Hoodia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Como ler uma caixa taxonómicaHoodias
Hoodia gordonii

Hoodia gordonii
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Gentianales
Família: Apocynaceae
Espécies
Ver texto
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Hoodia
Hoodia gordonii

A Hoodia é uma planta da familia Apocynaceae, no grupo Asclepiadaceae. A Hoodia, com os seus talos suculentos, é chamada de "cactiforme" por sua notável similaridade com a familia dos Cactos. Podem alcançar um metro de altura e apresenta flores exuberantes, normalmente com cores agradáveis e cheiro forte.

Hoodias são plantas protegidas por espinhos, tipicas do deserto da Namíbia, indo do norte da Africa do Sul até o sul de Angola, especialmente em áreas planas e rochosas.

As Hoodias são cultivadas como plantas ornamentais, e uma espécie, a Hoodia gordonii está sendo investigada como moderador de apetite.

Espécies e variedades[editar | editar código-fonte]

Há várias espécies dessa planta, algumas são:

  • Hoodia albispina
  • Hoodia alstonii
  • Hoodia annulata
  • Hoodia bainii
  • Hoodia bainii var. juttae
  • Hoodia barklyi
  • Hoodia burkei
  • Hoodia cactiformis
  • Hoodia colei
  • Hoodia currorii ssp. currorii
  • Hoodia currorii ssp. lugardii
  • Hoodia currorii var. minor
  • Hoodia delaetiana
  • Hoodia dinteri
  • Hoodia dregei
  • Hoodia felina
  • Hoodia flava
  • Hoodia foetida
  • Hoodia genilis
  • Hoodia gibbosa
  • Hoodia gordonii O nome oficial é Hoodia gordonii (Masson) Sweet ex Decne . A planta foi descrita duas vezes: Primeiro por Sweet em 1830 e então por Masson, que a chamou de Stapelia gordonii. como o relato de Sweet é mais antigo, tem prioridade, e o nome Stapelia não é considerado válido pela taxonomia.
  • Hoodia grandis
  • Hoodia haagnerae
  • Hoodia husabensis
  • Hoodia juttae
  • Hoodia langii
  • Hoodia longispina
  • Hoodia lugardii
  • Hoodia macrantha
  • Hoodia marlothii
  • Hoodia meloformis
  • Hoodia montana
  • Hoodia mossamedensis
  • Hoodia officinalis ssp. delaetiana
  • Hoodia officinalis ssp. officinalis
  • Hoodia parviflora
  • Hoodia pedicellata
  • Hoodia perlata
  • Hoodia picta
  • Hoodia pilifera ssp. annulata
  • Hoodia pilifera ssp. pilifera
  • Hoodia pilifera ssp. pillansii
  • Hoodia pillansi
  • Hoodia rosea
  • Hoodia ruschii (Rainha do Namibe)
  • Hoodia rustica
  • Hoodia senilis
  • Hoodia similis
  • Hoodia sociarum
  • Hoodia tirasmontana
  • Hoodia triebneri
  • Hoodia whitesloaneana

Hoodia gordonii como moderador de apetite[editar | editar código-fonte]

O uso da Hoodia como moderador de apetite é conhecido pelas populações indígenas da África Austral há muito tempo. Freqüentemente usam a planta para o tratamento de indigestão e pequenas infecções.

Em 1977, o Conselho de Investigação Científica e Industrial Sul-Africano (South African Council for Scientific and Industrial Research — CSIR) isolou um ingrediente da planta (conhecido como P57) responsável pelo efeito moderador de apetite e o patenteou.

O CSIR então delegou uma licença a Phytopharm, empresa com sede no Reino Unido, que em colaboração com o Instituto Farmacêutico Pfizer, isolaram os ingredientes ativos a partir de extratos vegetativos e sua sintetização, para uso como moderador do apetite.

A Pfizer liberou os direitos sobre os ingredientes primários, em 2002. Paul Hutson, professor da Universidade de Wisconsin (Madison School of Pharmacy), declarou ao jornal "Wisconsin Stante News" que "Para a Pfizer liberar algo relacionado ao tratamento da obesidade, me parece que eles perceberam que não há mérito em seu uso oral".

A Pfizer declarou que o desenvolvimento do P57 (o ingrediente ativo da Hoodia), havia sido suspenso em razão da dificuldade na sua sintetização. Jasjit Bindra, chefe de pesquisas da Hoodia, na Pfizer, declarou que havia indícios de efeitos colaterais nas cobaias, causados por outros componentes da fórmula, e que estes não podiam ser facilmente removidos do suplemento, adiantando que: "Certamente, a hoodia tem um longo caminho a seguir, antes que possa receber a aprovação do Conselho de Alimentos e Remédios Norte Americano (Food and Drug Administration - FDA). Até que fórmulas seguras sejam desenvolvidas, pessoas interessadas na dieta devem evitar seu uso."

O governo da África do Sul, agiu rápido e em 2002, a CSIR oficialmente reconheceu os direitos legais da tribo San sobre a Hoodia, permitindo-lhes receber uma porcentagem nos lucros resultantes da comercialização da Hoodia.

A Hoodia gordonii é uma planta protegida, que só pode ser colhida de seu ambiente original por nativos e pelas poucas companhias que detêm os direitos de exploração.

Em 2006-2007, iniciaram as plantações industriais na África do Sul, localizadas no deserto do Khalahari com investimentos europeus e japoneses produzindo e exportando para todo o mundo em larga escala.

Análises cientificas publicadas[editar | editar código-fonte]

Um estudo científico foi publicado em que o extrato da planta foi diretamente injetado no cérebro de ratos. Nenhum estudo foi feito em humanos para investigar a segurança ou efeitos da Hoodia gordonii em pílulas ou suplemento alimentar. O autor do estudo em ratos, disse que o P57 foi facilmente quebrado pelas cobaias,tornando-o seguro mas seria difícil tomar uma dose grande o suficiente para que tivesse efeito. MacLean alertou que suplementos atuais devem ser inadequados, declarando, "Imagino se existe realmente o suficiente do ingrediente ativo para fazer o efeito prometido."

Cobertura da Mídia[editar | editar código-fonte]

A cobertura da mídia e o marketing pesado das companhias de suplementos alimentares criaram tamanha demanda pelas plantas Hoodia que um status de protegida foi imposto em vários países como a Namibia. Vários produtos que dizem conter Hoodia, na verdade, não contem o ingreditente ativo que supostamente modera o apetite. Apenas o produto sul africano tem as alegadas propriedades. Uma análise das pílulas de Hoodia pela Alkemists Pharmaceuticals descobriu que pelo menos metade dos produtos comercializados como contendo Hoodia, não continha nenhuma.

Como exemplo de como a mídia prefere apresentar "pegadinhas"(pequenas brincadeiras) no lugar de evidências científicas, em 2004, a correspondente do programa 60 Minutes, Lesley Stahl viajou para a África para provar Hoodia gordonii pessoalmente. De acordo com Stahl, ela não teve uma única refeição satisfatória, concluindo, "Tenho que dizer que funcionou." Um correspondente da BBC apresentou uma sátira parecida em 2003

Em Março de 2006, Consumer Reports investigou o suplemento alimentar e concluiu, "Esse remédio para perda de peso não oferece evidências clinicas para que os profissionais da Consumer recomendem o produto."

Propaganda e Golpes publicitários - spams[editar | editar código-fonte]

Falta de evidências cientificas ou aprovação dos órgãos responsáveis não evitou a propaganda das companhias de suplementos alimentares dizendo que o extrato da Hoodia gordonii baixaria a pressão sanguinea e reduziria o apetite. Goen Technologies Corporation's TrimSpa iniciou campanha publicitária da Hoodia gordonii sob a marca X32 com a apresentadora Anna Nicole Smith, mesmo tendo sido avisada pela Food and Drug Administration (FDA) de que o produto não demonstrou ser seguro ou efetivo. Health Canada não aprovou qualquer produto a base de hoodia para venda. Goen Technologies foi processada pelo estado de New Jersey por enganar os consumidores. A firma Trimspa está sendo processada na California que alega que seus produtos não contém nenhum ingrediente ativo da Hoodia.

De março a Junho de 2006, milhares de mensagens eletrônicas não solicitadas foram enviadas divulgando a Hoodia, agressivamente oferecendo extratos de Hoodia para controle da obesidade. Como é comum com spam, não está claro o que iniciou a onda de mensagens, visto que não houve nenhuma referência positiva na mídia a respeito da Hoodia, nem mesmo interesse do público pela planta. A Federal Trade Commission já tem registrado numerosas reclamações de consumidores a respeito de fraudes associados a Hoodia e o número deve continuar a crescer.

Atribui-e a fraude, produtos que não sejam Hoodia verdadeira. Os produtos naturais podem ser facilmente fraudados e por isso a origem e procedencia e extremamente importatnte no ato da compra.

Ao contrario do que se tem dito, muitos consumidores tem se beneficiado da utilizacao da Hoodia a um tal ponto que, algo inteligente foi realizado, em dezembro de 2004, a Unilever, multinacional do ramo alimenticio, firmou contrato com a Phytopharm para iniciar a divulgação da Hoodia gordonii comercialmente na forma de shakes e barras dietéticas. [citation needed]

Em 1 de julho de 2005, foi divulgado em um programa de variedades que uma companhia iniciou a venda de pirulitos reforçados com Hoodia. Os resultados tem sido eficazes.

Em março de 2007, foi lançado no mercado americano, uma nova erva que compete com a Hoodia, chamada Coordia "The brazilian alternative", que tem da mesma forma angariado a preferencia dos consumidores nas alternativas ao combate a obesidade.

Anvisa proíbe produtos à base de Hoodia gordonii[editar | editar código-fonte]

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a proibição, no país, da manipulação de todos os medicamentos à base do extrato vegetal Hoodia gordonii, originário da África e utilizado como inibidor de fome e sede.

A determinação foi publicada dia 16 de fevereiro de 2007 no Diário Oficial da União. Como os estudos científicos ainda não constataram a eficácia e a segurança do produto, explica nota divulgada pela Anvisa, os registros foram negados. "O produto não possui registro como medicamento em nenhum país. Não há como assegurar a ação do produto, tampouco a ausência de riscos para quem consumir o vegetal", afirma a nota.

Também está proibida a propaganda de produtos à base de Hoodia Gordonii em todos os meios de comunicação, incluindo a internet, já que a Anvisa informa ter constatado que alguns sites promovem e vendem o produto como medicamento, "prática que configura crime, do ponto de vista sanitário".

A nota informa ainda que os responsáveis pela venda e promoção desses produtos "estarão sujeitos a penalidades previstas na Lei 6.437 de 1977, como multas, interdição do estabelecimento ou cancelamento do alvará de licenciamento".

Noticia divulgada pela Agência Brasil

Referências[editar | editar código-fonte]

  • [1] Stevens PF (2001 onwards). Gentianales. Angiosperm Phylogeny Website (Missouri Botanical Gardens). Version 7, May 2006. Retrieved July 14, 2006.
  • [2] Hoodia gordonii (Masson) Sweet ex Decne via Germplasm Resources Information Network (USDA)
  • [3] Rath, Jay. New Drug Tempting Dieters, But Experts Debate Hoodia's Merits. Wisconsin State Journal September 5, 2005, D1.
  • [4] Morris, Joan (March 9, 2006) Little research behind claims that hoodia is safe, effective for losing weight. Seattle Times
  • [5] Bindra, Jasjit (April 26, 2005). A Popular Pill's Hidden Danger. New York Times
  • [6] Council for Scientific and Industrial Research (24 March 2003) The San and the CSIR announce a benefit-sharing agreement for potential anti-obesity drug.
  • [7] Thompson, Ginger (April 1, 2003). Twee Rivieren Journal; Bushmen Squeeze Money From a Humble Cactus. New York Times
  • [8] MacLean DB, Luo LG. Increased ATP content/production in the hypothalamus may be a signal for energy-sensing of satiety: studies of the anorectic mechanism of a plant steroidal glycoside. Brain Research. 2004 Sep 10;1020(1-2):1-11.
  • [9] Duenwald, Mary (April 19, 2005) An Appetite Killer for a Killer Appetite? Not Yet. New York Times
  • [10] a b c Engelhaupt, Erika (July 9, 2006). But do Hoodia diet pills actually work? Diet miracle from an African plant is a spam special. The Philadelphia Inquirer
  • [11] African Plant May Help Fight Fat. CBS News 60 Minutes, Nov. 21, 2004.
  • [12] Mangold, Tom (May 30, 2003). Sampling the Kalahari cactus diet. BBC News
  • [13] Hoodia: lose weight without feeling hungry? (Subscription required) Consumer Reports 2006 Mar;71(3):49.
  • [14] US Food and Drug Administration (March 26, 2004). Warning Letter for Weight Loss Products "TrimSpa Carb Blocker" and "TrimSpa Fat Blocker"
  • [15] Hawaleshka, Danylo. Hoodia love: An appetite suppressant used by Bushmen is the diet world's newest fad. Macleans, August 03, 2005.
  • [16] New Jersey Office of the Attorney General (October 16, 2003). New Jersey Sues Founder of Goen Seminars.

Links[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre asterídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.