Hospitais universitários de Genebra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hospital
Hospital de Genebra
Nome completo Hospitais universitários de Genebra (HUG)
Localização Flag of Canton of Geneva.svg Genebra - Suíça
Fundação 1856
Tipo Hospital universitário
Universidade afiliada Faculdade de medicina da Universidade de Genebra
Emergência Sim
Leitos 1 908 [1]
Especialidades 66
Site http://www.hug-ge.ch
editar

Os Hospitais universitários de Genebra (HUG), mas mais genericamente conhecido por Hospital de Genebra, constituem o principal centro hospital de Genebra (Suíça). Reúnem todas as especialidades médicas dentro dos 66 serviços dirigidos por professores ou investigadores da Faculdade de medicina da Universidade de Genebra.

Na totalidade o HUG reagrupam 8 hospitais públicos e 40 locais de tratamento. Ele é não só um hospital de proximidade da cidade de Genebra mas também um hospital de referência em relação ao cantão em parceria com o CHUV de Lausana [1] .

O HUG está intimamente ligado à Faculdade de medicina da Universidade de Genebra e por isso é um dos cinco Hospitais universitários da Suíça com os de Basileia, Berna, Lausana et Zurique.

Datas[editar | editar código-fonte]

  • 1602 - Criação de um hospital geral resultante da reunião de oito hospitais existentes na Idade Média;
  • 1875 - abertura da maternidade na rue Prévost-Martin;
  • 1972 - abertura do hospital de geriatria, actual Hôspotal des Trois-Chêne;
  • 1995 - criação do Hospital universitário.

Pessoal[editar | editar código-fonte]

Com mais de 10 000 colaboradores que exercem 180 profissões, os HUG são um dos maiores fornecedores de emprego do cantão de Genebra. Em 2012, 10 277 pessoas trabalhavam nele como: enfermeiros 58%, médicos 15% de médecins, pessoal administrativo 15% , pessoal técnico e logística 13%. Mais de metade dos enfermeiros e pessoa técnico/logístico é frontalier [1] .

Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Foi em 1970, que se iniciou a primeira colaboração do CERN com o hospital de Genebra e da tecnologia emergente da Tomografia por emissão de positrões (TEP) que hoje está na base dos scanners TEP-IRM que conjuga a tecnologia de cristais utilizados no LEP juntamente com desenvolvimentos próprios ao LHC [2] .

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Referências