Homem Florônico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Homem Florônico (Também conhecido como Mestre das Plantas, e Floro) é um vilão fictício da DC Comics. Ele é um inimigo de Eléktron, com quem se confrontou incontáveis vezes, mas é mais lembrado por ter enfrentado o Monstro do Pântano. Estreou em Atom #1 (Jun-Jul 1962), criado por Gardner Fox e Gil Kane. O Homem Florônico é Jason Woodrue, um cientista que tornou-se um híbrido homem-planta devido a suas experiências. Ele é um ecoterrorista a favor das plantas. Já participou de grupos de vilões como a Gangue da Injustiça e a Sociedade Secreta dos Supervilões. Ele também é responsável pelos poderes de Hera Venenosa.

Monstro do Pântano[editar | editar código-fonte]

Na revista Swamp Thing nº 20 o Monstro do Pântano leva um tiro na cabeça e é capturado por homens da corporação Sunderland. Na edição 21, na já lendária história Lição de Anatomia, seu corpo foi entregado ao vilão menor Jason Woodrue, que tinha sido empregado por Sunderland para executar uma autópsia.

Durante a autópsia, Woodrue descobriu que a fisiologia do Monstro do Pântano era somente superficialmente humana: seus órgãos eram pouco mais do que imitações cruas e não-funcionais de suas contrapartes humanas, e que não havia nenhuma maneira do corpo do Monstro do Pântano ter se originado de um corpo humano. Isto significa que o Monstro não era Alec Holland, apesar de pensar assim: Holland tinha na vegetação do pântano, e a vegetação do pântano tinha absorvido a fórmula, sua mente, conhecimento, memórias, e habilidades. Alec Holland não havia se curado, porque não havia nada para se curar. Woodrue concluiu também que, apesar da autópsia, o Monstro do Pântano estava ainda vivo, já que "você não pode matar um vegetal disparando na sua cabeça".

Com isso, Moore redefiniu o Monstro do Pântano como uma "planta elemental", o que deixou o personagem aberto a interpretações muito mais amplas, dando-lhe a habilidade de controlar plantas, e de viajar através do "verde".

Durante a era Moore, o Monstro do Pântano ficou catatônico devido ao choque por mergulhar profundamente no "verde", uma dimensão que conecta toda a vida vegetal. Woodrue ficou insano após tentar se conectar ao Verde através do Monstro do Pântano, e Abby teve que revivê-lo a fim de deter Woodrue, depois que este matou uma vila inteira.

Tentativa de dominação mundial[editar | editar código-fonte]

Certa vez, Florônico conseguiu controlar todas as plantas da Terra. Ele fez com que elas aumentassem a produção de oxigênio terrestre, de modo que a menor faísca poderia incorrer em devastadores incêndios. A Liga da Justiça não podia fazer nada, pois nenhum membro tinha o poder de comunicar-se com as plantas. O Monstro do Pântano enfrentou Woodrue, e lhe expôs que se todas as formas de vida que respiram oxigênio morressem, as plantas também, pois não haveria quem produzisse dióxido de carbono para que elas fotossintetizassem. Imediatamente, todas as plantas do mundo deixaram de atender Woodrue, que ficou ainda mais insano. A Liga o encontrou e o trancou no Asilo Arkham.

Projeto Milênio[editar | editar código-fonte]

O Projeto Milênio culminou na evolução dos "Escolhidos" nos Novos Guardiões. Jason Woodrue estava entre um dos humanos escolhidos, mas recusou ser evoluído pelo Guardião do Universo Appa Ali Apsa e a Zamoriana, afirmando que o Verde já tinha lhe dado todo o poder que precisava. Ele alterou seu nome para Floro neste evento, e passou a ser um herói.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Woodrue é um elemental da terra (ainda que alterado por intervenção científica, seu poder é ligado ao Verde) e pode controlar todas as formas de vida vegetal, podendo alterar seus tamanhos e dar-lhes mobilidade. Ele pode conectar-se mentalmente ao "Verde", dimensão criada pela consciência coletiva de todas as plantas da Terra.