Huascarán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Huascarán
Huascarán visto do Cristo Redentor
Huascarán está localizado em: Peru
Huascarán
Coordenadas 9° 7' 17" S 77° 36' 32" O
Altitude 6768 m (22205 pés)
Proeminência 2776 m
Listas Ponto mais alto de um país
Ultra
Localização Ancash,  Peru
Cordilheira Cordilheira Branca (Andes)
Primeira ascensão 1932 por uma expedição austro-alemã.[1]

O Huascarán ou Nevado Huascarán é uma montanha da Cordilheira Branca, parte dos Andes peruanos. Com 6768 m, o mais meridional de seus picos (Huascarán Sur) é o mais alto do Peru e o sexto[2] da América do Sul após o Aconcágua, o Ojos del Salado, Monte Pissis, Bonete Chico e Tres Cruces Sul. É a montanha mais alta situada na zona tropical da Terra. O pico é formado pelos remanescentes erodidos de um estratovulcão ainda mais elevado que a montanha que hoje existe.

A montanha recebeu o seu nome de Huáscar, um chefe inca do século XVI que era o Sapa Inca do Império Inca.[3]

O Huascarán está tombado dentro de um parque nacional com o mesmo nome.

Em 1989, um grupo de oito montanhistas amadores, chamados "Social Climbers", fez o que foi reconhecido pelo Guinness Book of Records (ed. 1990) como o "mais alta festa de jantar do mundo" no topo do Huascarán, como documentaram Chris Darwin e John Amy no seu livro The Social Climbers, tendo recolhido 10000 libras esterlinas para caridade.[4] [5]

A periculosidade do Huascarán[editar | editar código-fonte]

Em 31 de maio de 1970 o sismo de Ancash causou o colapso de grande parte da face norte da montanha, desprendendo uma massa de gelo e rocha de 1,5 km de comprimento, 1 km de largura e 800 m de profundidade. Em apenas cinco minutos o deslize atingiu a cidade de Yungay, soterrando-a quase completamente, matando cerca de 17 000 de seus habitantes e poupando apenas 400. Também um grupo de alpinistas da República Checa desapareceu sem deixar vestígios.[6]

Um deslizamento de terras anterior, de 11 de janeiro de 1962, causado por uma rápida subida de temperatura,[7] terá morto cerca de 4000 pessoas.[8]

Nevado Huascarán Sur visto de Callejón de Huaylas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 1932 ascent huascaranperu.net. Página visitada em 2008-12-29.
  2. Maximo Kausch (10/02/2011). As 110 montanhas de 6000 nos Andes AltaMontanha.com.
  3. Room, Adrian (1997). Placenames of the World. McFarland and Company. ISBN 0-7864-0172-9.
  4. Monge-Nájera, Julián. ABC de la evolución. [S.l.]: EUNED, 1995. p. 58. ISBN 9977-64-822-0
  5. "Mouth-watering challenge", 21 September 2007. Página visitada em 2011-05-31.
  6. Yungay history Jay A. Frogel. Página visitada em 2010-12-05.
  7. Sacred mountains: Myth and Morphology
  8. "1962: Thousands killed in Peru landslide", British Broadcasting Corporation, 1962-01-11. Página visitada em 2010-12-05.