitz Marius Goring Rabbi Samuel Gabor Vernon
Berta Palitz Weiss Rosemary Harris Mr. Frey Peter Vogel
Heinrich Müller Tony Haygarth Peter Dorf enquanto criança Jim Anbach
Heinrich Himmler Ian Holm Eva Isolde Barth
Uncle Sasha Lee Montague Dr. Heintren Hubert Berger
Erik Dorf Michael Moriarty Oficial da Imigração Gottfried Blahovsky
Marta Dorf Deborah Norton Nadya Vera Borek
Mr. Lowy George Rose Rabbi Korsch Martin Brandt
Uncle Kurt Dorf Robert Stephens Seder Man Peter Capell
Inga Helms Weiss Meryl Streep Vanya Ulli Chivall
Moses Weiss Sam Wanamaker Sargento do Campo de concentração de Buchenwald Otto Clemens
Reinhard Heydrich David Warner Yuri Peter Garrell
Dr. Josef Weiss Fritz Weaver Peter Dorf enquanto adolescente Edward Gilkrist
Karl Weiss James Woods Berald Klaus Guth
Hermann Höfle Sean Arnold Guarda da S.S. Berno Hall
Hans Frank John Bailey Capitão Soviético Nikolai Hantoff
Anna Weiss Blanche Baker Sargento do Campo de Concentração de Auschwitz Ernst Hausknost
Hans Helms Michael Beck Laura Dorf enquanto criança Carrie Hill
Karl Rahm John Collin Laura Dorf como adolescente Courtney Hill
Rudolf Höss David Daker Prisioneiro do Campo de concentração de Buchenwald Karl Hoess
Sr. Karp Vernon Dobtcheff Oficial de Polícia da Gestapo Harry Hornisch
Sr. Biberstein Edward Hardwicke Sr. Pfennenstiel Helmut Janatsch
Otto Ohlendorf Nigel Hawthorne A enfermeira Sarah Kathina Kaiser
Sra. Lowy Käte Jaenicke Sr. Engelmann Wolfgang Leisowsky
Dr. Kohn Charles Korvin Sofia Alatri Hanna Lessing
Sr. Helms Werner Kreindl Mulher com bebês Miriam Mahler
Mr. Zalmann Stanley Lebor Anton Rudolf Melichar
Aaron Jeremy Levy Border Guard Peter Neusser
Paul Blobel T. P. McKenna Campo de Concentração de Auschwitz-Kapo Elvira Neustaedtl
Ernst Kaltenbrunner Hans Meyer Colega de sala de aula de Aaron Jan Odle
Sra. Palitz Nora Minor Prague Oficial de Polícia Walter Scheuer
Maria Kalova Irene Prador Sergeant Foltz Stephan Paryla
Sr. Felscher George Pravda Oficial de Polícia Polonês Karl Schulz
Sr. Tesch Oscar Quitak Warsaw Ghetto Oficial de Polícia Ortwin Speer
Sr. Levin Osman Ragheb Escrivão do Campo de concentração de Buchenwald Erwin Steinhauer
Arthur Nebe John Rees Kapo Meinick Bruno Thost
Bernhard Lichtenberg Llewellyn Rees Greek Jew Joe Trummer
Sr. Kovel Toby Salaman Sacristão Peter Weihs
Mordechaj Anielewicz Murray Salem Médico de Berlim Götz von Langheim

Referências[editar | editar código-fonte]

1. Elie Wiesel (April 16, 1978). "Trivializing the Holocaust: Semi-Fact and Semi-Fiction". The New York Times.

2. The Crystal Bucket by Clive James p. 124-126 ISBN 0-330-26745-0