Superman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Homem de Aço)
Ir para: navegação, pesquisa
Super-Homem
Super-Homem.jpg

Dados da publicação
Publicado por DC Comics
Primeira aparição Action Comics #1 (Junho de 1938)
Criado por Jerry Siegel
Joe Shuster
Características do personagem
Alter ego Kal-El, adotado como Clark Joseph Kent
Espécie Kryptoniano
Terra natal Krypton
Afiliações Planeta Diário
Liga da Justiça
Legião dos Super-Heróis
Guilda Militar Kryptoniana
Ocupação Repórter
Parceria Mulher Maravilha
Batman
Base de operações Metrópolis
Parentesco Lois Lane (esposa)
Jor-El (pai biológico)
Lara (mãe biológica)
Jonathan Kent (pai adotivo)
Martha Kent (mãe adotiva)
Linda Lee (prima biológica)
Situação presente Ativo
Codinomes conhecidos Homem-de-Aço
Super-Homem
O Ultimo Filho de Krypton
Homem do Amanhã
Clark Joseph Kent
Comandante El
Habilidades
  • Agilidade Super-Humana
  • Força Super-Humana
  • Resistência Super-Humana
  • Velocidade Super-Humana
  • Voo
  • Visão de Calor
  • Super Sopro
  • Sopro Congelante
  • Longevidade Sobre-Humana
  • Sentidos Super-Humanos
  • Visão de Raio-X
  • Visão Telescópica
  • Visão Microscópica
  • Visão de Espectros Eletromagnéticos
  • Auto-Sustento
  • Intelecto Sobre-Humano
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Superman (traduzido como Super-Homem) é um personagem, cujas histórias em quadrinhos são publicadas pela editora estadunidense DC Comics, uma empresa subsidiária do grupo Time Warner. Superman, entretanto, já foi adaptado para diversos outros meios, como cinema, rádio, televisão, literatura e Video game. Superman é um super-herói criado pela dupla de autores de quadrinhos Joe Shuster e Jerry Siegel. Sua primeira aparição foi apresentada na revista Action Comics #1 em 1938, nos Estados Unidos. O personagem nasceu no fictício planeta Krypton e foi chamado pelos seus pais de Kal-El (que significaria Filho das Estrelas no idioma kryptoniano). Foi mandado à Terra por seu pai, Jor-El, um cientista, momentos antes do planeta explodir. O foguete aterrissou na Terra na cidade de Smallville (por alguns anos, foi traduzida no Brasil como Pequenópolis), onde o jovem Kal-El foi descoberto pelo casal de fazendeiros Jonathan e Martha Kent. Conforme foi crescendo, ele descobriu que tinha habilidades diferentes dos humanos. Quando não está atuando com o tradicional uniforme azul e vemelho, ele vive como Clark Kent, repórter do Planeta Diário (Estrela Diária em Portugal).

Clark trabalha com Lois Lane, com quem hoje é casado. É um dos mais importantes personagens da cultura pop ocidental, sendo o primeiro herói dos quadrinhos a ter uma revista intitulada com seu nome: Superman #1, publicada no verão de 1939. Além disso, Superman foi licenciado e adaptado para diversas mídias, desde rádio até televisão e cinema. O filme Superman Returns foi lançado em 2006, com uma aceitação dos fãs abaixo das expectativas, entretanto recebeu criticas positivas, apesar de ter sido um fracasso de bilheteria . Em 2013, depois de sete anos afastados das telas, será lançado mundialmente um novo filme do personagem, chamado simplesmente de Man of Steel (em português, Homem de Aço)[1] , como mais uma reinicialização da série de filmes do Superman. Contando com a direção de Zack Snyder e com a produção de Christopher Nolan (este último notório por ter sido o diretor da aclamada trilogia de filmes The Dark Knight, do também super-herói da DC Batman)[2] , terá o ator britânico Henry Cavill como Superman/Clark Kent[3] , e a atriz americana Amy Adams como Lois Lane[4] .

A origem e poderes do personagem foram sendo expandidos e alterados gradativamente ao longo dos anos para acompanhar a evolução do público. A história do Superman foi alterada para permitir as aventuras do Superboy e outros sobreviventes de Krypton foram criados, como Supermoça e Krypto, o supercão. O personagem foi revisado e atualizado mais recentemente em 1986. John Byrne recriou o personagem, reduzindo os poderes do Superman e apagando diversas personagens da versão oficial das histórias, o que atraiu a atenção dos meios de comunicação. A cobertura da imprensa foi novamente recebida na década de 1990, com A Morte do Superman, uma história na qual o personagem era dada como morto.[5]

A propriedade sobre o personagem foi objeto de disputa, com Siegel e Shuster reclamando o retorno de sua propriedade legal. Os direitos autorais são novamente objeto de disputa, com a mudança das leis de direitos autorais permitindo à esposa e à filha de Siegel reclamar uma parte dos direitos autorais, levando a uma disputa com a companhia Warner Bros.[6] E é até hoje um dos três super-heróis mais populares do mundo, os outros são Batman (também da DC) e o Homem-Aranha (da Marvel Comics).

Publicação[editar | editar código-fonte]

A primeira aparição do Superman foi em Action Comics #1, em 1938. Em 1939, um série de mesmo nome foi lançada. A primeira edição consistiu principalmente de aventuras já publicadas em Action Comics, mas apesar disso a revista atingiu grande vendagem. 1939 também foi publicado na especial New York World's Fair Comics, que no verão de 1942 virou World's Finest Comics. Com a edição de All Star Comics, Superman fez sua primeira de um número infrequente de aparições, nesta ocasião aparecendo brevemente para estabelecer-se como membro honorário da Sociedade de Justiça da América.

Inicialmente Jerry Siegel e Joe Shuster queriam ser responsáveis por toda história e arte de todas as tiras publicadas. Entretando, a visão de Shuster começou a deteriorar-se, e o aumento das aparições da personagem implicou numa sobrecarga de trabalho. Isso fez com que Shuster estabelecesse um estúdio para ajudar na produção da arte embora ele insistisse em desenhar o rosto de todo Superman que o estúdio produzia. Fora do estúdio, Jack Burnley começou fazendo capas e histórias em 1940. Wayne Boring, inicialmente empregado no estúdio de Shuster, começou trabalhando para DC em 1942 fazendo páginas para Superman e Action Comics.

Personagem dos quadrinhos

Superman, dada a natureza seriada da publicação em quadrinhos e a extensão da existência da personagem, evoluiu como uma personagem conforme suas aventuras se incrementaram. Os detalhes da origem do Superman, relacionamentos e habilidades mudaram significativamente no decorrer da publicação da personagem, do que é considerada a Era de Ouro dos Quadrinhos até a Era Moderna. Os poderes e vilões foram desenvolvidos na década de 1940, com o Superman desenvolvendo a habilidade de voar em 1941.[7] O personagem descobriu a origem de Krypton em 1949. O conceito foi originalmente estabelecido para o leitor em 1939, nas tiras diárias do Superman[8] Os anos 1960 viram a introdução de um segundo Superman, o Kal-L. A DC estabeleceu um multiverso dentro do universo fictício que suas personagens habitavam. Isto permitiu que personagens publicadas em 1940 existissem ao mesmo tempo que suas contrapartes atualizadas publicadas na década de 1960. Isto foi explicado para o leitor através da noção de que dois grupos de personagens habitavam terras paralelas. O Superman da Terra 2 foi introduzido para explicar ao leitor como o Superman era membro tanto do grupo de super-heróis da década de 1940 Sociedade da Justiça da América quanto do grupo da década de 1960 Liga da Justiça da América..[9]

Os anos 1980 viram radicais revisões da personagem. DC Comics decidiu remover o multiverso de modo a simplificar sua linha de quadrinhos. Isso levou a toda história das personagens DC ser reescrita, incluindo Superman, em sequência ao primeiro grande evento (crossover) da história dos quadrinhos, chamado de Crise nas Infinitas Terras. Após esta maxissérie em 12 partes, John Byrne reescreveu Superman, removendo várias convenções estabelecidas e personagens da continuidade, incluindo Superboy e Supergirl. Byrne também restabeleceu os pais adotivos do Superman como personagens [10] Na continuidade anterior, as personagens haviam morrido cedo na vida do Superman (na época em que Clark Kent era um estudante colegial). Os anos 1990 viram Superman ser assassinado por um vilão, Apocalypse, [11] mesmo que a personagem tenha sido posteriormente ressuscitada.[12] Superman também casou com Lois Lane, no ano de 1996. Teve seus poderes transformados em pura energia elétrica após a saga Noite Final, onde esta fase ficou conhecida como Superman Azul e Vermelho. Na década de 2000, Superman virou vegetariano, e sua origem foi novamente revisitada em 2004.[13] Em 2006, Superman perde seus poderes,[14] mas eles foram restabelecidos em um ano fictício[15] Atualmente Superman teve toda a família de Krypton trazida de volta (saga "Nova Krypton") e seu pai (Jonathan Kent) morto (após a saga "Brainiac"). Além de que o escritor Geoff Johns está reescrevendo a origem do Superman, onde ele fará amarras de todo tipo de origens já publicada, conceitos do passado, etc (igualmente feito com a personagem Lanterna Verde).

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Na história original de Siegel e Shuster, a personalidade de Superman é rude e agressivo. O personagem é visto combatendo gangsters, violência doméstica, com um código moral pouco ortodoxo.[16] Escritores posteriores suavizaram a personagem, e introduziram um idealismo e um código de conduta moral. Mesmo não sendo tão sangue-frio quanto o Batman original, o Superman apresentado na década de 1930 não tinha consciência do dano que sua força podia causar, agredindo vilões de maneira que fatalidades presumivelmente ocorriam, mesmo que não fossem explicitamente mostradas nas páginas. Isso terminou em 1940, quando o novo editor Whitney Ellsworth instituou um código de conduta para suas personagens seguirem, extinguindo qualquer assassinato causado pelo Superman.[8]

Em Superman/Batman #3, Batman pensa, "Isto é uma interessante dicotomia. De diversas maneiras, Clark é o mais humano de nós todos. Então… ele lança fogos dos céus, e é difícil não pensar nele como um deus. E como nós somos afortunados que isso não ocorra a sua mente.[17]

Poderes[editar | editar código-fonte]

A suposta origem dos poderes do Superman é o Sol amarelo da Terra. Em Krypton o astro é vermelho, e essa diferença de frequência eletromagnética entre ambos os astros faria com que, de alguma forma, as células do corpo de Kal-El fossem "carregadas" como verdadeiras baterias vivas, enrijecendo seus músculos, permitindo que a diferença de gravidade faça-o voar e outros poderes como visão microscopia (é capaz de enxergar seres microscópicos como átomos, células e bactérias), visão telescópica (é capaz de ver planetas e estrelas a olhos nú), visão de raio x (é capaz de ver através de tudo, menos chumbo), visão eletromagnética (é capaz de ver as energias eletromagnética em frequências invisíveis a qualquer ser, também pode ver as transmissões de rádio), visão de infravermelho (é capaz de percebe as assinaturas de calor de qualquer coisa que tenha calor como o corpo humano), visão de calor (emite ondas de energia solar dos olhos, podendo derreter objetos e fundir outros), super audição (pode ouvir o planeta inteiro), super força (possui a maior força do universo, podendo empurrar planetas, é capaz de destruir galáxias e o próprio universo), invulnerabilidade (é imune e altamente resistente a todas formas de danos físicos externo e interno, ele pode resistir a bombas nucleares e pode voar ileso ao núcleo de uma estrela), super velocidade (consegue pensar, mover-se, reagir e voar 20 trilhões de vezes mais rápido que a luz), sopro congelante (é capaz de armazenar ar congelante e libera os através da boca), super sopro (é capaz de inalar ar, gerando turbilhões de vento, liberando através da boca, esse super sopro é capaz de empurrar planetas e se é usado com toda força é capaz de destruir galáxias), durabilidade (é incapaz de envelhecer, é imune a todo tipo de venenos e doenças, Superman poderia lutar toda a eternidade sem cansar), fator de cura (se regenera de grandes ferimentos em segundos). Muitos poderes do Superman foram deixados para trás após reformulações nas revistas (pós-Crise). O personagem era quase um deus. Na década de 1950, por exemplo, Superman possuía um poder de raio "arco-íris" psicodélico aos mesmos moldes de poderes telecinéticos. E no final da década de 1990 (após saga Noite Final), seus poderes foram alterados para habilidades elétricas e seu uniforme foi totalmente modificado para evitar o crime ou minimizá-lo.

Criação[editar | editar código-fonte]

Jerry Siegel, Joe Shuster e Leonardo Martinez primeiramente criaram um herói com poderes telepáticos que pretendia dominar o mundo. Ele apareceu em uma curta história, "The Reign of the Super-Man" (O Reino do Super-homem), da Science Fiction #3, um fanzine de ficção científica que Siegel publicou em 1933[18] e foi a primeira vez que uma publicação trazia o nome Superman.[19] Siegel reescreveu a personagem como um herói, mantendo pouca ou nenhuma semelhança com o vilão de mesmo nome, e começou uma jornada de seis anos para encontrar uma editora que o publicasse. Intitulando-o The Superman, Siegel e Shuster ofereceram a história para a Consolidated Books Publishing, que publicara uma revista em quadrinhos preto-e-branco de 48 páginas intitulada Detective Dan: Secret Operative No. 48. Mesmo recebendo uma carta de encorajamento, a editora nunca mais voltou a publicar quadrinhos. Shuster se frustrou e destruiu todas as páginas da história. A capa sobreviveu apenas porque Siegel a resgatou do fogo. Siegel e Shuster descreveram essa versão da personagem como sendo comparável a Slam Bradley, uma personagem que a dupla criou em 1937 para a primeira edição de Detective Comics.[20] [21] [22] [23]

Shuster disse em 1983. "Jerry criou todos os nomes. Nós éramos grandes fãs de filmes e fomos inspirados por alguns atores e atrizes que víamos. Como para Clark Kent, nós combinamos os nomes de Clark Gable e Kent Taylor. E Metrópolis, a cidade base de operações do Superman, veio do filme de Fritz Lang Metrópolis de 1927, que ambos amaram".[24]

Action Comics 1.

Mesmo que estivessem no momento vendendo material para editoras de quadrinhos, notavelmente National Publications, a dupla decidiu expor sua personagem no formato de tiras, preferindo-o em relação ao formato de revistas em quadrinhos que estava se estabelecendo àquele tempo. Eles ofereceram as tiras para Max Gaines, que declinou, e para o United Feature Syndicate, que expressou interesse inicialmente mas finalmente rejeitou as tiras em uma carta datada de 18 de fevereiro de 1937. Entretanto, no que Les Daniels descreve como "uma incrível reviravolta de eventos", Max Gaines terminou posicionando a tira como destaque na nova publicação da Wheeler-Nicholson, Action Comics. Vin Sullivan, editor da nova revista, escreveu à dupla pedindo que as tiras fossem redesenhadas para que se adequassem ao formato das revistas em quadrinhos, requisitando, "oito quadros por página". Entretanto Siegel e Shuster ignoraram isso, utilizando suas próprias experiências e idéias para criar o layout das páginas, com Siegel também identificando a imagem usada para a capa de Action Comics #1 (Junho de 1938), primeira aparição de Superman.[25]

A "sunga" por cima da calça (no início se parecia mais com um short), capas (no início era curta, pequena, depois ficou maior, longa) e botas (repare o formato de W), tudo isto foi rapidamente estabelecida como a base para vários uniformes de super-heróis. Esta terceira versão da personagem recebeu extraordinárias habilidades, mesmo que de uma natureza física, ao contrário das habilidades mentais do Superman vilão.[18]

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Clark Kent, a identidade secreta do Superman, foi baseado parcialmente em Harold Lloyd e batizado baseado em Clark Gable e Kent Taylor.[26] Os criadores discutiram se na verdade o Superman pretende ser Clark Kent ou vice versa, e em diferentes períodos diferentes visões foram adotadas. [27] [28] Embora tipicamente um reporter de jornal, durante os anos 1970 a personagem deixou o Planeta Diário por um tempo para trabalhar na televisão, durante a reformulação dos anos 1980 por John Byrne viu a personagem tornar-se mais agressivo. .[29] Esta agressividade foi sendo diminuidade com os criadores seguidamente restabelecendo o jeito suave tradicional da personagem.

Quando o gibi do Super-Homem chegou ao Brasil, o nome Clark foi mudado para Eduardo e o de Lois Lane para Miriam,[30] o que foi corrigido após um tempo. O nome original Clark Kent foi alterado já nas primeiras histórias publicadas pela EBAL. Já Lois Lane só recebeu de volta seu nome original nos anos 1980, após ser publicado no Brasil, pela editora Abril, o evento "Crise nas Infinitas Terras" (do qual a editora se aproveitou para fazer a mudança).

O grande elenco de apoio do Superman inclui Lois Lane, talvez a personagem mais conhecida associada ao Superman, sendo retratada diversas vezes, como sua colega, concorrente, interesse amoroso e/ou esposa. Outros importantes personagens de apoio incluem os colegas de trabalho do Planeta Diário como o fotógrafo Jimmy Olsen e o editor Perry White, os pais adotivos de Clark Kent Jonathan Kent e Martha Kent, Lana Lang, seu amor de infância e seu melhor amigo Pete Ross, e o interesse amoroso de faculdade Lori Lemaris (uma sereia); Histórias fazendo referências a possibilidade de filhos do Superman foram apresentadas tanto dentro quanto fora da continuidade principal.

Encarnações da Supermoça, Krypto, o supercão, e Superboy também foram personagens das histórias, bem como a Liga da Justiça (da qual o Superman geralmente é membro). Uma característica importante compartilhada por várias personagens de apoio são os nomes aliterativos, especialmente com as iniciais "LL", incluindo Lex Luthor, Lois Lane, Linda Lee, Lana Lang, Lori Lemaris e Lucy Lane.

Parcerias com o aliado ícone dos quadrinhos Batman são comuns, inspirando várias histórias ao longo dos anos. Quando em dupla, eles são referidos como "Os Melhores do Mundo" (World's Finest) em concordância com o nome da série que apresenta várias histórias das parcerias. Em 2003, DC Comics começou a publicar uma nova série intitulada Superman/Batman apresentando as duas personagens.

Superman também tem uma galeria de vilões, incluindo seu mais conhecido inimigo, Lex Luthor, que foi visto durante vários anos em várias formas desde um cientista louco com uma vendetta pessoal contra o Superman, ou um poderoso mas corrupto CEO de um conglomerado chamado LexCorp [31] Na década de 2000, ele torna-se presidente dos Estados Unidos[32] e foi descrito ocasionalmente como um amigo de infância de Clark Kent. O andróide alien conhecido como Brainiac é considerado por Richard George como o segundo inimigo do Superman mais efetivo.[33] O inimigo que superou os demais, assassinando o Superman, é o monstro em fúria Apocalipse. Darkseid, um dos seres mais poderosos do Universo DC, é também um formidável inimigo nos quadrinhos pós-Crise. Outros inimigos que foram apresentados em várias encarnações da personagem nos quadrinhos, filme e televisão incluem o duende da quinta dimensão Mr. Mxyzptlk, o Superman reverso conhecido como Bizarro e o criminoso kryptoniano General Zod.

Superman no Brasil[editar | editar código-fonte]

Superman apareceu no Brasil pela primeira vez em Dezembro de 1938, no suplemento chamado A Gazetinha #445[34] , do jornal A Gazeta de propriedade do jornalista Cásper Líbero.[35] Com os direitos adquiridos por Adolfo Aizen, as aventuras do Homem de Aço passam para a lendária revista "O Lobinho".[36]

Com a criação da editora EBAL em 1945, o editor Aizen lança as histórias da personagem em uma revista em quadrinhos chamada Superman. A revista foi publicada por 35 anos, de 1947 até 1983, um recorde do gênero. Não conseguindo manter mais os direitos, a EBAL repassou a personagem para a Editora Abril, que seguiu com as publicações até a virada do milênio.[37]

Superman ou Super-Homem?[editar | editar código-fonte]

Para aqueles que leram as histórias do herói até alguns anos atrás, é estranho ver o nome Superman sendo utilizado, ao contrário da tradução à língua portuguesa, Super-Homem. Não há exatamente um consenso. Os DVDs do herói, por exemplo, trazem o nome "Superman" em suas caixas, o chamam de "Super-Homem" na dublagem em português e "Superman" nas legendas também em português. Já o desenho animado da década de 1990 o chamava de "Super-Homem" enquanto em sua continuação direta, Liga da Justiça, ele virou novamente Superman.

Quando as primeiras histórias da personagem chegaram ao Brasil, nos anos 40 e 50, era comum a tradução e a adaptação dos nomes. Sendo assim, a escolha óbvia era Super-Homem, apesar de que sua primeira revista se chamava Superman (EBAL, novembro de 1947) e dentro da revista era chamado de Super-Homem. Entretanto, após várias décadas, a globalização mostrou que ter um nome diferente do país originário da personagem pode ser muito prejudicial financeiramente.

Isso acontece porque bonecos, camisas e outros objetos promocionais são fabricados normalmente em apenas um país (a China, por exemplo) e depois exportados ao mundo todo e, na embalagem, consta o nome original da personagem. Quando o produto chega a um país onde esse nome é diferente, o importador se vê obrigado a gastar ainda mais dinheiro em novas embalagens e adaptações.

Foi por esse motivo que, na versão brasileira da série Lois e Clark: As Novas Aventuras do Superman, o nome do super-herói não foi traduzido. Preferiu-se utilizar Superman em vez de Super-Homem[38] . Com o sucesso da série, o nome Superman tornou-se mais comum entre os fãs. Assim a Editora Abril, que era a responsável pelas histórias em quadrinhos da personagem no Brasil, aproveitou a oportunidade e começou a usar a versão em inglês.

Algo parecido já havia acontecido nos anos 1980 dentro do universo do Superman. Desde as primeiras histórias no Brasil o nome de Lois Lane era adaptado como Miriam Lane. A Editora Abril aproveitou os acontecimentos de Crise nas Infinitas Terras, em 1987, para poder finalmente grafar o nome da forma original.

Kryptonita[editar | editar código-fonte]

A Kryptonita é formada de fragmentos radioativos de Krypton, o planeta natal do Super-Homem.

Na Era de Prata, havia vários tipos diferentes de kryptonita:

  • Verde - a mais comum, é fatal a qualquer Kryptoniano, causa fortes dores e pode levar à morte se a exposição à sua radiação for prolongada.
  • Vermelha - causa uma de muitas mutações imprevísiveis a nível físico e mental: pode alterar as emoções do Super-Homem, fazê-lo criar 2 braços extra, torná-lo um anão, um gigante, um dragão, uma criança, separá-lo num Superman mau e um Clark Kent bondoso e sem poderes, dividi-lo em um Superman azul e outro vermelho, torná-lo muito gordo, torná-lo muito cabeludo e barbudo, fazê-lo ficar com cabeça de formiga, fazê-lo incapaz de dizer qualquer coisa sem ser em kryptonês, fazê-lo amnésico, fazê-lo perder a alta resistência na parte esquerda do corpo, etc. Os efeitos duram de 24 a 48 horas, e nunca se repete um mesmo efeito. Aparentemente, cada pedaço de kryptonita vermelha só podia afetar um kryptoniano uma única vez, necessitando outro pedaço para um novo efeito (mas que nunca seria o mesmo). Pois no seriado Smallville a Kriptonita vermelha muda a personalidade do Superman, fazendo tornar-lo vilão.
  • Azul - Letal para Bizarro, mas cura efeitos de outras kryptonitas em Superman .
  • Branca - Letal para a vida vegetal.
  • Antikryptonita: Possui o efeito inverso da Kryptonita Verde, ela não é letal para os Kryptonianos, mas é fatal para os humanos normais. Formou-se no solo de Argo City, cidade kryptoniana da Supermoça.
  • kryptonita X: verde, dá poderes quase iguais aos de Superman a humanos normais. Temporário, mas pode ter efeito permanente.
  • kryptonita jóia: criada pelo interno da Zona Fantasma Jax-Ur, esta não é realmente kryptonita, nem mesmo radioativa. Esta pedra permite aos internos da Zona Fantasma poderem influenciar o mundo fora da Zona. Eles podem focalizar suas forças de vontade na pedra a fim de criar os efeitos de poderes mentais que afetam seres humanos da Terra, como hipnose, rajadas mentais, rajadas psicocinéticas, ilusões e controle mental.
  • (Nota¹) Na verdade as Kryptonitas não fazem efeito algum a qualquer Kryptoniano, somente aos Kryptonianos que foram expostos ao raios do Sol Amarelo da terra. Superman e sua Prima, Supermoça, sentem os efeitos, pois vivem na terra, sendo assim, são expostos todos os dia pelo Sol Amarelo.

Após a Crise nas Infinitas Terras, o Super-Homem ganhou uma nova origem onde existia apenas um tipo de kryptonita: a verde.

Na Série Smallville que conta a história do Superman enquanto jovem, existem alguns tipos de kryptonita:

  • Verde - letal para o Superman
  • Vermelha - aflora uma personalidade rebelde do Superman
  • Preta - divide (ou une) o lado bom e o lado mal do Superman
  • Prateada - cria ilusões na mente do Superman
  • Azul - Inibe os poderes dos kriptonianos sob o Sol amarelo
  • (Nota¹) As diferentes variações de Kriptonitas citadas acima, apenas quatro fazem parte do universo de Superman: Verde, Vermelha, Azul...as outras não existem oficialmente nas historias
  • (Nota²) A Kryptonita Preta, não divide o Homem de aço, conforme mencionado aqui, na verdade a Kryptonita que o divide é a vermelha; pode-se ver isso no filme Superman III, onde Superman luta com o seu outro Eu do mal, que foi dividido pela Kryptonita Vermelha.

A Morte do Super-Homem[editar | editar código-fonte]

Devido à queda das vendas da revista do Super-Homem, foi levada a cabo uma ideia para a sua recuperação e decidiu-se mostrar ao mundo como ele seria sem o Super-Homem. A partir dessa premissa, foi lançado em 1992 a história A Morte do Super-Homem, onde Super-Homem enfrenta Apocalypse, uma criatura virtualmente indestrutível. A batalha final decorreu nas ruas de Metrópolis em que como desfecho final, Apocalypse morre e Superman é declarado como morto.Retornando em Superman o Retorno , onde a população inteira vê que ele não morreu.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A refeição favorita do Superman é bife Bourguignon com catchup.[39]
  • O filme favorito de Clark Kent é To Kill a Mockingbird (O Sol é para Todos), filme de Robert Mulligan de 1962.[40]
  • Há muita discussão sobre qual a religião de Superman. Eliot S! Maggin, um de seus roteiristas no passado, afirmava que o Superman era metodista. Na cronologia pré-Crise, Superman exclamava bastante "Por Rao!". Este era o nome do sol vermelho que orbitava Krypton. Raoísmo era a religião oficial de Krypton, onde Rao era adorado como um deus. Mas ainda assim, não se sabe se Superman era raoísta ou se ele usava o termo apenas como uma exclamação respeitosa.
  • Superman faz aniversário em 29 de Fevereiro, data escolhida para fazer uma alusão ao fato dele envelhecer quatro vezes mais devagar que os seres humanos.

Outros meios[editar | editar código-fonte]

Desenhos animados[editar | editar código-fonte]

Um episódio de 1941.

Entre 1941 e 1942, Superman teve 17 desenhos animados de curta metragem para o cinema, feito pelos estúdios Max Fleischer, de Max e Dave Fleischer, e distribuídos pela Paramount Pictures. Foi o primeiro super-herói adaptado para o meio. No Brasil, receberam títulos como Super-Homem, O Autobala, O Terremoto Elétrico, O Vulcão, A Mão Infalível, Sabotagem e Cia., O Segredo da Múmia, com a voz de Bud Collyer, o Super-Homem da versão radiofônica, transmitida pela Rádio Mutual Network[41] . Entre 1966 a 69, o Superman teve seu próprio desenho animado pela Filmation, "The New Adventures of Superman". De 1973 a 1984, o desenho animado Superamigos mostrava Superman como membro efetivo do grupo. Em 1987, a Ruby Spears produziu uma série de 13 desenhos animados para televisão, Superman.

Em 1996, foi produzida pela Warner Bros. Animation a série Superman: The Animated Series, que contava as aventuras do Homem de Aço. A série foi aclamada pela crítica e pelo público como a melhor série já feita do Superman, ganhando inúmeros prêmios, inclusive um Emmy. A série era produzida e escrita por Alan Burnett (Batman: Gotham Knight e The Batman), Paul Dini (Justice League e Justice League Unlimited) e Bruce Timm (Superman: Doomsday, Teen Titans e Batman: The Animated Series)

Seriados[editar | editar código-fonte]

George Reeves como Super-Homem.

Em 1948 e 1950, o personagem estrelou em dois seriados para cinema, interpretado por Kirk Alyn: Superman e Atom Man vs Superman. Em 1951, George Reeves estrelou ao lado de Phyllis Coates no primeiro longa-metragem do Homem de Aço, "Superman and the Mole-Men", estréia 23 de Novembro, junto com a primeira temporada do seriado na TV. Entre 23 de Novembro de 1951 [42] a 28 de abril de 1958 (6º temporada, episódio nº13),[43] George Reeves estrelou em 104 episódios para a televisão, que só terminou com a morte de Reeves.[44] George estrelou em seis temporadas originais (1951 a 1958), para TV, do seriado, "Aventuras de Superman". A primeira temporada testava o mercado com dois episódio. O seriado na TV, iniciou simultaneamente com a estréia do longa metragem nos cinemas, "Superman and the Mole-Men" (1951),[45] para promover o longa metragem. O resultado na TV foi positivo e a produção continuou a rodar o seriado a partir do primeiro episódio, "Superman on Earth" ("Superman na Terra"), em Janeiro de 1952, com a mesma atriz, Phyllis Coates, junto a Reeves, durante toda a primeira temporada. Por este motivo, o primeiro episódio só aparece no ano seguinte depois que a primeira temporada já havia iniciada.Entre 1988 até 1992 foi exibida uma série intitulada de Superboy,

Entre 1993 e 1996, foi exibida a série Lois & Clark: The New Adventures of Superman, estrelada por Dean Cain e Teri Hatcher. A série é uma representação mais moderna do personagem Superman, focando mais no relacionamento de Clark Kent com a repórter Lois Lane, a série apresentava facetas de comédia romântica. Tomando como base a nova origem do personagem que o autor John Byrne escreveu nos quadrinhos, após Crise nas Infinitas Terras, a série apresenta um Jonathan Kent ainda vivo e um Clark mais descolado. A série mostrou as várias faces de Clark Kent/Superman, uma Lois Lane bem independente, um Perry White e um Jimmy Olsen bem divertidos, um Lex Luthor bem convencido e mau e uma Cat Grant bem atirada.

Entre 2001 a 2011, foi exibida a série Smallville criada por Alfred Gough e Miles Millar. A série abordou a transição do jovem Clark Kent (Tom Welling) da sua fase adolescente para adulta, mostrando todos os problemas enfrentados por um adolescente comum, somando-se aos fatos da adaptação de seus superpoderes e as descobertas sobre suas verdadeiras origens.

Filmes[editar | editar código-fonte]

Em 1978, foi lançado Super-Homem, estrelado por Christopher Reeve e dirigido por Richard Donner. Fez muito sucesso, e teve 4 continuações,Super-Homem II em 1980, Super-Homem III em 1983, Super-Homem IV em 1987 e Super-Homem - O Retorno em 2006, estrelado por Brandon Routh e dirigido por Bryan Singer.

Zack Snyder, visionário diretor dos filmes 300, Watchmen: O Filme e Madrugada dos Mortos, dirigiu o aclamado O Homem de Aço. O filme estreou em 14 de junho de 2013 nos EUA, e em 12 de julho nos cinemas Brasileiros.

Em 20 de julho de 2013 foi anunciado na San Diego Comic-Con 2013 que o super-herói se encontraria com Batman no universo DC nos cinemas. O painel mostrou uma imagem com o logo do Morcego e o S do Super-Homem sobrepostos. Uma das frases da HQ O Cavaleiro das Trevas foi citada, "Quero que você lembre da minha mão na sua garganta. Quero que você se lembre do único homem que o derrotou". Ben Affleck foi confirmado como o novo Batman, visto a falta de interesse de Christian Bale pelo papel com a saída do diretor Christopher Nolan da franquia do Batman. O filme já está em pré-produção e as filmagens estão marcadas para começar em 2014, com o lançamento se dando em 2015.

Em 7 de Julho de 2014 foi lançado o filme The Lego Movie com a versão Lego do Super-Homem.

Video games[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://collider.com/superman-man-of-steel-edgy-zack-snyder/158503/
  2. http://blogs.indiewire.com/theplaylist/zack_snyders_superman_film_man_of_steel_moves_to_a_june_14_2013_date
  3. http://www.superherohype.com/news/articles/125177-henry-cavill-to-play-superman?cpage=20#written_comments_title
  4. http://insidemovies.ew.com/2011/03/27/amy-adams-lois-lane-superman/
  5. http://www.universohq.com/quadrinhos/2006/review_SUPmorte.cfm
  6. http://www.universohq.com/quadrinhos/2004/n06082004_01.cfm
  7. Daniels (1998), p. 67.
  8. a b Daniels (1998), p. 42.
  9. O'Neil, Dennis , Dillin, Dick , Greene, Sid . "Star Light, Star Bright—Death Star I See Tonight!" Justice League of America v1 #73 August, 1969 DC Comics
  10. Byrne, John , Giordano, Dick . The Man of Steel Ed. Barry Marx. DC Comics, 1987. ISBN 0-930289-28-5.
  11. Jurgens, Dan, Ordway, Jerry, Simonson, Louise et al (e), Jurgens, Dan, Guice, Jackson, Bogdanove, Jon, et al (f), Rodier, Denis, Janke, Dennis, Breeding, Brett et al (c). The Death of Superman Ed. Mike Carlin. NY:DC Comics, 14 de Abril de 1993. ISBN 1-56389-097-6.
  12. Jurgens, Dan, Kesel, Karl, Simonson, Louise et al (e), Jurgens, Dan, Guice, Jackson, Bogdanove, Jon, et al (f), Rodier, Denis, Janke, Dennis, Breeding, Brett et al (c). The Return of Superman (Reign of the Supermen) Ed. Mike Carlin. NY:DC Comics, 3 de Setembro de 1993. ISBN 1-56389-149-2.
  13. Waid, Mark (e), Yu, Leinil Francis (a). Superman: Birthright. NY:DC Comics, 1 de Outubro de 2005. ISBN 1-4012-0252-7.
  14. Johns, Geoff (e), Jimenez, Phil, Perez, George, Ordway, Jerry et al (a). Infinite Crisis. NY:DC Comics, 20 de setembro de 2006. ISBN 1-4012-0959-9 ISBN 978-1-4012-0959-9
  15. Johns, Geoff, Busiek, Kurt (e), Woods, Peter, Guedes, Renato (a). Superman: Up, Up and Away! NY:DC Comics, 2006. ISBN 1-4012-0954-8 ISBN 978-1-4012-0954-4.
  16. Daniels (1995), pp. 22–23.
  17. {Loeb, Jeph (e), McGuinness, Ed (f), Vines, Dexter (c). "Running Wild" Superman/Batman v1 #3 Dezembro de 2003 DC Comics
  18. a b Daniels (1998), p. 13.
  19. http://www.cinelogin.com.br/livros-e-hqs/superman-a-origem-do-maior-super-heroi-de-todos
  20. Daniels (1998), p. 17.
  21. http://www.thrillingdetective.com/slam.html
  22. http://www.toonopedia.com/slambrad.htm
  23. http://www.omelete.com.br/quad/100003198/Jerry_Siegel__Joe_Shuster_e_o_Super_Homem.aspx
  24. Andrae, Nemo (versão online): "Superman Through the Ages: The Jerry Siegel and Joe Shuster Interview, part 8 of 10" (1983).
  25. Daniels (1998), pp. 25–31.
  26. Gross, John. "Books of the Times", New York Times, December 15, 1987. Página visitada em 2007-01-29.
  27. Zeno, Eddy (December 25, 2006). From Back Issue 20: Pro 2 Pro: A Clark Kent Roundtable (excerpted from (January 2007) "The Clark Kent Roundtable". Back Issue (20).) newsarama.com publicada na web por newsarama, impressa por TwoMorrow. Visitado em 2007-01-31.
  28. Eury (2006), p. 119.
  29. Sanderson, Peter. (June 1986). "The End of History". Amazing Heroes (96). ISSN 0745-6506.
  30. http://www.universohq.com/quadrinhos/2004/review_amigos_superman.cfm
  31. Daniels (1998), p. 160.
  32. , DeMatteis, J.M., Kelly, Joe, Loeb, Jeph et al (w), McGuinness, Ed, Rouleau, Duncan, Medina, Paco (a). Superman: President Lex, NY:DC Comics, July 1 2003. ISBN 1-56389-974-4, ISBN 978-1-56389-974-4
  33. George, Richard (2006-06-22). Superman's Dirty Dozen IGN. Visitado em 2007-01-11.
  34. Superman #62 Universo HQ. Visitado em 20/05/2010.
  35. Gonçalo Júnior. In: Editora Companhia das Letras. A guerra dos gibis: a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964. [S.l.: s.n.]. 48 pp. ISBN 8535905820, 9788535905823.
  36. ALMANAQUE NOSTALGIA - A PRIMEIRA APARIÇÃO DO SUPER-HOMEM (Ebal) Universo HQ. Visitado em 20/05/2010.
  37. Ebal 60 anos: uma celebração (em português) Universo HQ (31/03/05). Visitado em 18/03/2010.
  38. Antônio Santos. Dossiê Superman - Troca de Nomes, Revista Mundo dos Super-Heróis #1. [S.l.]: Editora Europa, 2006. 23 pp.
  39. Kingdom Come
  40. O Retorno do Super-Homem #3
  41. Mattos, A. C. Gomes de. Cinemin 8. [S.l.]: Rio de Janeiro: EBAL. 40-41 pp.
  42. "The Unknown People: Part I", Season 1, Episode 25: Primeiro episódio de Superman para TV inciou pelo episódio nº25, em 23/11/1951
  43. "All That Glitters", Season 6, Episode 13: Último episódio de Superman para TV por George Reeves, 28/4/1958
  44. IMDB.com "Adventures of Superman": 1951-1958 por George Reeves.
  45. IMDB.com: "Superman and the Mole-Men" (1951) com George Reeves, nos cinemas, simultaneamente com sua primeira temporada na televisão

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Superman
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Superman