Hubble Ultra Deep Field

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Essa imagem de alta resolução do HUDF inclui galáxias de várias idades, tamanhos, tipos e cores. As pequenas galáxias avermelhadas, dentre as quase 10.000 da imagem, são umas das mais distantes galáxias vistas por um telescópio óptico, provavelmente existindo pouco depois do Big Bang.

O Hubble Ultra Deep Field ("Campo Super Profundo do Hubble"), ou HUDF, é uma imagem de uma pequena região do espaço, na constelação de Fornax, composta por dados do Telescópio Espacial Hubble no período de 3 de setembro de 2003 a 16 de janeiro de 2004. É a imagem mais profunda do universo tirada em luz visível, vendo o passado de mais de 13 bilhões de anos atrás (cerca de 400-800 milhões de anos após o Big Bang).

Na imagem do HUDF, estima-se que haja 10.000 galáxias[1] . A pequena região do céu em que as galáxias residem (pelo menos um décimo do diâmetro da Lua vista da Terra) foi escolhida porque há uma baixa densidade de estrelas brilhantes na região próxima. Embora a maioria dos pontos visíveis na imagem do Hubble também possam ser vistas por ondas de comprimento infra-vermelho por telescópios em terra, o Hubble é o único instrumento que pode fazer observações desses alvos distantes com comprimentos de onda da luz visível. Localizado no sudoeste de Orion, no hemisfério sul, na constelação de Fornax, com uma ascensão reta de 3h 32m 40.0s e uma declinação -27° 47' 29" (J2000), a imagem cobre uma área de 36.7 arco-minutos quadrados.[2] . Isto é menor que um quadrado de papel de 1 mm2 situado a um metro de distância, e igual a 0,000013 (treze milionésimos) da área total do céu. A imagem está orientada de modo que o canto esquerdo superior são pontos propícios ao norte (46.4°) na esfera celeste. A estrela perto do centro da imagem do campo é USNO-A.20 0600-01400432 com magnitude aparente de 18.95.

No total, para montar a imagem, foram necessárias 800 exposições, tomadas ao longo do trajeto de 400 voltas da órbita do Hubble, ao redor da Terra. O tempo total de exposição foi de 11.3 dias para o ACS e 4.5 dias para o NICMOS.

De acordo com a teoria do Big Bang, o universo tem uma idade finita, assim nós podemos exceto muito distante (e aqui muito jovem) e podem-se ver diferentes galáxias do que vemos hoje. Isto é, de fato, vendo no HUDF, embora alguns discutam que as diferenças estão particularmente em um resultado não usual do comprimento usado pelo HUDF (correspondendo da luz ultravioleta até o resto da estrutura das mais distantes galáxias). O Hubble Ultra Deep Field também mostra muitas evidências de formação e fusão de galáxias em locais de estudos, com exceção, é claro, do universo.

Localização do Hubble Ultra Deep Field no céu.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Hubble Ultra Deep Field