Honda CBR 450 SR

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
CBR 450 SR
Fabricante Honda
Apelido Buballo, Hollywood, Capitão américa e Babaloo
Produção 1989 - 1994
Tipo Esportiva
Motor 447 cm³
2 cilindros em linha, 4 tempos SOHC 6V[1]
Potência 46,5 cv a 8.500 rpm[1]
Torque 4,2 kgfm a 7.000 rpm[1]
Transmissão 6 marchas
Suspensão Dianteira: Telescópica - 140mm de curso[1] ;
Traseira: Pro-Link - 110 mm de curso[1]
Freios Dianteiro: Dois discos, pinças de pistão duplo laterais na dianteira[1] ;
Traseiro: Disco fixo, com um pistão[1] .
Pneus D: 110/80-17[1] ;
T: 130/70-17[1]
Altura do Assento 775mm[1]
Tanque 14 lts[1]
Relações Honda CB 400

A CBR 450 SR é um moto esportiva fabricada no Brasil. Resultado de uma pesquisa junto a concessionárias e público em 1987, para saber o que deveria ser melhorado na CB (CB 400, também da Honda), a CBR 450 SR nascia em setembro de 1989 como primeira esportiva nacional com motor quatro-tempos. Toda carenada, com um desenho muito moderno para a época, impressionava pela beleza, esteticamente inspirada na Japonesa CBR 250RR versão MC17 produzida em 1987, da qual inclusive aproveita muitas peças da carenagem. Este aproveitamento de peças explica a falta de função das saídas de ar na lateral da carenagem, uma vez que na original Japonesa estas saídas de ar serviam de exaustão do ar já aquecido pelo radiador.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Lançada em uma época de importações fechadas, a CBR tinha como concorrente mais próxima a RD 350 R, mas era muito mais cara. Embora com desempenho inferior ao da RD, que desenvolvia 55 cv, o ronco de seu motor era uma verdadeira "música" para os que preferem os quatro-tempos. Em todo o tempo que foi produzida a CBR não sofreu alterações mecânicas, de ciclística ou desenho: as únicas mudanças foram de grafismos, em 1991 e 1993. O modelo de 1991, com as cores branca, vermelha e azul, é conhecido entre seus fãs pelo apelido de "Capitão América" e em 1993 algumas foram apelidadas de "Babaloo". Os grafismos mais clássicos foram os de 1989/1990.

Fim de produção[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 1994 a CBR 450 SR deixava de ser fabricada, pois as importadas faziam concorrência cada vez mais intensa. Seu preço era alto diante do que oferecia em desempenho e, certamente, influiu o crescimento da onda naked, de motos sem carenagem, como a Suzuki GS 500E, ainda importada, que era oferecida a preço similar. Mas a CBR terminou sua carreira com milhares de fãs e até hoje, no mercado de usadas, possui bom valor de revenda[2] .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]